Partido Autonomista do Distrito Federal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Partido Autonomista do Distrito Federal (PADF) - do Distrito Federal do Brasil, então a cidade de Rio de Janeiro - foi criado pelo médico Pedro Ernesto, no início de 1933, com a tese de maior autonomia política do Distrito Federal.[1] Venceu no mesmo ano, as eleições para a Assembleia Nacional Constituinte de 1933, quando obteve da mesma a aprovação de suas teses.[1] Era dirigido por um Comitê Central, e organizado em bairros. Tinha grande adesão popular, e foi montado com base na gestão de Ernesto na Interventoria Municipal. Tinha uma linha democrata e progressista, e era combatido por uma oposição conservadora do Partido Economista e do Partido Democrático, bem como pelos comunistas do PCB.

O PADF ainda disputou o pleito municipal de 1935, conseguindo eleger 18 das 20 cadeiras de vereador em disputa, elegendo, assim, por via indireta, como Prefeito da Capital seu líder, Pedro Ernesto, que posteriormente foi afastado em abril de 1936 pelo Presidente Getúlio Vargas, por sua suposta vinculação com a Aliança Nacional Libertadora (ANL), dissolvida após a intentona no ano anterior. [1] O golpe de 10 de novembro de 1937, com a decretação do Estado Novo selou a dissolução de todos os partidos políticos do pais, incluindo-se o PADF.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Fundação Getúio Vargas. «Pedro Ernesto». Consultado em 6 de julho de 2015