Paranapuã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Paranapuã
Bandeira indisponível
Brasão de Paranapuã
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Aniversário 28 de fevereiro de 1964 (55 anos)
Gentílico paranapuense
Prefeito(a) Sérgio Antônio Polarini (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Paranapuã
Localização de Paranapuã em São Paulo
Paranapuã está localizado em: Brasil
Paranapuã
Localização de Paranapuã no Brasil
20° 06' 10" S 50° 35' 09" O20° 06' 10" S 50° 35' 09" O
Unidade federativa São Paulo
Mesorregião São José do Rio Preto IBGE/2008 [1]
Microrregião Jales IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Turmalina, Mesópolis, Populina, Santa Albertina, Urânia, Jales e Vitória Brasil
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 140,5 km² [2]
População 3 815 hab. Censo IBGE/2010[2]
Densidade 27,15 hab./km²
Altitude 474 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,775 alto PNUD/2000 [3]
PIB R$ 45 142 mil IBGE/2009[4]
PIB per capita R$ 12 073,37 IBGE/2009[4]

Paranapuã é um município do estado de São Paulo, no Brasil. Localiza-se a uma latitude 21º46'05" sul e a uma longitude 50º46'18" oeste, estando a uma altitude de 474 metros. Tem uma população de 3 815 habitantes (IBGE/2010) e área de 140,5 km².[2]

Em 1949, Paulo Guilherme Ferraz adquiriu as terras do atual município, então desabitadas, através de leilão. As terras foram colonizadas, em seguida, por João Batista Schiavon. Inicialmente, o povoado adquiriu o nome de "Entre Rios", por se localizar entre os rios Grande e Paraná. Logo, porém, adquiriu seu nome atual, Paranapuã, nome de origem tupi que significa "mar redondo" pela junção de paranã (mar) e apu'a (redondo).[5] Em 1959, a região adquiriu o status de distrito pertencente a Dolcinópolis. Em 28 de fevereiro de 1964, o distrito adquiriu a condição de município autônomo.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010[2]

População Total: 3 815

  • Urbana: 3 394
  • Rural: 421
  • Homens: 1 950[6]
  • Mulheres: 1 865

Densidade demográfica (hab./km²): 27,16

Dados do Censo - 2000

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 10,39

Expectativa de vida (anos): 74,45

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,10

Taxa de Alfabetização: 83,47%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,775

  • IDH-M Renda: 0,687
  • IDH-M Longevidade: 0,824
  • IDH-M Educação: 0,814

(Fonte: IPEADATA)

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade foi atendida pela Companhia de Telecomunicações do Estado de São Paulo (COTESP) até 1975, quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[7], que construiu em 1977 a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica, sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo para suas operações de telefonia fixa[8][9][10].

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. a b c d «Censo Populacional 2010 - IBGE» (PDF). IBGE.gov.br. Consultado em 1 de setembro de 2011 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 8 jan. 2012. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  5. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. 463p.
  6. «SIDRA IBGE, Tabela 608, População residente, por situação do domicílio e sexo». IBGE. Consultado em 1 de setembro de 2011 
  7. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  8. «Telesp vai servir mais 86 cidades do estado». Acervo Folha de São Paulo 
  9. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  10. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]