Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim
Paisagem do Parque Ecológico de Campinas
Localização Sudeste
País  Brasil
Estado  São Paulo
Município Flag of Campinas.svg Campinas
Tipo Público
Área 2.850.000 m² (sendo 1.100.000 m² aberta ao público)
Paisagista Roberto Burle Marx
Inauguração 1991 (25 anos)
Administração Prefeitura municipal de Campinas
Coordenadas 22° 54' 20" S 47° 01' 06" O
Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim está localizado em: Brasil
Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim
Localização no Brasil

O Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim (mais conhecido como Parque Ecológico de Campinas) é um parque localizado na Região Leste da cidade de Campinas, com área de 110 ha e um projeto paisagístico de Burle Marx.

História[editar | editar código-fonte]

O Parque Ecológico foi construído onde foi fundada, em 1806, a Sesmaria e Engenho Fazenda Mato Dentro[1], pelo sesmeiro Joaquim Aranha Barreto de Camargo, que foi passada, em 1820, à propriedade de sua filha, Maria Luzia de Sousa Aranha[2], a Viscondessa de Campinas, e a seu genro e sobrinho, Francisco Egydio de Sousa Aranha, tendo o engenho, à época da fundação, 1515 alqueires de terras. Incorporado em 1937 pela Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo, como estação experimental do Instituto Biológico.[3]

No dia 08 de junho de 1987 foi assinado pelo então governador Orestes Quércia o decreto 27071, autorizando o início das obras para criação do Parque Ecológico. O parque permaneceu sob administração do governo do estado de São Paulo de 1991 até 1995, quando passou a ser administrado em uma gestão compartilhada entre a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e a Prefeitura Municipal de Campinas. Esse gestão durou até o ano de 2001, quando o parque sofreu uma grande reforma no valor de R$ 4,9 milhões. Porém em 2013 o parque é transferido de forma definitiva ao município pelo período de 99 anos.[4]

Atrações dentro do Parque[editar | editar código-fonte]

Possui uma variada infraestrutura com um complexo de construções tombadas do século XIX, dentre elas uma casa grande e uma tulha; sete quadras poliesportivas, campos de futebol society, quadras de bocha e malha, playground, dois estacionamentos (capacidade para 1000 automóveis) e áreas para piquenique, além do Museu Histórico Ambiental, que desenvolve programas de educação ambiental.

Em 2015 a Associação de Gastronomia Sobre Rodas de Campinas realizou um evento de food truck no parque [5] e em 2016 foi inaugurado uma pista de 900 metros para pratica de downhill (modalidade de mountain bike)[6]. Uma feira de produtos orgânicos acontece no estacionamento aos domingos já há muitos anos e é altamente frequentada [7].

Endereço[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim

Galeria de Fotos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. João Marcos Fantinatti (16 de março de 2010). «Curiosidades: Fazenda Mato Dentro (hoje Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim)». Pró Memória de Campinas – SP. Consultado em 11 de novembro de 2016. 
  2. João Marcos Fantinatti (25 de março de 2007). «Personagem: Odila Egídio de Souza Santos Camargo e Lafayette Álvaro de Souza Camargo». Pró Memória de Campinas – SP. Consultado em 11 de novembro de 2016. 
  3. Prefeitura Municipal de Campinas (11 de novembro de 2016). «Atrações Naturais». Prefeitura Municipal de Campinas. Consultado em 11 de novembro de 2016. 
  4. Daniela Andrade Lacreta (09 de dezembro de 2015). «Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim Campinas/SP: Processo de implementação de um parque urbano contemporâneo». Pontifício Universidade Católica de Campinas. Consultado em 11 de novembro de 2016. 
  5. G1 (19 de setembro de 2015). «Parque Ecológico de Campinas recebe evento de food trucks». G1 Campinas e Região. Consultado em 11 de novembro de 2016. 
  6. Sheila Vieira (22 de maio de 2016). «Ecológico inaugura pista de downhill de 900 metros». Correio Popular. Consultado em 11 de novembro de 2016. 
  7. «Feiras de produtos Orgânicos». Associação de Agricultura Natural de Campinas e Região. Consultado em 11 de novembro de 2016.