Partido Republicano Baiano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Partido Republicano Baiano
Fundação janeiro de 1927
Ideologia Republicanismo
Antecessor Concentração Republicana da Bahia
Sucessor Liga de Ação Social e Política

Partido Republicano Baiano (PRB) foi um partido político brasileiro fundado em janeiro de 1927.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A fundação do PRB remonta à criação da Concentração Republicana da Bahia (CRB) no início da década de 1920.[1]

Concentração Republicana da Bahia[editar | editar código-fonte]

Sua criação ocorreu durante a presidência de Artur Bernardes. Era época de crise para o grupo de José Joaquim Seabra. Ele predominava na política baiana desde 1912 e candidatou-se a vice-presidente na chapa de Nilo Peçanha na eleição de 1922 e perdeu. A derrota eleitoral impactou internamente o partido de Seabra, o Partido Republicano Democrata (PRD). Uma dissidência se formou e associou-se à aliados de Bernardes para fundar a Concentração Republicana da Bahia, com vistas às eleições parlamentares federais de 4 de fevereiro de 1923. Meses depois, em dezembro, a eleição para o governo da Bahia levou Góis Calmon, candidato da CRB, ao cargo máximo do Executivo estadual. Tal fato levou ao crescimento do partido, tanto em número de filiados, quanto em número de facções internas, destacando-se a dos calmonistas, dos mangabeiristas e dos ex-seabristas. Com a disputa interna partidária e a retirada de apoio de Seabra a Calmon na véspera da eleição, a política baiana desestabilizou-se.[1]

Partido Republicano Baiano[editar | editar código-fonte]

Com cenário desestabilizado, Calmon, agora governador, a fim da pacificação política e visando às eleições parlamentares federais e estaduais funda o Partido Republicano Baiano em janeiro de 1927. O PRB foi formado, então, por políticos jovens de alta escolaridade e prosseguindo as três facções anteriores no comando da política estadual. Por outro lado, aos chefes tradicionais coube a política local dos municípios. Dessa forma, o partido dominou a política baiana, sem grandes opositores, até a Revolução de 1930. A partir desse episódio, o PRB passou a ser oposição. Os principais líderes do partido estavam em importantes cargos e foram destituídos após 1930.[1]

Em fins de 1932, Otávio Mangabeira, apesar de exilado, junto a aliados e lideranças do PRB organizaram a fundação da Liga de Ação Social e Política (LASP), cuja principal reivindicação era um baiano civil no comando do estado.[2]

Principais membros[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r ABREU, Alzira Alves de. «PARTIDO REPUBLICANO BAIANO» (PDF). Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  2. CARVALHO, Patrícia Carneiro Santos Moreira de (2005). «JURACY MAGALHÃES E A CONSTRUÇÃO DO JURACISISMO: UM PERFIL DA POLÍTICA BAIANA» (PDF). Consultado em 8 de fevereiro de 2014. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  3. FORTES, José (9 de dezembro de 2008). «A Aliança Liberal e o tenentismo». meionorte.com. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  4. BRAGA, Sérgio Soares (1998). «Quem foi quem na Assembléia Constituinte de 1946» (pdf). Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  5. CALDAS, Lucas (5 de fevereiro de 2014). «Acervo dos jornalistas Aloísio de Carvalho e Aloísio de Carvalho Filho será doado à Fundação Pedro Calmon». Consultado em 8 de fevereiro de 2014 [ligação inativa]