Partido Conservador (Reino Unido)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Partido Conservador e Unionista
Conservative and Unionist Party
Partido Conservador (Reino Unido)
Líder Rishi Sunak
Presidente Greg Hands
Fundação 1834 (forma original)
1912 (forma atual)
Sede Millbank, Cidade de Westminster, Londres
 Reino Unido
Ideologia
Espectro político Centro-direita a direita
Antecessor Tory
Membros (2022) Aumento 172 437[4]
Afiliação internacional União Democrata Internacional
Afiliação europeia Partido dos Conservadores e Reformistas Europeus
Câmara dos Comuns
351 / 650
Câmara dos Lordes
267 / 778
Parlamento da Escócia
31 / 129
Parlamento do País de Gales
16 / 60
Assembleia de Londres
9 / 25
Governo local
5 647 / 18 646
Cores      Azul
Página oficial
conservatives.com

O Partido Conservador e Unionista (em inglês: Conservative and Unioist Party), comumente conhecido como Partido Conservador (em inglês: Conservative Party), é um dos dois principais partidos políticos do Reino Unido, juntamente com seu rival, o Partido Trabalhista. No espectro político convencional, está entre a centro-direita[5][6][7] e a direita,[8] englobando várias facções ideológicas, incluindo thatcheristas, tradicionalistas e, em menor número, conservadores paternalistas. É o atual partido do governo, tendo vencido as eleições gerais de 2019, além de governar o Reino Unido desde 2010.

O Partido Conservador foi originalmente fundado em 1834 pelo Partido Tory (motivo pelo qual seus membros e eleitores são conhecidos como "tories") e foi um dos dois partidos políticos dominantes no século XIX, juntamente com o Partido Liberal. Sob Benjamin Disraeli, desempenhou um papel proeminente na política no auge do Império Britânico. Em 1912, o Partido Liberal Unionista fundiu-se com o Partido Conservador para formar o Partido Conservador e Unionista. Desde a década de 1920, o Partido Trabalhista emergiu como o principal rival dos conservadores e a rivalidade política conservador-trabalhista moldou a política britânica moderna no último século.

Nas eleições gerais de 2010, os conservadores formaram um governo de coalizão com os Liberais Democratas.[9][10] Após as eleições gerais de 2015, os conservadores formaram um governo com uma pequena maioria.[11] Uma eleição geral antecipada em 2017 resultou na perda da maioria por parte conservadores e nos mesmos tendo que governar por meio de um acordo de confiança e fornecimento com o Partido Unionista Democrático.[12] Nas eleições gerais de 2019, os conservadores obtiveram uma maioria de 80 assentos, mas uma série de escândalos levou à moção de censura de Boris Johnson, à crise do governo de julho de 2022 e à renuncia do então primeiro-ministro enquanto ele aguardava uma disputa pela liderança.[13] Johnson foi sucedido por Liz Truss, que anunciou sua própria renúncia menos de dois meses depois, após outra crise governamental.[14] Rishi Sunak foi eleito sem oposição como líder do partido em 24 de outubro de 2022.

O partido geralmente adota políticas economicamente liberais favoráveis ao mercado livre desde a década de 1980, embora historicamente tenha defendido o protecionismo. O partido defende o unionismo britânico, opondo-se a uma Irlanda unida, bem como à independência escocesa e galesa. Historicamente, apoiou a continuação e manutenção do Império Britânico. O partido adotou várias abordagens em relação à União Europeia (UE), tornando-se cada vez mais eurocético, com o slogan "Faça o Brexit" (em inglês: "Get Brexit Done"), após a decisão de deixar a UE em um referendo de 2016 realizado durante o governo de David Cameron. Historicamente, adotou uma abordagem socialmente conservadora,[15][16] mas sua política social tornou-se mais moderada, evidenciada pela legalização da união civil entre pessoas do mesmo sexo sob a coalizão conservadora-liberal democrata em 2014,[17] a suspenção da proibição de mulheres em funções de combate nas forças armadas em 2016 sob o governo de Cameron e a legalização da maconha medicinal em 2018 sob o segundo ministério de Theresa May. Na política de defesa, favorece uma forte capacidade militar, incluindo um programa independente de armas nucleares e compromisso com a adesão à OTAN.

A base de votação e apoio financeiro do Partido Conservador historicamente consistiu principalmente em donos de casas, empresários, fazendeiros, incorporadoras imobiliárias e eleitores de classe média, especialmente em áreas rurais e suburbanas da Inglaterra. No entanto, desde o referendo da UE em 2016, os conservadores também visam os eleitores da classe trabalhadora em áreas urbanas de pequeno e médio porte (que tradicionalmente apoiam os trabalhistas), utilizando campanhas políticas direcionadas contra o que eles apontam como danos causados pela liberdade de circulação dos trabalhadores na UE (dentro do Mercado Comum da UE) e a Convenção Europeia de Direitos Humanos.[18][19][20][21]

As filiais do partido em Londres, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte são semi-autônomas. Os conservadores são um dos partidos fundadores da União Democrata Internacional e foram membros fundadores do Partido dos Conservadores e Reformistas Europeus.

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

O Partido Conservador foi fundado na década de 1830. No entanto, alguns escritores traçam suas origens para o rei Carlos I na década de 1620. Outros escritores apontam para uma facção, enraizada no Partido Whig do século XVIII, que se uniu em torno de William Pitt, o Novo, na década de 1780. Eles eram conhecidos como "Whigs independentes", "Amigos do Sr. Pitt" e nunca usaram termos como "Tory" ou "Conservador". Pitt morreu em 1806. A partir de 1812, o nome "Tory" era comumente usado para um novo partido que, segundo o historiador Robert Blake, "são os ancestrais do conservadorismo". Blake acrescenta que os sucessores de Pitt depois de 1812 "não eram de forma alguma expoentes do verdadeiro toryismo".[22]

O termo "conservador" foi sugerido como um titulo para o partido por um artigo de J. Wilson Croker na revista Quarterly Review em 1830.[23] O nome imediatamente pegou e foi oficialmente adotado sob a égide de Sir Robert Peel por volta de 1834. Desde de então, Peel é reconhecido como fundador do Partido Conservador, que ele criou com o anuncio do Manifesto de Tamworth. O termo "Partido Conservador", em vez de Tory, se tornou o uso dominante a partir de 1845.[24][25]

Resultados Eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Líder(es) Cl. Votos % +/- Deputados +/- Status
1835 Robert Peel 2.º 261 269
42,8 / 100,0
273 / 658
Oposição
1837 Robert Peel 2.º 379 694
48,3 / 100,0
Aumento5,5
314 / 658
Aumento41 Oposição
1841 Robert Peel 1.º 306 314
50,9 / 100,0
Aumento2,6
367 / 658
Aumento53 Governo
1847 Edward Smith-Stanley,
14.º Conde de Derby
2.º 205 481
42,7 / 100,0
Baixa8,2
325 / 656
Baixa42 Governo
1852 Edward Smith-Stanley,
14.º Conde de Derby
2.º 311 481
41,9 / 100,0
Baixa0,8
330 / 654
Aumento5 Governo
1857 Edward Smith-Stanley,
14.º Conde de Derby
2.º 239 712
34,0 / 100,0
Baixa7,9
264 / 658
Baixa66 Oposição
1859 Edward Smith-Stanley,
14.º Conde de Derby
2.º 193 232
34,3 / 100,0
Aumento0,3
298 / 654
Aumento34 Oposição
1865 Edward Smith-Stanley,
14.º Conde de Derby
2.º 346 035
40,5 / 100,0
Aumento6,2
289 / 658
Baixa9 Oposição
1868 Benjamin Disraeli 2.º 903 318
38,4 / 100,0
Baixa2,1
271 / 658
Baixa18 Oposição
1874 Benjamin Disraeli 1.º 1 091 708
44,3 / 100,0
Aumento5,9
350 / 652
Aumento79 Governo
1880 Benjamin Disraeli 2.º 1 426 351
42,5 / 100,0
Baixa1,8
237 / 652
Baixa113 Oposição
1885 Robert Gascoyne-Cecil,
3.º Marquês de Salisbury
2.º 2 020 927
43,5 / 100,0
Aumento1,0
247 / 670
Aumento10 Oposição
1886 Robert Gascoyne-Cecil,
3.º Marquês de Salisbury
1.º 1 520 886
51,1 / 100,0
Aumento7,6
394 / 670
Aumento147 Governo
1892 Robert Gascoyne-Cecil,
3.º Marquês de Salisbury
1.º 2 159 150
47,0 / 100,0
Baixa4,1
313 / 670
Baixa81 Governo
1895 Robert Gascoyne-Cecil,
3.º Marquês de Salisbury
1.º 1 894 772
49,0 / 100,0
Aumento2,0
411 / 670
Aumento98 Governo
1900 Robert Gascoyne-Cecil,
3.º Marquês de Salisbury
1.º 1 767 958
50,3 / 100,0
Aumento1,3
402 / 670
Baixa9 Governo
1906 Arthur Balfour 2.º 2 422 071
43,4 / 100,0
Baixa6,9
156 / 670
Baixa246 Oposição
01/1910 Arthur Balfour 1.º 3 104 407
46,7 / 100,0
Aumento3,3
272 / 670
Aumento116 Oposição
12/1910 Arthur Balfour 1.º 2 420 169
46,3 / 100,0
Baixa0,4
271 / 670
Baixa1 Oposição
1918 Andrew Bonar Law 1.º 3 472 738
33,3 / 100,0
Baixa13,0
332 / 707
Aumento61 Governo
1922 Andrew Bonar Law 1.º 5 294 465
38,5 / 100,0
Aumento5,2
344 / 615
Aumento12 Governo
1923 Stanley Baldwin 1.º 5 286 159
38,0 / 100,0
Baixa0,5
258 / 615
Baixa56 Oposição
1924 Stanley Baldwin 1.º 7 418 983
46,8 / 100,0
Aumento8,8
412 / 615
Aumento154 Governo
1929 Stanley Baldwin 1.º 8 252 527
38,1 / 100,0
Baixa8,7
260 / 615
Baixa152 Oposição
1931 Stanley Baldwin 1.º 11 377 022
55,0 / 100,0
Aumento16,9
470 / 615
Aumento210 Governo
1935 Stanley Baldwin 1.º 10 025 083
47,8 / 100,0
Baixa7,2
386 / 615
Baixa83 Governo
1945 Winston Churchill 2.º 8 716 211
36,2 / 100,0
Baixa11,6
197 / 615
Baixa189 Oposição
1950 Winston Churchill 2.º 11 507 061
40,0 / 100,0
Aumento3,8
282 / 625
Aumento85 Oposição
1951 Winston Churchill 2.º 13 717 850
48,0 / 100,0
Aumento8,0
321 / 625
Aumento39 Governo
1955 Anthony Eden 1.º 13 310 891
49,7 / 100,0
Aumento1,7
345 / 630
Aumento24 Governo
1959 Harold Macmillan 1.º 13 750 875
49,4 / 100,0
Baixa0,3
365 / 630
Aumento20 Governo
1964 Alec Douglas-Home 2.º 12 002 642
43,4 / 100,0
Baixa6,0
304 / 630
Baixa61 Oposição
1966 Edward Heath 2.º 11 418 433
41,9 / 100,0
Baixa1,5
253 / 630
Baixa51 Oposição
1970 Edward Heath 1.º 13 145 123
46,4 / 100,0
Aumento4,5
330 / 630
Aumento77 Governo
02/1974 Edward Heath 1.º 11 872 180
37,9 / 100,0
Baixa8,5
297 / 635
Baixa33 Oposição
10/1974 Edward Heath 2.º 10 462 565
35,8 / 100,0
Baixa2,1
277 / 635
Baixa20 Oposição
1979 Margaret Thatcher 1.º 13 697 923
43,9 / 100,0
Aumento8,1
339 / 635
Aumento62 Governo
1983 Margaret Thatcher 1.º 13 012 316
42,4 / 100,0
Baixa1,5
397 / 650
Aumento58 Governo
1987 Margaret Thatcher 1.º 13 760 935
42,2 / 100,0
Baixa0,3
376 / 650
Baixa21 Governo
1992 John Major 1.º 14 093 007
41,9 / 100,0
Baixa0,3
336 / 651
Baixa40 Governo
1997 John Major 2.º 9 600 943
30,7 / 100,0
Baixa11,2
165 / 659
Baixa172 Oposição
2001 William Hague 2.º 8 357 615
31,7 / 100,0
Aumento1,0
166 / 659
Aumento1 Oposição
2005 Michael Howard 2.º 8 784 915
32,4 / 100,0
Aumento0,7
198 / 646
Aumento32 Oposição
2010 David Cameron 1.º 10 703 653
36,1 / 100,0
Aumento3,7
306 / 650
Aumento108 Governo
2015 David Cameron 1.º 11 334 920
36,9 / 100,0
Aumento0,8
331 / 650
Aumento25 Governo
2017 Theresa May 1.º 13 632 914
42,3 / 100,0
Aumento5,4
317 / 650
Baixa13 Governo
2019 Boris Johnson 1.º 13 966 565
43,6 / 100,0
Aumento1,2
365 / 650
Aumento48 Governo

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Data Cl. Votos % +/- Deputados +/-
1979 1.º 6 508 492
48,4 / 100,0
60 / 81
1984 1.º 5 426 886
38,8 / 100,0
Baixa9,6
45 / 81
Baixa15
1989 2.º 5 331 077
34,7 / 100,0
Baixa4,1
32 / 81
Baixa13
1994 2.º 4 428 531
28,0 / 100,0
Baixa6,7
18 / 87
Baixa14
1999 1.º 3 578 218
36,0 / 100,0
Aumento8,0
36 / 87
Aumento18
2004 1.º 4 397 060
26,7 / 100,0
Baixa9,3
27 / 78
Baixa9
2009 1.º 4 198 394
27,9 / 100,0
Aumento1,2
25 / 72
Baixa2
2014 3.º 3 792 549
23,1 / 100,0
Baixa4,8
19 / 73
Baixa6
2019 5.º 1 512 809
8,8 / 100,0
Baixa14,3
4 / 73
Baixa15

Referências

  1. a b c Nordsieck, Wolfram (2019). «United Kingdom» [Reino Unido]. Parties and Elections in Europe (em inglês). Cópia arquivada em 11 de outubro de 2012 
  2. McConnel, James (17 de fevereiro de 2011). «Irish Home Rule: An imagined future» [Home Rule Irlandês: Um futuro imaginado] (em inglês). BBC. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2021 
  3. De Miguel, Rafa (8 de julho de 2019). «Jeremy Hunt, el baluarte del conservadurismo tradicional». El País (em espanhol). Consultado em 25 de junho de 2023 
  4. Wheeler, Brian (5 de setembro de 2022). «Tory membership figure revealed». BBC (em inglês). Consultado em 25 de junho de 2023 
  5. «Tories secure centre-right deal». BBC (em inglês). 30 de junho de 1999 
  6. «AV: latest polls suggest Britain will reject alternative voting». The Daily Telegraph (em inglês). 5 de maio de 2011. Consultado em 25 de junho de 2023 
  7. «Election results across Europe». BBC (em inglês). 8 de junho de 2009. Consultado em 25 de junho de 2023 
  8. J.G. (15 de maio de 2011). «Crime has become the Conservatives' biggest vulnerability». The Economist (em inglês). ISSN 0013-0613. Consultado em 25 de junho de 2023. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2018 
  9. «The 2010 Coalition Government at Westminster» (em inglês). Parlamento do Reino Unido. 11 de maio de 2015. Consultado em 24 de junho de 2023 
  10. Wintour, Patrick (12 de maio de 2010). «David Cameron and Nick Clegg lead coalition into power». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 24 de junho de 2023 
  11. «Election 2015». BBC (em inglês). Consultado em 24 de junho de 2023 
  12. Colombeau, Joseph (29 de junho de 2017). «The 2017 General Election – the numbers behind the result – London Datastore». london.gov.uk (em inglês). Consultado em 24 de junho de 2023 
  13. «The U.K. Is Caught in a Leadership Crisis at the Worst Possible Time». Time (em inglês). 13 de julho de 2022. Consultado em 24 de junho de 2023 
  14. Marx, Willem (20 de outubro de 2022). «British Prime Minister Liz Truss resigns after weeks of criticism and turmoil». National Public Radio. Consultado em 14 de junho de 2023 
  15. Hartley-Brewer, Julia; Barkham, Patrick; Taylor, Ros (25 de julho de 2000). «Section 28». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 25 de junho de 2023 
  16. Special, Keep Sunday (12 de junho de 2020). «Keep Sunday Special: Why Sunday trading regulations need to stay». Conservative Home (em inglês). Consultado em 25 de junho de 2023 
  17. Association, Press (29 de março de 2014). «Britain's first same-sex marriages take place as PM speaks of 'powerful message'». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 25 de junho de 2023 
  18. Woodcock, Andrew (17 de dezembro de 2019). «Tories won more working class votes than Labour amid stark generation gap at general election, poll suggests». The Independent (em inglês). Consultado em 25 de junho de 2023 
  19. Mueller, Benjamin (13 de dezembro de 2019). «How Labour's Working-Class Vote Crumbled and Its Nemesis Won the North». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 25 de junho de 2023 
  20. Garcha, Ciara (3 de abril de 2021). «The Conservatives' attack on the ECHR: A Long Time Coming». Cherwell (em inglês). Consultado em 25 de junho de 2023 
  21. Rentoul, John (22 de outubro de 2021). «How the Tories became the party of the working class». The Independent (em inglês). Consultado em 25 de junho de 2023 
  22. BLAKE, Robert (1997). The Conservative Party from Peel to Major. [S.l.: s.n.] pp. [4] 
  23. SAFIRE, William (2008). Safire's Political Dictionary. [S.l.]: Oxford University Press. pp. [144] 
  24. BULMER-THOMAS, Ivor (1965). The Growth of the British Party System Volume I: 1640–1923. [S.l.: s.n.] pp. 66–81 
  25. PATERSON, David (2001). Liberalism and Conservatism, 1846–1905. [S.l.: s.n.] pp. [5] 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a política do Reino Unido é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.