Partido Pátria Livre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido Pátria Livre
Código Eleitoral 54
Presidente Sérgio Rubens de Araújo Torres
Fundação 21 de abril de 2009 (7 anos)[1]
Registro 4 de outubro de 2011 (4 anos)[2]
Sede São Paulo
Ideologia Nacional-desenvolvimentismo,[3]
Socialismo científico[4]
Nacionalismo de esquerda[3]
Espectro político Esquerda
Publicação Hora do Povo
Ala Jovem Juventude Pátria Livre / Mutirão (JPL)
Membros 32.714
Afiliação internacional Foro de São Paulo
Governadores
0 / 27
Prefeitos
12 / 5 570
Senadores
0 / 81
Deputados federais
0 / 513
Deputados estaduais
0 / 1 049
Vereadores
176 / 56 810
Cores      Verde

     Amarelo

     Vermelho

Site
Página oficial do PPL
Política do Brasil

Partidos políticos

Eleições

O Partido Pátria Livre (PPL) é um partido político do Brasil. Foi fundado em 21 de abril de 2009 e registrado na Justiça Eleitoral em 3 de outubro de 2011. Seu número eleitoral é 54 e suas cores são o verde e o amarelo. Possui cerca de 30 mil filiados no país, sendo São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Ceará os estados onde o PPL tem mais membros.[5] Seu espectro político atual consiste na esquerda e no nacional-desenvolvimentismo.[6] Faz parte, junto com outros partidos da esquerda brasileira, do Foro de São Paulo.[7] Edita o jornal Hora do Povo. Desde 2013, doze municípios do país já são administrados por prefeitos da sigla.[8] Desde outubro de 2012, o partido também já tem uma cadeira no Senado Federal.[9]

A criação do PPL foi impulsionada por membros do Movimento Revolucionário Oito de Outubro (MR-8), uma organização revolucionária, de esquerda radical e guerrilheira, surgida em 1969 com o fim da Dissidência Guanabara (dissidentes do Partido Comunista Brasileiro do Rio de Janeiro) e que a partir dos anos 1980 passa a atuar como uma ala do Movimento Democrático Brasileiro (atual PMDB).[10]

O projeto político do PPL basea-se num forte nacionalismo, referenciado até em Tiradentes.[3] O partido defende o modelo de nacional-desenvolvimentismo. Faz um balanço positivo dos governos de Getúlio Vargas (do antigo PTB) e de Luiz Inácio Lula da Silva.[3] Em contrapartida a sigla faz maiores críticas aos governos de Fernando Henrique Cardoso (do PSDB).[3] Nos últimos tempos, o PPL foi se afastando cada vez mais do governo federal, por diversas críticas à administração de Dilma. Nas eleições presidenciais de 2014, o PPL apoiou a candidatura de Marina Silva (na época filiada ao PSB e hoje à Rede Sustentabilidade) à presidência e aconselhou o voto nulo no segundo turno.

No movimento sindical, o PPL atua através da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), inclusive há muitos anos presidindo-a. No movimento estudantil, organiza-se como Juventude Pátria Livre / Mutirão a qual administrando diversas entidades estudantis pelo país. Recentemente a JPL/Mutirão rompeu a com a União da Juventude Socialista (UJS-PCdoB),passando a construir um novo Campos no interior da UNE com a Juventude Socialista Brasileira (JSB-PSB).

História[editar | editar código-fonte]

Movimento Revolucionário Oito de Outubro[editar | editar código-fonte]

O PPL foi formado a partir do antigo Movimento Revolucionário Oito de Outubro (MR-8), organização surgida em 1966, a partir de uma cisão do Partido Comunista Brasileiro (PCB).[10] Nos anos 1980, contrapondo-se ao imperialismo estadounidense, o MR-8 assume um alinhamento pró-soviético, de caráter stalinista, com propostas nacionalistas, defendendo após o fim da ditadura militar uma coalizão com forças não socialistas e apoiando o Governo Sarney.[10] Seus adversarios do movimento sindical, acusavam o MR-8 de fazer alianças com os setores considerados mais atrasados, este sendo rotulado por parte da esquerda como "fascista", graças as suas práticas que passaram a ser conhecidas pelos seus atos violentos e agressões contra militantes adversários.[10] Assim como o PCB e o PCdoB, o MR-8 era apelidado como "pelego do movimento sindical" pelos seus adversarios, sendo contrário à criação da Central Única dos Trabalhadores (CUT), impulsionada por setores mais radicais da esquerda, muitos desses organizados dentro do Partido dos Trabalhadores (PT).[11] O MR-8 atuou dentro do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) como uma ala deste por mais de 30 anos. Em 1995, um setor do MR-8 rompe com a organização, reclamando de "falta de discussão política" e de "práticas oportunistas de direita". Essa cisão dedicou-se a refundar o Partido Comunista Revolucionário (PCR), criado também nos anos 60.[12]

Rompimento com o PMDB e fundação e registro do PPL[editar | editar código-fonte]

Em 7 de dezembro de 2008, o Comitê Central do MR-8, reunido em São Paulo, lança a chamada "Carta ao Povo Brasileiro", em que analisa a conjuntura nacional e internacional, chegando à conclusão da necessidade da criação de um novo partido. Na carta, o grupo elencou os principais pressupostos do projeto, já com nome decidido, dando o pontapé na busca das 500 mil assinaturas para a sua legalização.[13] Em 21 de abril de 2009, na Assembleia Legislativa de São Paulo e também no Auditório Elis Regina (Anhembi), foram feitos os atos de fundação do Partido Pátria Livre, com aprovação de seu estatuto e de seu programa.[14]

Eleições municipais de 2012[editar | editar código-fonte]

Em 2012 ocorreram as primeiras eleições em que o PPL participou como partido legalizado. O partido teve candidatura própria para prefeitura, em apenas 48 municípios (em todo o Brasil), sendo 9 desses capitais (em negrito são as doze cidades onde o PPL teve vitória)[8][15]: Maceió-AL, Messias-AL, Viçosa-AL, Nova Olinda do Norte-AM, Tapauá-AM, Laranjal do Jari-AP, Cariús-CE, Palmácia-CE, Itaitinga-CE, Aquiraz-CE, Fortaleza-CE, Caucaia-CE, Serra-ES, Cristalina-GO, Novo Gama-GO, Senador Modestino Gonçalves-MG, Ribeirão das Neves-MG, Prudente de Morais-MG, Ataléia-MG, Belo Horizonte-MG, Ouro Verde de Minas-MG, Martinho Campos-MG, Cuiabá-MT, Várzea Grande-MT, Belém-PA, Bayeux-PB, Recife-PE, Jaboatão dos Guararapes-PE, São Raimundo Nonato-PI, Piripiri-PI, Curitiba-PR, Tijucas do Sul-PR, Carlópolis-PR, Itaguaí-RJ, Rio de Janeiro-RJ, São João da Barra-RJ, Sumidouro-RJ, Nova Mamoré-RO, Pedras Altas-RS, Florianópolis-SC, Tomar do Geru-SE, São Vicente-SP, São Carlos-SP, São Paulo-SP, Reginópolis-SP, Cruzeiro-SP, Mogi Guaçu-SP e Cananéia-SP. Através de coligações amplas com partidos de diversas ideologias e origens, as 12 prefeituras tem como vice-prefeitos políticos do PSDB, do DEM, do PP, do PTB, do PV, do PT, do PSB, do PMDB, do PR (em 2) e do próprio PPL (em 2).[16] O partido também apresentou 71 candidatos aptos ao cargo de vice-prefeito, cujas chapas eram encabeçadas (cargo de prefeito) pelo próprio partido (em 28), pelo PT (em 12), pelo PSDB, PP, PMDB e PSB (em 4 cada um), pelo PTB e PDT (em 3 cada um), pelo PR e PPS (em 2 cada um), pelo PSC, PRP, PRTB, PTdoB e PCdoB (em 1 cada um).

Participação do partido nas eleições presidenciais[editar | editar código-fonte]

Ano Candidato a Presidente Candidato a Vice-Presidente Coligação Votos  % Colocação
2014 Marina Silva (PSB) Beto Albuquerque (PSB) PSB, PHS, PRP, PPS, PPL e PSL 22.176.619 21,32

Membros notáveis[editar | editar código-fonte]

  • Sérgio Rubens - presidente do partido e antigo guerrilheiro.
  • Marcus Vinicius - vice-presidente do partido.
  • Ubiraci Dantas de Oliveira (Bira) - membro da executiva nacional e presidente CGTB.
  • João Costa Ribeiro Filho - ex-senador do partido.
  • Miguel Manso
  • Carlos Alberto Pereira
Prefeitos eleitos pelo PPL em 2012
UF Município Candidato pelo PPL Situação Grau de
instrução[17]
Ocupação[18] Partidos
anteriores
Candidato
a vice
Partido
do vice
Coligação[16] Receitas da
campanha[19]
AL Viçosa Flaubert Filho re-eleito Superior
incompleto
Prefeito PTB[20] Manoel dos Passos
Vilela (Vô)
PSDB PPL / PTC / PV / PSDB /
PP / PCdoB / PTdoB
R$ 219.700,00
CE Cariús João Gilvan de Oliveira re-eleito Médio
incompleto
Comerciante PR[21] Willy Iury
Palácio de Oliveira
PT PPL / PTB / PMDB / PSL /
PR / PSB / PSDB / PT
R$ 255.654,76
CE Itaitinga Abel Cercelino
Rangel Junior
eleito Fundamental
completo
Servidor Público
Estadual
PMDB
PRB[22]
Erivanda Nogueira
de Sousa Serpa
PR PPL / PR / PPS / PSDC / PP / PCdoB R$ 130.662,39
CE Palmácia José Sipriano
(Zé da Bodega)
eleito Lê e escreve Agricultor
Vereador
PSDC
PSB[23]
Fernando Xavier
do Nascimento
PPL PPL / PP / PMDB / PSL / PSC /
PR / PHS / PRB / PCdoB
R$ 171.548,96
GO Novo Gama Everaldo Vidal
Pereira Martins
(Everaldo Detran)
eleito Superior
incompleto
Vereador PSDB[24] José Fernando Gomes
Feitoza (Belezinha)
PP PPL / PDT / PT / PMDB / PTN /
PSC / PPS / DEM / PSDC / PRTB/
PHS / PTC / PRP / PP / PCdoB
R$ 292.000,07
MG Ataleia Geraldo Dias Amador
(Dr. Geraldo)
re-eleito Superior
completo
Prefeito PRB[25] José Walter
Sampaio (Valtinho)
PR PPL / PR / PPS / PHS / PRB R$ 29.014,58
MG Martinho Campos Francisco Ludovico de
Medeiros (Chico Mangueira)
re-eleito Fundamental
completo
Prefeito DEM[26] Edimar Antônio
de Oliveira
PV PPL / PSB / PV / PR / PSC / PRP /
PTB / PTdoB / PTC / PDT / PSL / PP
R$ 136.400,00
MG Senador Modestino
Gonçalves
Hernane Araújo Oliveira
(Hernane de Viliu)
eleito Médio
completo
Comerciante PSDB[27] Idomilson dos
Santos Barbosa
DEM PPL / DEM / PTC / PMDB R$ 58.105,00
PR Carlópolis Marcos Antônio
David (Pezão)
eleito Médio
completo
Agricultor[28] DEM[28] Rosângela Carvalho
Custódio (Rosa)
PMDB PPL / PTB / PMDB / PT R$ 97.133,42
RS Pedras Altas Gabriel de Lellis Junior re-eleito Superior
completo
Médico
Prefeito[29]
PSDB[29] Jair Luis
Bellini
PPL PPL / PT R$ 14.391,60
SE Tomar do Geru Augusto Soares
Diniz (Augustinho)
eleito Médio
completo
Empresário
Vice-prefeito
PFL, PT[30] Valdinho da Silva Soares
(Val de Berro Grosso)
PSB PPL / PT / PMDB / PMN /
PSB / PV / PP / PSD
R$ 46.685,00
SP Reginópolis Azor Veríssimo eleito Superior
completo
Aposentado - Adécio Guandalin
Decinho
PTB PPL / PTB / PMDB / PP R$ 14.017,76
Vice-prefeitos eleitos pelo PPL em 2012
UF Município Candidato pelo PPL Situação Grau de
instrução[17]
Ocupação[18] Partidos
anteriores
Titular da chapa
(cargo de prefeito)
Partido
do titular
Coligação[16] Receitas da
campanha[19]
AM Nhamundá Cleudo Oliveira
Tavares (Mantegão)
eleito Médio
completo
Vereador PMDB[31] Gledson Hadson
Paulain Machado
(Nene Machado)
PDT PPL / PDT / PSL / PHS R$ 56.325,00
CE Canindé Francisco Paulo
Santos Justa
situação Médio
completo
Empresário PR[32] Francisco Celso
Crisostomo Secundino
PT PPL / PT / PSL / PMN /
PSB / PCdoB / PTdoB
R$ 259.261,41
CE Pacatuba Marcelo Rodrigues
Augusto Lima
situação Superior
completo
Médico, Vereador PRB[33] Alexandre Magno
Medeiros Alencar
PSB PPL / PDT / PT /
PMDB / PHS / PSB
R$ 179.277,50
CE Palmácia Fernando Xavier
do Nascimento
situação Superior
completo
Servidor Público Municipal, Vereador PSB[34] José Maria
Bezerra Sipriano
(Zé da Bodega)
PPL PPL / PRB / PP / PMDB /
PSL / PSC / PR / PHS / PCdoB
R$ 171.548,96
MG Araçuaí Rita de Cássia
Silva Capdeville
situação Superior
completo
Médica - Armando
Jardim Paixão
PT PPL / PT / PCdoB /
PSL / PPS / PHS
R$ 86.869,33
MG Arinos Willian Furtado Valadades
(Willian do Café)
situação Médio
completo
Empresário, Vereador DEM[35] Roberto Sales PMDB PPL / PRB / PP / PT / PV /
PMDB / PSC / PMN / PCdoB
R$ 177.924,69
MG Bonito de Minas José Pedro Pires
da Rocha (Zé Galego)
eleito Fundamental
completo
Vereador PDT[36] José Reis
Nogueira de Barros
PPS PPL / PRB / PP / PTB /
PMDB / PTN / PPS / DEM /
PSB / PRP / PSDB / PCdoB / PTdoB
R$ 90.831,41
MG Coronel Fabriciano Bruno Morais de
Oliveira Torres
situação Superior
completo
Advogado - Rosângela
Mendes Alves
PT PPL / PT / PTC / PRP R$ 727.936,01
MT Luciara Elizeth Nunes
de Sousa
situação Superior
completo
Comerciante, Vereadora PMDB[37] Fausto Aquino de
Azambuja Filho
(Faustinho)
PSB PPL / PDT / PT / PPS /
PSB / PRP / PSD / PCdoB
R$ 23.394,92
PI São Miguel do Tapuio Jorgevânio Soares
de Morais
situação Superior
completo
Advogado, Vereador PTB[38] José Lincoln
Sobral Matos
PTB PPL / PDT / PTB / PPS /
DEM / PRTB / PSDB
R$ 73.485,30
PR Campina Grande
do Sul
Nilson de Jesus
Pires Falavinha
situação Superior
incompleto
Servidor Público Municipal, Vereador PDT[39] Luiz Carlos
Assunção
PSB PPL / PP / PT / PTB /
PMDB / PPS / PSDC /
PMN / PTC / PSB
R$ 592.578,50
RS Herval Luiz Alberto
Soares Perdomo
(Bebeto)
eleito Médio
completo
Vereador PDT[40] Ildo Roberto
Lemos Sallaberry
PP PPL / PP / PT /
DEM / PSDB
R$ 71.600,70
RS Pedras Altas Jair Luis
Bellini
situação Fundamental
incompleto
Agricultor - Gabriel de
Lellis Junior
PPL PPL / PT R$ 14.391,60
RS Tupanciretã Gustavo Simões
Lírio (Pato)
situação Superior
completo
Mecânico de
Manutenção, Vereador
PDT[41] Carlos Augusto
Brum de Souza (Guga)
PP PPL / PRB /
PP / PPS / DEM
R$ 66.262,79
SP Campo Limpo Paulista Marcos Robert
Martins (Marcão)
eleito Superior
completo
Vereador PV[42] José Roberto
de Assis
PR PPL / PMDB / PTN /
PSC / PR / PCdoB / PTdoB
R$ 176.175,00
SP Piquete Hamilton Leite
da Silva
situação Superior
completo
Médico - Ana Maria de
Gouvea (Teca)
PT PPL / PRB / PT / PHS /
PSDC / PCdoB / PTdoB
R$ 68.765,73
TO Nazaré João Edvan
Vieira de Almeida
situação Superior
completo
Professor de
Ensino Fundamental
PSDB[43] Clayton Paulo
Rodrigues
PTB PPL / PP / PDT /
PTB / PMDB / PSB
R$ 100.604,01

Movimento Estudantil: Juventude Pátria Livre[editar | editar código-fonte]

Assim como o MR-8 tinha seu braço estudantil, chamado de Juventude Revolucionária Oito de Outubro (JR-8), o PPL tem uma colateral chamada de Juventude Pátria Livre (JPL). A atuação da JPL se baseia no programa do partido e também busca a formação de frentes amplas nas suas lutas. A JPL (que às vezes utiliza o nome de "Mutirão") compreende que seus militantes devem priorizar a atuação em tradicionais entidades estudantis como a União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), a UGES (no Rio Grande do Sul) e a UMES (na cidade de São Paulo).[44]

A Juventude Pátria Livre recentemente a rompeu a com a União da Juventude Socialista (UJS-PCdoB),passando a construir um novo Campos no interior da UNE com a Juventude Socialista Brasileira (JSB-PSB) e o Juventude Socialista (JS-PDT).

Com relação às gigantescas manifestações ocorridas em todo o país em 2013, também conhecidas como Jornadas de Junho, a JPL (e as entidades dirigidas por ela) as entende de forma pessimista.[45] A UMES repudiou as manifestações e negou-se a comparecer a elas, por entendê-las como antinacionais, antidemocráticas, violentas e de vandalismo.[45]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Partido Pátria Livre pede registro no TSE». jb.com.br. Consultado em 28 de agosto de 2011. 
  2. Tribunal Superior Eleitoral (TSE). «TSE - Partidos políticos registrados no TSE». Consultado em 7 de novembro de 2015. 
  3. a b c d e «Programa do Partido Pátria Livre». Site do PPL. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  4. «Estatuto do PPL». partidopatrialivre.org.br. Consultado em 28 de agosto de 2011. 
  5. «Eleições / Estatísticas / Filiados». TSE. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  6. «PPL é fundado em Itapira». Portal Cidade de Itapira. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  7. «Partidos membros do Foro de São Paulo». Foro de São Paulo. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  8. a b «Participação do partido nas eleições de 2012». site do PPL. Consultado em 25 de dezembro de 2012. 
  9. «Senador do PPL toma posse e cita Oswaldo Montenegro». diáriodepernambuco. Consultado em 25 de dezembro de 2012. 
  10. a b c d «História das Tendências no Brasil (Origens, Cisões e Propostas), 2ª edição». DA SILVA, Antonio Ozai. Consultado em 25 de dezembro de 2012. 
  11. «História das Lutas dos Trabalhadores no Brasil». GIANNOTTI, Vito. Consultado em 25 de dezembro de 2012. 
  12. «Grupo do MR-8 cria PCR». Folha de S.Paulo. Consultado em 25 de dezembro de 2012. 
  13. «Carta ao Povo Brasileiro do MR-8» (PDF). Sítio do PPL-RS. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  14. «21 de abril de 2009: Ato de fundação do Partido Pátria Livre». Sítio do PPL. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  15. «Estatísticas de Candidaturas - Cargo/Partido». TSE. Consultado em 25 de dezembro de 2012. 
  16. a b c «Estatísticas de Candidaturas - Cargo/Partido/Coligação/Sexo». TSE. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  17. a b «Estatísticas de Candidaturas - Cargo/Grau de instrução». TSE. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  18. a b «Estatísticas de Candidaturas - Cargo/Ocupação». TSE. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  19. a b «Relação de financiamento das campanhas políticas». Às Claras. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  20. «Resultado das eleições de 2008 em Viçosa-AL». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  21. «Resultado das eleições de 2008 em Caríus-CE». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  22. «Dados de 2008 do candidato Abel». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  23. «Resultado das eleições de 2008 em Palmácia-CE». UOL Eleições 2008. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  24. «Dados de 2008 do candidato Everaldo Detran». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  25. «Resultado das eleições de 2008 em Ataleia-MG». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  26. «Dados de 2008 do candidato Chico Mangueira». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  27. «Resultado das eleições de 2008 em Senador Modestino Gonçalves-MG». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  28. a b «Dados de 2008 do candidato Pezão». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  29. a b «Dados de 2008 do candidato Gabriel». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  30. «Dados de 2008 do candidato Augustinho». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  31. «Dados de 2008 do candidato Cleudo». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  32. «Dados de 2008 do candidato Paulo Justa». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  33. «Dados de 2008 do candidato Marcelo Lima». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  34. «Dados de 2008 do candidato Fernando». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  35. «Dados de 2008 do candidato Willian do Café». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  36. «Dados de 2008 do candidato Zé Galego». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  37. «Dados de 2008 do candidato Elizeth». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  38. «Dados de 2008 do candidato Jorgevânio». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  39. «Dados de 2008 do candidato Falavinha». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  40. «Dados de 2008 do candidato Bebeto». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  41. «Dados de 2008 do candidato Pato». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  42. «Dados de 2008 do candidato Marcão». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  43. «Dados de 2008 do candidato Edvan». UOL Eleições. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  44. «Manifesto da JPL». Sítio da JPL. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  45. a b «Balançou Geral». Sítio da JPL. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  46. a b c d e f «Coordenação da Juventude Pátria Livre». Sítio da JPL. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  47. «Diretoria da UNE». Sítio da UNE. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  48. a b «Diretoria da UGES». Sítio da UGES. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  49. a b c «800 estudantes participam da Conferência de Juventude de PoAacessodata=13 de abril de 2014». Sítio da UGES. 
  50. «Diretoria da UMESPA». Sítio da UMESPA. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  51. a b c d e «Diretoria da UMES». Sítio da UMES. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  52. «PPL de Porto Alegre apóia Adão Villaverde». Sítio do PPL-RS. Consultado em 13 de abril de 2014. 
  53. «PPL de Sapucaia do Sul confirma apoio a Vilmar Ballin, e juventude lança candidato para vereador». Sítio do PPL-RS. Consultado em 13 de abril de 2014.