Particularismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a corrente da antropologia com este nome, veja Culturalismo.

Particularismo, em política, é o nome que se dá quando o povo de um lugar procura, dentro do Estado, conservar sua identidade, características e autonomia.[1] O sistema é especialmente típico das sociedades medievais.

Gettel, em relação ao período feudal, acentua que a concentração do poder nas sociedades locais era tamanha, que se tratava de "idade da anarquia organizada" em que "o provincialismo estava demasiadamente arraigado no espírito da época." Este autor traduz o particularismo como "indedependência localista".[2]

Um exemplo moderno de particularismo foi o estabelecido pela constituição sudanesa de 1973, que concedeu grande autonomia à região sudoeste do país.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dicionário Aurélio, verbete particularismo.
  2. Gettel, Raymond G.; trad: Eduardo Salgueiro. «Teorias medievais sobre as relações entre os estados». In: Editorial Inquérito. História das Ideias Políticas. 1950 3ª ed ed. (Lisboa [s.n.]). pp. p.168, 170. 
  3. Schulze, Reinhard. «Political Particularism in the Sudan». In: I.B.Tauris. A modern history of the Islamic world. 2002 ilustrada ed. (Nova Iorque [s.n.]). pp. p. 217. ISBN 1860648223. 
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.