Parque Estadual do Guartelá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Janeiro de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Parque Estadual do Guartelá
Cânion Guartelá
Localização Tibagi, Paraná,  Brasil
Inauguração 1992
Administração Instituto Ambiental do Paraná

O Parque Estadual do Guartelá foi criado em 1992 por decreto estadual. Situa-se dentro da área territorial do município de Tibagi, no Estado do Paraná.[1]

O parque[editar | editar código-fonte]

O Parque Estadual do Guartelá, abriga o canyon Guartelá, considerado o 6.º maior cânion do mundo em extensão, além de ser o único com vegetação nativa.[2] Tibagi está a cerca de 220 km de Curitiba e o parque a cerca de 19 km da cidade de Tibagi e 40 km da cidade de Castro.

A unidade tem como objetivo proteger a biodiversidade regional, preservando as espécies de fauna e flora, buscando erradicações de espécies exóticas e invasoras, controlar erosões, conservar os mananciais de águas e os demais recursos ambientais, além de realizar atividades educacionais, recreativas, científicas, com parcerias com voluntários, escolas, universidades e outros institutos de pesquisa.[2]

São muitos os atrativos naturais presentes no decorrer do parque. É possível contemplar exemplares de patrimônios espeleológico, devido a importante ocorrência de cavernas. Além do mais, o parque tem também cachoeiras, pinturas rupestres e um ecossistema típico da região. A maior parte da vegetação presente na unidade de conservação é composta por campos, remanescentes de cerrado e florestas com araucárias.[2] O cânion é cortado pelo rio Iapó, que deságua no rio Tibagi.[2]

Atrações[editar | editar código-fonte]

Formações em arenito que se assemelham a cabeças de águias no Parque Estadual do Guartelá.
Formação rochosa onde ainda há resquícios de pinturas rupestres.
Exemplo de um panelão do Sumidouro no Parque Estadual do Guartelá.
  • Cânion Guartelá;
  • Cachoeira da Ponte de Pedra;
  • Mirante do Cânion;
  • Trilhas;
  • Pinturas Rupestres;
  • Panelões do Sumidouro;

Visitação[editar | editar código-fonte]

O acesso pode ser realizado pela rodovia PR-340, na altura do quilômetro 42. O Parque funciona de quarta a domingo e feriados nacionais das 9h às 18 horas e não é cobrado taxa de entrada. Para a visita nas pinturas rupestres é necessário a disponibilidade de um condutor local (guia), contratado em uma operadora de turismo na cidade de Tibagi.[2]

A trilha básica tem um percurso de aproximadamente 5 mil metros de extensão e dá acesso ao Mirante do Canyon, à cachoeira Ponte de Pedra e aos panelões do Arroio Pedregulho, onde o local é permitido para banho.[2]

A trilha das pinturas rupestres possui um percurso aproximado de 7,5 mil metros, sendo possível observar no sítio arqueológico as pinturas rupestres com cerca de 7 mil anos.[2] Para a preservação local, ficou determinado que no percurso haja limite de público diário, bem como limite máximo de pessoas por grupos, sempre com guia de turismo credenciado. É estabelecido também horários pré-fixados para a visitação.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Prefeitura Municipal de Tibagi (2013). «Parque Estadual do Guartelá». Site da prefeitura. Consultado em 20 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  2. a b c d e f g h «Visitantes podem escolher entre duas trilhas no Parque Estadual do Guartelá». G1 Paraná. 27 de janeiro de 2015. Consultado em 27 de dezembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Parque Estadual do Guartelá
Ícone de esboço Este artigo sobre um parque é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.