Partido Republicano da Ordem Social

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Partido Republicano da Ordem Social
Número eleitoral 90[1]
Presidente Eurípedes Júnior[1]
Fundação 4 de janeiro de 2010 (11 anos)[2]
Registro 24 de setembro de 2013 (8 anos)[1]
Sede Brasília, DF
Ideologia Liberalismo social
Partido pega-tudo[3]
Republicanismo
Espectro político Centro[4][5][6]
• pouco definido[7]
Publicação Revista Política & Prosa
Think tank Fundação da Ordem Social
Ala jovem Juventude do PROS (JPROS)
Membros (2021) 123.671 filiados[8]
Governadores (2021)[9]
0 / 27
Prefeitos (2020)[10]
42 / 5 568
Senadores (2021)[11]
3 / 81
Deputados federais (2021)[12]
11 / 513
Deputados estaduais (2021)
23 / 1 024
Vereadores (2020)[13]
754 / 56 810
Cores      Azul
     Laranja
     Branco
Página oficial
pros.org.br
Política do Brasil

Partidos políticos

Eleições

O Partido Republicano da Ordem Social (PROS) é um partido político do Brasil fundado em 2010 e registrado definitivamente em 2013[2][1]. Seu número eleitoral é o 90 e suas cores são o azul e o laranja. Em abril de 2021 possuía 123 671 filiados.[8] O partido apoiou as candidaturas presidenciais do PT nas eleições de 2014 e de 2018. Durante o governo do presidente Jair Bolsonaro, o PROS apresentou alinhamento de 80% com o mesmo nas votações do congresso nacional (até abril de 2021).[14]

História[editar | editar código-fonte]

O PROS foi fundado em 4 de janeiro de 2010 em Planaltina, Goiás, pelo ex-vereador da cidade Eurípedes Júnior.[2][15] Recebeu registro oficial pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 24 de setembro de 2013.[2] Em outubro, o partido recebeu a filiação de 14 deputados federais,[16] do então governador Cid Gomes (CE) e seu irmão e ex-ministro Ciro Gomes.[17] Em abril de 2014 recebeu a filiação do então governador José Melo (AM).[18]

Na eleição presidencial de 2014, o PROS apoiou a reeleição Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB), compondo a coligação "Com a Força do Povo".[19] Nesse ano o PROS reelegeu o governador José Melo (AM) e elegeu as vice-governadoras Cida Borghetti (PR) e Izolda Cela (CE), 11 deputados federais e 31 deputados estaduais.[20]

Na eleição presidencial de 2018, o PROS novamente deu apoio ao PT, dessa vez representado pelas candidaturas de Fernando Haddad (PT) e Manuela D'Ávila (PCdoB) e pela coligação "O Povo Feliz de Novo". O PROS chegou a receber 4,5 milhões de reais do PT, repassados apenas para candidaturas femininas, com a candidata a deputada federal Clarissa Garotinho recebendo R$ 700 mil.[21] Nesse ano o PROS elegeu os vice-governadores Jaime Nunes (AP) e Lincoln Tejota (GO), o senador Eduardo Girão (CE), 8 deputados federais e 20 deputados estaduais.[9] Onze dias após o primeiro turno, o presidente e fundador do partido teve prisão temporária decretada pela Polícia Federal, em ação que apura desvios na prefeitura de Marabá, no estado do Pará. Eurípedes não foi localizado pela polícia e foi considerado foragido.[22]

Nas eleições municipais de 2020, o partido elegeu 41 prefeitos e 754 vereadores.[10][13] Em Fortaleza (CE), o candidato a prefeito do PROS Capitão Wagner chegou ao segundo turno tentando não divulgar o apoio recebido pelo presidente Jair Bolsonaro,[23] mas acabou não se elegendo. Ao ter recebido apenas 1,33% dos votos válidos para prefeitos no primeiro turno, o PROS ficou entre os partidos que podem tender a não atingir os 2,0% de votos válidos para deputados federais em 2022, esbarrando na segunda etapa da cláusula de barreira.[24]

Organização[editar | editar código-fonte]

Parlamentares atuais[editar | editar código-fonte]

Desempenho eleitoral[editar | editar código-fonte]

Eleições estaduais[editar | editar código-fonte]

Participação e desempenho do PROS nas eleições estaduais de 2018[25]
  Candidatos majoritários eleitos (11 governadores e 17 senadores).
Em negrito estão os candidatos filiados ao PROS durante a eleição.
Os cargos obtidos na Câmara Federal e nas Assembleias Legislativas são referentes às coligações proporcionais que o PROS compôs.
Tais coligações não são necessariamente iguais às coligações majoritárias e geralmente são menores.
Não estão listados os futuros suplentes empossados.
UF Candidatos(as) a Governador(a) e a Vice Candidatos(as) a Senadores(as) Coligação majoritária
(governo e senado)
Deputados(as) federais eleitos(as) — 58 Deputados(as) estaduais eleitos(as) — 107
AC Marcus Alexandre (PT) Jorge Viana (PT) PROS / PT / PDT / PRB / PV / PODE / PCdoB / PSB / PHS / PRTB / DC / PPL / PMB / PSOL 1 PRB Maria Antonia (PROS)
+ 1 PRB, 1 PODE
Emylson Farias (PDT) Ney Amorim (PT)
AL Pinto de Luna (PROS) Rodrigo Cunha (PSDB) PROS / PSC / PSDB / PTC / PP / PSB / REDE / DEM / PRB 1 PSB, 1 PP, 1 PRB, 1 PSDB Bruno Toledo (PROS)
+ 4 PP, 2 PSDB, 1 DEM
Jorge VI (PSDB) Benedito de Lira (PP)
AM David Almeida (PSB) ninguém PROS / PSB / PMN / PODE / PMB ninguém 1 PSB
Chico Preto (PMN)
AP Waldez Góes (PDT) Lucas Barreto (PTB) PROS / PDT / PTB / MDB / DC / PRB / PCdoB / PRP / PTC / PMB Acácio Favacho (PROS)
+ 1 PCdoB
1 PTB, 1 PMB
Jaime Nunes (PROS)
BA Rui Costa (PT) Jacques Wagner (PT) PROS / PT / PP / PDT / PSD / PSB / PCdoB / PR / PRP / PMB / PMN / PODE / PTC / Avante 2 Avante 10 PT, 9 PSD, 7 PP, 4 PSB, 3 PDT, 1 PR, 1 PODE, 1 PRP, 1 Avante
João Leão (PP) Angelo Coronel (PSD)
CE General Theophilo (PSDB) Eduardo Girão (PROS) PROS / PSDB Capitão Wagner (PROS),
Vaidon Oliveira (PROS)
Soldado Noélio (PROS),
Vitor Valim (PROS)
Emília Pessoa (PSDB) Dra. Mayra (PSDB)
DF Eliana Pedrosa (PROS) Juiz Everardo Ribeiro (PMN) PROS / PTB / PMN / PHS / PTC / PMB / Patriota ninguém Fernando Fernandes (PROS),
Telma Rufino (PROS)
Alírio Neto (PTB) Walisson Nascimento (PTB)
ES Renato Casagrande (PSB) Marcos do Val (PPS) PROS / PSB / PSDB / DEM / PPS / PCdoB / PV / DC / SD / PP / PTC / PDT / PPL / PRP / PSD / PHS / PSC / Avante 1 PPS, 1 PP Raquel Lessa (PROS)
+ 1 PP
Jacqueline Moraes (PSB) Ricardo Ferraço (PSDB)
GO Ronaldo Caiado (DEM) Jorge Kajuru (PRP) PROS / DEM / PRP / PSC / PMB / PR / PODE / DC / PSL / PMN / PTC / PRTB / PDT 2 DEM, 1 PSC, 1 PDT, 1 PRP, 1 PODE Cairo Salim (PROS),
Rubens Marques (PROS),
Vinicius Cirqueira (PROS)
Lincoln Tejota (PROS) Wilder Morais (DEM)
MA Flávio Dino (PCdoB) Weverton Rocha (PDT) PROS / PCdoB / PDT / PT / PSB / PPS / PTB / PRB / PR / DEM / PP / PTC / SD / PPL / Avante / Patriota 2 PCdoB, 1 PTB, 1 PRB, 1 PSB, 1 DEM Pastor Cavalcante (PROS)
+ 1 PTB
Carlos Brandão (PRB) Eliziane Gama (PPS)
MG Adalclever Lopes (MDB) Fábio Cherem (PDT) PROS / MDB / PDT / PV / PODE / PRB Eros Biondini (PROS),
Weliton Prado (PROS)
Elismar Prado (PROS)
Adriana Buzelin (PV)
MS Reinaldo Azambuja (PSDB) Nelsinho Trad (PTB) PROS / PSDB / DEM / PPS / PP / PMB / PSB / PSD / PSL / PTB / PMN / SD / Avante / Patriota 2 PSL 5 PSDB, 2 DEM
Murilo Zauith (DEM) Marcelo Miglioli (PSDB)
MT Wellington Fagundes (PR) Adilton Sachetti (PRB) PROS / PR / PV / PRB / PCdoB / PODE / PP / PT / PMN / PTB 1 PTB, 1 PODE, 1 PP, 1 PT João Batista (PROS)
+ 1 PP
Sirlei Theis (PV) Professora Maria Lúcia (PCdoB)
PA Helder Barbalho (MDB) Jader Barbalho (MDB) PROS / MDB / PR / PP / PSD / PRB / PTB / PSC / PODE / PSL / PHS / DC / PMB / PTC / Avante / Patriota ninguém 2 PTB, 1 PSL
Lúcio Vale (PR) Zequinha Marinho (PSC)
PB João Azevêdo (PSB) Veneziano Vital (PSB) PROS / PSB / PDT / PT / DEM / PR / PODE / PRP / PMN / PRB / PCdoB / PPS / REDE / PTB / Avante ninguém 4 Avante
Lígia Feliciano (PDT) Luiz Couto (PT)
PE Maurício Rands (PROS) Silvio Costa (Avante) PROS / Avante / PDT 2 PDT 1 PDT, 1 Avante
Isabella Roldão (PDT) Lídia Brunes (PROS)
PI Fábio Sérvio (PSL) Antônio José Lira (PSL) PROS / PSL ninguém ninguém
Carlos Pinho (PROS) Elizeu Aguiar (PSL)
PR Cida Borghetti (PP) Alex Canziani (PTB) PROS / PP / PSDB / PSB / PMN / DEM / PTB / PMB Boca Aberta (PROS),
Toninho Wandscheer (PROS)
+ 2 PSB, 2 PP, 1 DEM, 1 PTB
Homero Marchese (PROS),
Soldado Fruet (PROS)
+ 1 PMN
Coronel Malucelli (PMN) Beto Richa (PSDB)
RJ Wilson Witzel (PSC) Pastor Everaldo (PSC) PROS / PSC Clarissa Garotinho (PROS)
+ 1 PSC
Subtenente Bernardo (PROS)
Cláudio Castro (PSC)
RN Robinson Faria (PSD) Geraldo Melo (PSDB) PROS / PSD / PRB / PSDB / PRB / PMB / PTC / PSB / PRP / Avante / PPS 1 PTC, 1 PR, 1 PSB, 1 PSD Albert Dickson (PROS)
+ 5 PSDB, 2 PSD, 1 PR
Tião Couto (PRB)
RO Mauro de Carvalho (MDB) Confúcio Moura (MDB) PROS / MDB / PMN / PODE / PCdoB / PHS / PSC / PV ninguém Anderson Pereira (PROS)
Wagner de Freitas (MDB) Valdir Raupp (MDB)
RR Antônio Denarium (PSL) Mecias de Jesus (PRB) PROS / PSL / PTC / PRB / PRP / PSC / PPL / Patriota ninguém 2 Patriota
Frutuoso Lins (PTC) Pastor Isamar Ramalho (PSL)
RS ninguém Carmen Flores (PSL) PROS / PSL / DEM 3 PSL, 1 DEM ninguém
SC Gelson Merisio (PSD) Esperidião Amin (PP) PROS / PSD / DEM / PP / PCdoB / PDT / PRB / PSB / PV / SD / PODE / PSC / PHS / PRP / PPL ninguém 1 PV
João Paulo Kleinübing (DEM) Raimundo Colombo (PSD)
SE Valadares Filho (PSB) Antônio Carlos Valadares (PSB) PROS / PSB / PDT / PPL / PTB / PRP 1 PDT 1 PSB
Sílvia Fontes (PDT) Henry Clay (PPL)
SP Márcio França (PSB) Maurren Maggi (PSB) PROS / PSB / PR / PSC / PODE / PTB / PV / PMB / PHS / PPL / PRP / PSC / SD / Avante / Patriota ninguém Adriana Borgo (PROS)
Coronel Eliane Nikoluk (PR) Mário Covas Neto (PODE)
TO Mauro Carlesse (PHS) Eduardo Gomes (SD) PROS / PHS / SD / PP / DEM / PTC / PRB / Avante / Patriota 2 SD, 2 DEM Professor Junior Geo (PROS)
+ 3 SD, 1 PTC, 1 PHS, 1 DEM, 1 PP
Wanderlei Barbosa (PHS) César Halum (PRB)

Eleições presidenciais[editar | editar código-fonte]

Ano Imagem Candidato(a) a Presidente Candidato(a) a Vice-Presidente Coligação Votos Posição
2014
Dilma Rousseff 2011.jpg
Dilma Rousseff
(PT)
Michel Temer
(PMDB)
Com a Força do Povo
PT, PMDB, PSD, PP, PR, PROS, PDT, PCdoB e PRB
54.495.459 (51,64%)
2018
Fernando Haddad Prefeito 2016.jpg
Fernando Haddad
(PT)
Manuela d'Ávila
(PCdoB)
O Povo Feliz de Novo
PT, PROS e PCdoB
47 039 579 (44,87%)

Referências

  1. a b c d «Partidos políticos registrados». TSE. Consultado em 27 de maio de 2021 
  2. a b c d «TSE confirma criação do PROS, 31º partido do país». G1. 24 de setembro de 2013. Consultado em 27 de maio de 2021 
  3. Bragon, Ranier (26 de setembro de 2013). «'Tem de tudo aqui dentro', afirma fundador do PROS». Folha de S. Paulo. Consultado em 27 de maio de 2021 
  4. Vasconcellos, Fábio (29 de março de 2016). «Maioria dos partidos se posiciona como de Centro. Veja quem sobra no campo da Direita e da Esquerda». O Globo. Consultado em 27 de maio de 2021 
  5. Shalders, André (11 de setembro de 2017). «Direita ou esquerda? Análise de votações indica posição de partidos brasileiros no espectro ideológico». BBC Brasil. Consultado em 27 de maio de 2021 
  6. Sardinha, Edson; Costa, Sylvio (1 de fevereiro de 2019). «Direita cresce e engole o centro no Congresso mais fragmentado da história». Congresso em Foco. UOL. Consultado em 27 de maio de 2021 
  7. Nunes, Fernanda; Piltcher, Antônio (30 de janeiro de 2021). «Partidos em números: PMB e PROS». Pindograma. Consultado em 27 de maio de 2021 
  8. a b c «Estatísticas do eleitorado – Eleitores filiados». TSE. Consultado em 27 de maio de 2021 
  9. a b c d e Matsuki, Edgard (28 de outubro de 2018). «Eleições 2018: Confira lista completa dos candidatos eleitos». EBC. Consultado em 27 de maio de 2021 
  10. a b c «Resultados da eleição municipal de 2020 para as prefeituras». PATRI/Datapedia. Consultado em 27 de maio de 2021 
  11. «Senadores em Exercício 56ª Legislatura (2019 - 2023)». Senado Federal. Consultado em 27 de maio de 2021 
  12. «Bancada dos partidos». Câmara dos Deputados. Consultado em 27 de maio de 2021 
  13. a b c Vasconcellos, Fábio (17 de novembro de 2020). «DEM, PP e PSD aumentam número de vereadores no Brasil; MDB, PT, PSDB, PDT e PSB registram redução». G1. Consultado em 27 de maio de 2021 
  14. «Radar do Congresso». Congresso em Foco. 23 de abril de 2021. Consultado em 27 de maio de 2021 
  15. Almeida, Lucas Macedo (novembro de 2014). «Que partidos são esses? Uma discussão sobre o surgimento dos partidos brasileiros entre 2011 e 2014» (PDF). Universidade de Brasília. Consultado em 27 de maio de 2021 
  16. «Mesa da Câmara confirma troca de partido de 52 deputados». EBC. 7 de outubro de 2013. Consultado em 13 de março de 2021 
  17. «Cid Gomes anunciará saída do PSB e filiação ao PROS». Diário de Pernambuco. 30 de setembro de 2013 
  18. «PROS ganha mais um governador». PROS. 4 de abril de 2014 
  19. «Dilma Rousseff é reeleita presidenta do Brasil». EBC. 26 de outubro de 2014. Consultado em 13 de março de 2021 
  20. «PROS nas Eleições 2014». PROS. 6 de outubro de 2014. Consultado em 13 de março de 2021 
  21. «PT destina R$ 4,5 mi a partido aliado que deu votos a impeachment de Dilma». Folha. Consultado em 13 de março de 2021 
  22. «Alvo de ação da PF, presidente do PROS está foragido; sete são presos». G1 
  23. «Em Fortaleza, candidato apoiado por Bolsonaro tenta se descolar da imagem do presidente». EBC. 18 de outubro de 2020. Consultado em 13 de março de 2021 
  24. Freitas, Carolina (2 de dezembro de 2020). «Dezesseis partidos podem parar na cláusula de barreira em 2022». Valor Econômico. Consultado em 27 de maio de 2021 
  25. «Repositório de Dados Eleitorais». TSE. Consultado em 27 de maio de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]