Parque Estadual dos Pirineus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Parque Estadual dos Pirineus
Categoria II da IUCN (Parque Nacional)
Paisagem da Serra dos Pireneus
Localização
País  Brasil
Estado  Goiás
Mesorregião Leste Goiano
Microrregião Entorno do Distrito Federal
Localidades mais próximas Pirenópolis, Cocalzinho de Goiás e Corumbá de Goiás
Dados
Área &0000000000002837.4700002 837,47 hectares (28 4 km2)[1]
Criação 20 de novembro de 1987 (29 anos)
Gestão Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Goiás
Coordenadas 15° 47' 48" S 48° 50' 37" O
Parque Estadual dos Pirineus está localizado em: Brasil
Parque Estadual dos Pirineus
Pico dos Pireneus
Paisagem da Serra dos Pireneus
Entrada do Parque

O Parque Estadual dos Pireneus, também conhecido como Parque dos Pireneus, está localizado entre os municípios de Pirenópolis, Cocalzinho de Goiás e Corumbá de Goiás, no Estado de Goiás.[1]

O parque foi criado em 1987, pela lei 10.321/87, para assegurar a proteção de um dos pontos mais altos do Estado de Goiás, a Serra dos Pireneus. Possui uma área de 2.833,26 ha, com perímetro de 28.118,6 m, e fica a 20 km da cidade de Pirenópolis, por uma estrada de terra, e a 6 km da cidade de Cocalzinho de Goiás. É administrado pelo Estado de Goiás através da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado de Goiás - SEMARH.[2]

Características fisionômicas[editar | editar código-fonte]

O parque dos Pireneus tem como principais características as formações rochosas em arenitos e quartzitos, datadas do período pré-cambriano, que abrigam fitofissionomias rupestres com diversas espécies endêmicas. Quase todo ele situa-se acima dos 1.200 metros de altitude. Apesar de pequeno, encontramos neste parque todas as formas de fitofissionomias do Cerrado: campos e matas rupestres, campos limpos, úmidos e semi-inundáveis, matas semi-caducas, matas de galeria, campos de murundu (parque cerrado), etc.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Como divisor de águas continentais, possui diversas nascentes que alimentam córregos da Bacia do Tocantins e córregos da Bacia do Prata, como, respectivamente, o rio das Almas, que nasce na divisa do Parque, e o rio Corumbá, cuja nascente se encontra bem próxima dos limites do parque.

Visitação[editar | editar código-fonte]

O parque ainda não tem seu plano de manejo regulamentado e a visitação não é controlada. Os pontos mais visitados são: O Pico dos Pireneus, ponto culminante da região, com 1.385 metros de altitude; formações rochosas próximo ao Morro Cabeludo, usadas para a prática de escalada; os Pocinhos do Sonrisal (Córrego Capitão do Mato); e as trilhas para prática de eco-turismo.

É extremamente aconselhável a presença de um guia de turismo local, apesar de não ser obrigatória, Pois não há placas indicativas e nem trilhas demarcadas para os mais belos recantos deste parque. Há guias especializados em Pirenópolis.

Referências

  1. a b Parque Estadual dos Pirineus. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação do Ministério do Meio Ambiente. Página visitada em 12 de janeiro de 2013.
  2. «DECRETO Nº 4.830, DE 15 DE OUTUBRO DE 1997». GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS - Gabinete Civil da Governadoria - Superintendência de Legislação. 15 de outubro de 1997. Consultado em 12 de janeiro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Unidades de Conservação da Natureza é um esboço relacionado ao Projeto Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Cocalzinho de Goiás