Passeio das Águas Shopping

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Passeio das Águas Shopping
Localização Av. Perimentral Norte nº 8303 - Goiânia, Goiás, Brasil
Inauguração 30 de outubro de 2013 (6 anos)
Slogan "O shopping do tamanho de Goiás"
"O Gigante de Goiás"
Proprietário Aliansce Sonae
Administração Aliansce Sonae
Números
Lojas 256
Área locável 78,1 mil m²
Estacionamento 4.000 vagas
Andares 2
Salas de
cinema
07 salas Cinemark
Página oficial Passeiodasaguasshopping.com.br

O Passeio das Águas é o maior shopping center do estado de Goiás e da região Centro-Oeste do Brasil. Com um total de 78 mil m² de ABL e mais de 250 mil m² de área total construída, incluindo 4.000 vagas de estacionamento.[1][2][3]

Localizado na região Norte de Goiânia, se situa em glebas na Avenida Perimetral Norte, entre os bairros Parque das Flores e Mansões Goianas.[4] Foi inaugurado em 2013[5] e desde então tornou-se um importante centro de comércio e serviços em Goiânia, principalmente para a região norte.[6] No entanto, sua construção envolveu polêmicas, sobretudo ambientais.

História[editar | editar código-fonte]

O Passeio das Águas Shopping foi construído pela Sonae Sierra Brasil, uma empresa especializada em shopping centers. Foi anunciado como o primeiro grande empreendimento na região norte de Goiânia, e fundado entre quatro bairros da cidade: Parque das Flores, Mansões Goianas, Jardim Diamantina e Urias Magalhães. O Passeio das Águas foi erguido perto do cruzamento de duas notórias vias de Goiânia: A Avenida Goiás Norte e a Avenida Perimetral Norte e teve um custo de R$ 384 milhões[7] e com abrangência de 277 lojas.[8]

Ao lançamento, a imprensa relacionou uma suposta rivalidade imediata entre o Passeio das Águas Shopping e o até então maior shopping de Goiânia, o Flamboyant Shopping Center.[9][10]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

A Perimetral Norte, em frente ao Passeio das Águas, em 2015.

Antes do lançamento, veículos da imprensa e estudiosos anunciaram os impactos ambientais que a construção do Passeio das Águas Shopping, segundo eles, traria. O shopping localiza-se a poucos metros do Córrego Caveirinha, um dos afluentes do Rio Meia Ponte. Mas a empresa responsável, ainda em 2012, afirmou, por meio de um comunicado, que "Todos os estudos sobre os impactos para a construção do shopping foram realizados e todas as licenças obtidas". Na mesma época, foi anunciado que a empresa custearia a construção de um parque em Goiânia e trabalharia na revitalização do córrego.[10]

Em contrapartida, por meio de uma reportagem publicada pelo Jornal Opção no ano de 2013, a construção do shopping, em comparação ao Plano Diretor vigente, foi tida como "ilegal" por sua construção em uma região que era área de preservação permanente.[11] Vereadores da câmara municipal de Goiânia tentaram embargar a obra e afirmaram que havia algum esquema de corrupção envolvendo a Agência Municipal do Meio Ambiente de Goiânia (Amma), que foi investigado por meio da Operação Jeitinho.[11][12]

Referências

  1. «Considerado o maior da região Centro-Oeste, Shopping Passeio das Águas é inaugurado». CBN Goiânia. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  2. Kneib, Erika Cristine (25 de agosto de 2016). Projeto e Cidade: Mobilidade e Acessibilidade em Goiânia. Goiânia: UFG. p. 145. ISBN 9788549500229 
  3. Almeida, Felipe Mateus de (2015). «Shopping Center e axiologia: Uma análise do Flamboyant Shopping Center de Goiânia». Axionomia. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  4. «Mapa de Goiânia». Prefeitura de Goiânia. Consultado em 26 de outubro de 2016. Arquivado do original em 26 de outubro de 2016 
  5. «Shoppings de Goiânia inauguram decorações natalinas, confira fotos». G1. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  6. Da Silva, Anderson Ferreira (2014). «Goiânia à Noroeste: da ocupação ao novo centro urbano» (PDF). Universidade Nacional de Brasília. Consultado em 25 de outubro de 2016 
  7. «Passeio das Águas Shopping será inaugurado no dia 30 de outubro». A Redação. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  8. «Passeio das Águas terá 277 lojas e 6,3 mil empregos». O Popular. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  9. ALMEIDA, F. M. Flamboyant shopping center: entre trabalho, lazer e consumo. 2016. 107 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de Goiás,Goiânia, 2016.
  10. a b «Shopping gigante afeta paisagem e rotina de região». Jornal Opção. Consultado em 26 de outubro de 2016. Arquivado do original em 11 de setembro de 2014 
  11. a b «Shopping Passeio das Águas invadiu área de preservação, revelam fotos». Jornal Opção. Consultado em 26 de outubro de 2016. Arquivado do original em 12 de julho de 2016 
  12. «CEI mostra que construção de shopping é ilegal». Brasil 247. Consultado em 26 de outubro de 2016 


Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.