Parque Estadual da Lagoa do Açú

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Parque Estadual da Lagoa do Açú
Localização
Localização Norte fluminense do Rio de Janeiro
País  Brasil
Municípios Campos dos Goytacazes e São João da Barra
Dados
Área 8,251 45 ha
Criação 20 de março de 2012 (7 anos)
Gestão INEA
Coordenadas 21° 59' 15.7" S 41° 01' 41.9" O
P. E Lagoa do Açú está localizado em: Brasil
P. E Lagoa do Açú

O Parque Estadual da Lagoa do Açu (PELAG) está localizado no norte do Estado do Rio de Janeiro, entre os municípios de Campos dos Goytacazes e São João da Barra.[1] Possui uma área de 8.251 hectares, esta unidade de conservação foi criada, entre outros objetivos, para proteger os remanescentes de vegetação nativa de Mata Atlântica, como a restinga, o mangue e uma importante área alagada, que compõe seus principais atrativos: o Banhado da Boa Vista, a Lagoa do Açu, com 13 km de extensão no litoral, e parte da Lagoa Salgada.[2]

Trilhas[editar | editar código-fonte]

O parque possui duas trilhas, a do tamanduá, que possui nível leve de dificuldade e aproximadamente 1h e 40 minutos de duração durante seus 2,5km de percurso; nela é possui observar diversas fisionomias vegetais, assim como alguns animais, tais como o tamanduá. A trilha da pitanga é uma trilha de interpretação ambiental possuindo um grau de dificuldade mais moderado, duração de 1h e 40 até 2h durante 2,6km percurso; nela encontramos a vegetação de restinga e o Banhado da Boa Vista além de várias pitangueiras.[3]

Fauna[editar | editar código-fonte]

O PELAG abriga uma grande variedade de espécies de aves ameaçadas de extinção. Aves migratórias como vira-pedras, maçarico-acanelado e maguari, além de várias outras espécies nativas, tais como: socoí-vermelho, arapapá, bate-bico, gaturamo-rei, narceja-de-bico-torto e saíra-beija-flor se encontram na umidade de conservação.[4] De acordo com dados do programa Vem Passarinhar - RJ, já foram avistadas mais de 500 espécies de aves, destas as espécies registradas desde o início do programa, 130 estão em alguma categoria ou status de ameaça.[5]

Há a ocorrência de outras espécies da fauna também são encontradas, tais como: ouriço-cacheiro, tamanduá-mirim, cachorro-do-mato, entre os mamíferos.

Flora[editar | editar código-fonte]

A vegetação presente no parque é nativa de Mata Atlântica, está presente com todas as tipologias de restinga, mangue e uma importante área alagada. São encontradas espécies como clúsia, quixabeira, pitangueira, araçá, aroeira, taboa, bromélias e orquídeas, cactos, entre outras.

A restinga tem o importante papel de fixar areia e dunas, impedindo a erosão das praias. Seu solo é arenoso e poroso, o que facilita a infiltração da água da chuva. Esta vegetação é de grande importância para a região, pois reduz os riscos de enchente e evita a formação de dunas móveis.[6]

Referências

  1. «Parque Estadual da Lagoa do Açú». Ministério do Meio Ambiente. Consultado em 13 de janeiro de 2019 
  2. «Parque Estadual da Lagoa do Açú». INEA. Consultado em 13 de janeiro de 2019 
  3. «Trilhas - PELAG». Instituto Estadual do Ambiente. Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  4. «Sobre o Parque - Fauna». Instituto Estadual do Ambiente. Consultado em 30 de janeiro de 2019 
  5. «observação de aves». Instituto Estadual Ambiente. Consultado em 30 de janeiro de 2019 
  6. «Sobre o Parque - Flora». Instituto Estadual do Ambiente. Consultado em 30 de janeiro de 2019