Pato Branco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pato Branco
  Município do Brasil  
Pato Branco.jpg
Símbolos
Bandeira de Pato Branco
Bandeira
Brasão de armas de Pato Branco
Brasão de armas
Hino
Gentílico pato-branquense
Localização
Localização de Pato Branco no Paraná
Localização de Pato Branco no Paraná
Pato Branco está localizado em: Brasil
Pato Branco
Localização de Pato Branco no Brasil
Map
Mapa de Pato Branco
Coordenadas 26° 13' 44" S 52° 40' 15" O
País Brasil
Unidade federativa Paraná
Municípios limítrofes Bom Sucesso do Sul, Clevelândia, Coronel Vivida, Honório Serpa, Itapejara d'Oeste, Mariópolis, Renascença e Vitorino
Distância até a capital 433 km
História
Fundação 14 de dezembro de 1952 (70 anos)
Administração
Prefeito(a) Robson Cantu[1] (PSD, 2021 – 2024)
Vereadores 11
Características geográficas
Área total [2] 539,415 km²
População total (estimativa populacional — IBGE/2019[3]) 94 239 hab.
Densidade 174,7 hab./km²
Clima Subtropical (Cfa)
Altitude 760 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 85500-000 a 85513-999
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,782 alto
 • Posição PR: 5º
PIB (IBGE/2020[5]) R$ Aumento4 167 224,12 mil
PIB per capita (IBGE/2020[5]) R$ 49 702,71
Sítio Sítio oficial (Prefeitura)

Pato Branco é um município brasileiro localizado no Sudoeste Paranaense. Sua população é de 94 239 habitantes, segundo a prévia do Censo 2022, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),[3][6] sendo que no censo demográfico de 2010 possuía 72 370 habitantes.[7] A cidade se destaca na microrregião homônima como um centro de serviços com ênfase nos setores da saúde e da educação.

A partir de 1996, Pato Branco diversificou sua economia através de incentivos fiscais a empresas dos setores de informática e eletroeletrônico, o que resultou na criação de um pequeno centro tecnológico industrial. A agricultura também representa uma importante fatia na economia do município. A existência de uma instituição federal de ensino superior, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (antigo CEFET[8]) enfatiza o caráter de "centro provedor de serviços" regional de Pato Branco.[9]

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras explorações dos Campos de Palmas, onde atualmente se localiza o município de Pato Branco, começaram em 1720, através das expedições de Zacarias Dias Côrtes.[10] Em meados dos anos 1830, a expedição de Pedro de Siqueira Côrtes explorou mais adentro os Campos de Palmas,[11] na mesma época em que os primeiros colonos vindos principalmente do Sul do Brasil se instalaram na região.

No início do século XX, dois pequenos povoados se formaram próximo dos rios Pato Branco e Ligeiro. Em 1918, para acolher os insatisfeitos quanto a decisão sobre a Guerra do Contestado e aumentar a ocupação das terras próximas a divisa com Santa Catarina, o Governo do Paraná criou a Colônia Bom Retiro. Tratava-se de pessoas que, entre outros motivos, não aceitavam morar nas terras contestadas que passaram a ser de Santa Catarina. Na Colônia de Bom Retiro, estavam inclusos os dois povoados que haviam se tornado vilas: Bom Retiro e Vila Nova. Vendo a prosperidade da nova região muitos moradores de Palmas e Clevelândia mudaram-se para as vilas, contribuindo ainda mais para o desenvolvimento local.

Na década de 1930, sabendo do crescimento da região Sudoeste do Paraná, o Governo Federal criou uma linha telegráfica de Ponta Grossa até Barracão, passando por Guarapuava e Clevelândia. Entre Clevelândia e Barracão foram criados dois postos de telégrafo, sendo um deles em Bom Retiro, conhecido como Posto do Rio Pato Branco, utilizado também pelos moradores de Vila Nova. O ramal trouxe consigo a expressão “Pato Branco”, ou seja: o telégrafo de Vila Nova continuou sendo identificado como posto do Rio Pato Branco. Os operadores jamais se correspondiam com outras localidades utilizando os nomes de Vila Nova ou Bom Retiro. Logo as demais cidades do estado conheciam a região como Pato Branco, promovendo assim a mudança de nome do distrito.[12]

A partir de 1938, os cartórios oficializaram, aos poucos, o nome “Pato Branco”. Registros relatam uma mutação que passou por nomes como: Vila Nova de Pato Branco, Vila de Pato Branco, ex-Bom Retiro, Distrito de Pato Branco, ex-Bom Retiro, Distrito de Pato Branco e Pato Branco.[13] A instalação oficial se deu no dia 14 de dezembro de 1952. O território foi emancipado do município de Clevelândia e o primeiro prefeito foi Plácido Machado, do PTB.[12]

Símbolos municipais[editar | editar código-fonte]

Bandeira[editar | editar código-fonte]

O significado da bandeira de Pato Branco se dá de acordo com a Lei Municipal 655/86,[14] que o apresenta em suas três cores:

  • O verde do triângulo é a natureza vegetal, na área do município e em seu estado primitivo e é ainda a esperança;
  • O branco traz a mensagem da paz, também representa as bases sobre as quais se constroi uma sociedade coesa e sadia;
  • O amarelo representa as riquezas naturais com que Pato Branco foi agraciada, e também o progresso, coragem e fé inabaláveis.

Brasão[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Brasão de Pato Branco

O brasão do Município compõe-se de um escudo de formato ibérico, terciado em pala de blau (azul). O pato, de plumagem branca volante e centrado no chefe do escudo e a faixa ondulada no contra chefe diminuto do escudo evocam o nome do Município, revelando assim as armas falantes do lugar. A faixa branca ondulada representa o Rio Pato Branco. As duas chaves, de ouro e prata, postas em aspa do escudete de goles (vermelho) sobre a porta central da coroa mural, representam o Santo padroeiro do Município (São Pedro).

Os dois suportes, representados por um ramo de milho espigado à direita e por um ramo de soja frutificado à esquerda, simbolizam as principais culturas agrícolas do Município (1987). A abreviatura cronológica à direita indica a data de criação do Município e a abreviatura cronológica à esquerda indica a data da Instalação do Município. (Lei Municipal 655/86).[15]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Pato Branco na Classificação de Köppen é o mesotérmico Cfa na classificação de Köppen, caracterizado por temperaturas médias no mês mais frio inferiores a 18 °C e temperaturas médias no mês mais quente acima de 22 °C, com verões relativamente quentes, geadas frequentes e chuvas bem distribuídas ao ano. O clima de Pato Branco é também sujeito a nevadas ocasionais, as quais, nos anos recentes, ocorreram em 1994, 2000 e 2013. Trata-se de um clima tipicamente subtropical úmido, com chuvas bem distribuídas ao longo de todo ano, isto é, sem uma estação seca definida, mas com um verão, outono, inverno e primavera sensivelmente perceptíveis.

O clima da cidade é também influenciado pela altitude moderada da região e também pela continentalidade (em razão da distância em relação ao litoral). Em 21 de agosto de 1965, foi feita uma fotografia da Praça Getúlio Vargas coberta de neve, uma tempestade relativamente grande, mas não há registro da temperatura no momento do retrato.[16] Quanto as temperaturas médias históricas, o mês mais quente é janeiro, com média de 22,5°C, e o mês mais frio é julho, com média de 14,2°C. Após 2001, as temperaturas mais extremas registradas foram -5,6°C em julho de 2006 e 36,7°C em fevereiro de 2005.

Dados climatológicos para Pato Branco (1979-2012)
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 34,0 35,0 36,6 32,6 29,8 27,2 28,4 32,0 35,2 33,8 36,7 36,6 36,7
Temperatura máxima média (°C) 28,8 28,4 28,1 25,5 21,8 20,4 20,5 22,8 23,5 25,7 27,5 28,4 25,1
Temperatura mínima média (°C) 18,1 18,1 17,1 14,9 11,6 10,5 9,9 11,3 12,2 14,7 15,9 17,4 14,3
Temperatura mínima recorde (°C) 9,8 8,0 3,6 0,8 −0,2 −3,8 −4,0 −3,5 −1,0 1,6 6,0 6,2 −4,0
Precipitação (mm) 187 174 132 185 192 159 144 116 167 251 181 186 2 073
Fonte: IAPAR[17]

Localização e subdivisões[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de bairros de Pato Branco

A cidade se localiza na latitude -26.2295, ou 26° 22′ 95″ Sul e na longitude -52.6716 ou 52° 67′ 16 Oeste.[18] O município está formado pela sede, possuindo um distrito, São Roque do Chopim.[19]

Hidrografia e topografia[editar | editar código-fonte]

O município é banhado por uma complexa bacia hidrográfica, que pertence ao Rio Vitorino. Esse é afluente do Rio Chopim, que por sua vez, é o principal afluente da margem esquerda do Rio Iguaçu.[20] Os principais cursos d'água que banham o município são o Rio Ligeiro, Rio Pato Branco e o Rio Vitorino.[21] A elevação média da cidade é de 760m, porém há muita variação, visto que sua topografia é muito acidentada.[22]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Etnias %
Brancos 83,82%
Pardos 13,05%
Negros 2,18%
Amarelos 0,81%
Indigenas 0,14%

Segundo o censo do IBGE de 2010, Pato Branco possuía uma população de 72 370 habitantes, dividida entre 34.984 homens (48,34%) e 37.386 mulheres (51,66%). A população urbana perfazia 68.091 habitantes, com taxa de urbanização de 94,09%. Outros 4.279 habitantes moravam na Zona Rural, 5,91% do total do município. Pato Branco possuía em 2000 um IDH de 0,717, sendo o 4° melhor dentro do estado do Paraná. Em 2010 o IDH havia evoluído para 0,782, com o município mantendo a 4º posição dentro do estado.

Composição étnica[editar | editar código-fonte]

Boa parte dos colonizadores da região de Pato Branco são advindos do sul, dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A maioria são descendentes de italianos e alemães, com uma importante comunidade polonesa e ucraniana.[23]

População (1991-2010)
Ano Urbana Rural Total
1991 42.409 9.450 51.859
2000 56.805 5.429 62.234
2010 68.091 4.279 72.370

Evolução populacional[editar | editar código-fonte]

Assim como o ocorrido com os principais pequenos centros do interior na virada do século XX para o século XXI, Pato Branco também passou por um acentuado êxodo rural. Como centro sub-regional A[24], é uma cidade muito atrativa aos munícipes de cidades próximas, o que também acentua o crescimento populacional da cidade.[25]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

O município é um polo universitário, com estudantes de diversos municípios e estados frequentando suas universidades. Conta com o segundo maior Campus da Universidade Estadual Tecnológica do Paraná, depois da capital Curitiba.[26]

  • Universidade Estadual Tecnológica do Paraná (UTFPR), Campus de Pato Branco
  • Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP)[27]
  • Centro Universitário Mater Dei (UniMater)[28]

Transporte[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na malha aérea comercial brasileira, também sendo um importante entroncamento rodoviário. Não possui nenhuma ferrovia e a rede hidrográfica do município não permite que se desenvolva esse tipo de transporte.

Aéreo[editar | editar código-fonte]

O município possuí um Aeroporto, o Aeroporto de Pato Branco, que possui voos semanais para Curitiba, operados desde 2019 pela companhia aérea Azul.[29] Houve uma interrupção da operação no período da pandemia, retornando a sua atividade em 2021.[30]

Rodoviário[editar | editar código-fonte]

Importantes rodovias federais e estaduais passam pelo município. No sentido latitudinal, na porção sul, o município é atravessado pela BR-280, que liga o município a Vitorino, Renascença, Francisco Beltrão (sentido oeste), Mariópolis, Palmas e Curitiba (sentido leste). Também é atravessado pela BR-158, que liga o município a Coronel Vivida (sentido nordeste) e a São Lourenço do Oeste (sentido sudoeste). A PR-493 também passa pelo município, sendo sua ligação com Itapejara d'Oeste e Dois Vizinhos.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

No seriado Toma Lá, Dá Cá, Alessandra Maestrini interpretava a empregada Bozena, que vivia contando histórias bizarras de moradores da sua cidade natal, Pato Branco, começadas com o bordão "Lá em Pato Branco daí...". Maestrini, que na verdade é paulista de Sorocaba, foi homenageada pela Câmara de Pato Branco,[31] e se tornou garota-propaganda de uma das principais empresas da cidade, a Indústria de Fogões Atlas Eletrodomésticos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Prefeito e vereadores de Pato Branco tomam posse Portal G1 - acessado em 2 de janeiro de 2021
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. a b «estimativa_dou_2019.xls». ibge.gov.br. Consultado em 28 de agosto de 2019 
  4. «IDHM Municípios 2010». United Nations Development Programme. Consultado em 2 de dezembro de 2022. Cópia arquivada em 11 de novembro de 2022 
  5. a b IBGE. 2020 https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/pato-branco/pesquisa/38/46996  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  6. «Censo 2022 | IBGE». www.ibge.gov.br. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  7. «IBGE Censo 2010». censo2010.ibge.gov.br. Consultado em 2 de dezembro de 2022 
  8. https://www.econodata.com.br/consulta-empresa/75101873000432-UNIVERSIDADE-TECNOLOGICA-FEDERAL-DO-PARANA
  9. Junior, Nelson da Luz (2 de junho de 2022). «UTFPR terá curso de engenharia cartográfica». Diário do Sudoeste. Consultado em 25 de dezembro de 2022 
  10. «Sobre | Prefeitura Municipal de Palmas» 
  11. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE (2015). «Pato Branco/Histórico». IBGE Cidades. Consultado em 17 de março de 2020 
  12. a b «Por Que o Nome Pato Branco». Município de Pato Branco. Consultado em 26 de dezembro de 2022 
  13. «Historia de Pato Branco PR - Ache Tudo e Região». www.achetudoeregiao.com.br. Consultado em 26 de dezembro de 2022 
  14. «Prefeitura de Pato Branco». Consultado em 5 de fevereiro de 2019. Arquivado do original em 28 de abril de 2014 
  15. «Símbolos». 15 de abril de 2014 
  16. «1965». www.diariodosudoeste.com.br. Consultado em 19 de novembro de 2019 
  17. «Temperaturas». IAPAR. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  18. Caramuru, Dados Pato BrancoMorada postal Pato BrancoRua; Pr, 271pato Branco-; Branco, Certidão de óbito Pato. «Pato Branco, Paraná, Brasil - Cidades e vilas do mundo» 
  19. «Pato Branco». IBGE Cidades. Consultado em 15 de março de 2022 
  20. https://www.iat.pr.gov.br/sites/agua-terra/arquivos_restritos/files/documento/2020-07/sg22_y_a.pdf
  21. «Relevo e Hidrografia de Pato Branco». Município de Pato Branco. Consultado em 21 de dezembro de 2022 
  22. https://pt-br.topographic-map.com/map-pcd51/Pato-Branco/?center=-26.20884%2C-52.66052&popup=-26.22837%2C-52.67319
  23. «Etnias». Paraná Turismo. Consultado em 23 de dezembro de 2022 
  24. Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE (2007). Regiões de Influência das Cidades (PDF). [S.l.]: Governo Federal. Consultado em 14 de março de 2020 
  25. http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/pato%20branco_pr
  26. «Reitor UTFPR Entrevista». UTFPR. 7 de maio de 2018. Consultado em 21 de dezembro de 2022 
  27. «FADEP agora é Centro Universitário de Pato Branco». UNIDEP. 17 de dezembro de 2019. Consultado em 21 de dezembro de 2022 
  28. www.ceicom.com.br, Ceicom®. «Câmara Municipal de Pato Branco concede Moção de Aplauso para a Faculdade Mater Dei, atual Unimater - UNIMATER». www.materdei.edu.br. Consultado em 21 de dezembro de 2022 
  29. «Aeroportos de Toledo e de Pato Branco começam a operar voos comerciais para Curitiba». G1. Consultado em 21 de dezembro de 2022 
  30. «Companhia aérea anuncia retomada de voos em aeroportos do Paraná; veja as rotas». G1. Consultado em 21 de dezembro de 2022 
  31. «"Atriz que representa a empregada Bozena é homenageada em Pato Branco"». Jornal Gazeta do Povo. 20 de novembro de 2007. Consultado em 29 de agosto de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]