Patriarcado Latino de Constantinopla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Patriarcado Latino de Constantinopla
Patriarchatus Constantinopolitanus Latinorum
Sé da Patriarcado Latino de Constantinopla
País Turquia
Tipo de jurisdição Patriarcado titular
Criação do Patriarcado 1204
Extinção do Patriarcado 1964
Rito Romano
Atualmente suprimido

O Patriarcado Titular Latino de Constantinopla (em latim: Patriarchatus Constantinopolitanus Latinorum) foi um patriarcado titular da Igreja Católica do rito latino, criado na esteira da Quarta Cruzada e da criação do Império Latino. Foi suprimido em 1964.

Desde então, a Igreja reconhece como Patriarca de Constantinopla o Patriarca Ecumênico de Constantinopla

História[editar | editar código-fonte]

Como resultado do Grande Cisma do Oriente de 1054, a Igreja Latina e a Oriental haviam se separado, lançando anátemas e excomunhões mútuas e considerando cada um como guardião da ortodoxia cristã. A oposição, não apenas religiosa, levou a confrontos cada vez mais freqüentes entre os dois mundos opostos: o mundo feudal cada vez mais agressiva do Ocidente e do Império Bizantino em declínio.

Indicador da progressiva deterioração das relações foi a relação especial que ligava o Império Bizantino à República de Veneza, sua ex-província, que se tornou independente e em várias ocasiões tinham fornecido apoio militar com a sua poderosa frota contra até ganhar, com a Bula dourada de Aleixo I Comneno de 1082, importantes privilégios comerciais que o fizeram subir à categoria de agente mercantil principal no império: foi o prêmio por ter defendido a Grécia desde o assalto dos Normandos de Roberto de Altavila. As concessões iniciais foram posteriormente confirmadas e ampliadas pelos imperadores bizantinos subsequentes, com novos monopólios, privilégios e isenções cada vez mais amplas, que a tornaram cada vez mais dependente do mercado grego de Veneza e, finalmente, havia se tornado tão insuportável a ponto de causar uma reação violenta de Manuel I Comneno, que em 1171 tinha preso 10.000 colonos venezianos em Constantinopla, e todos os outros residentes no império tiveram os bens apreendidos, desencadeando um conflito que foi resolvido em favor do império e forçou Veneza a chegar a um acordo.

Em 1204, na Quarta Cruzada, inicialmente desviada para Constantinopla para apoiar as reivindicações dinásticas de Aleixo IV Ângelo frente à reação grega, invadiram e saquearam a cidade e estabeleceu-se o Império Latino. Na organização do novo Estado foi criado o cargo do Patriarca Latino de Constantinopla, reservado a um veneziano, para orientar o clero católico na sequência da conquista e substituir o antigo Patriarcado Ortodoxo, que sobreviveu no resto dos territórios bizantinos.

O queda do Império Latino em 1261, com a reconquista da cidade para mãos bizantinas, o título imperial e o patriarcado sobreviveram de forma titular no Ocidente e em 1964, o Patriarcado foi finalmente suprimido.

Patriarcas[editar | editar código-fonte]

Patriarcas titulares[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]