Patricio Guzmán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Patricio Guzmán
Nome completo Patricio Guzmán Lozanes
Nascimento 11 de agosto de 1941 (81 anos)
Santiago do Chile
Nacionalidade Chileno
Ocupação Realizador de cinema

Patricio Guzmán Lozanes (Santiago do Chile, 11 de agosto de 1941) é um diretor de cinema chileno, especializado em documentários.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dirigiu o filme Salvador Allende, sobre o ex-presidente chileno Salvador Allende, e Nostalgia da Luz, uma de suas obras mais premiadas, em que mostra o deserto do Atacama como o centro de dois tipos de pesquisa bem distintos: por um lado, é a sede de importantes estudos astronômicos, e por outro é local em que parentes de desaparecidos políticos do regime militar do Chile realizam buscas por restos mortais de seus familiares.

De orientação política abertamente esquerdista, Guzmán começou a carreira de diretor ainda nos anos 1960, fazendo um cinema engajado. Apoiava ostensivamente o governo de Salvador Allende e precisou deixar o Chile depois que o general Augusto Pinochet tomou o poder, em 1973. Em entrevista ao crítico Bruno Ghetti, na Revista Cult, Guzmán diz que exilou-se primeiramente na Espanha, depois em Cuba (onde concluiu A Batalha do Chile, com imagens sobre a queda de Allende) e, finalmente, na França, onde fixou residência e produziu a maior parte de seus filmes a partir de então.[1]

O tema mais recorrente na obra de Guzmán é o período da Ditadura Militar chilena, seja em documentários com imagens filmadas do “calor do momento”, como os filmes da série A Batalha do Chile, ou revisitado em longas posteriores, como Nostalgia da Luz e El Botón de Nácar. Neste último, o diretor traça um paralelo entre a dizimação de povos indígenas do sul do Chile com os assassinatos de militantes de esquerda nos anos 1970 pelo governo militar do país.

Guzmán já ganhou diversos prêmios, entre eles o de melhor roteiro no Festival de Berlim 2015, por El Botón de Nácar.[2] Em 2015, o cineasta teve dois de seus filmes incluídos na lista dos melhores documentários de todos os tempos, organizada pela revista britânica Sight and Sound: Nostalgia da Luz ficou na 12ª posição, enquanto A Batalha do Chile ficou ranqueado na 19ª colocação.[3]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

  • La Tortura y otras formas de diálogo (1968)
  • El Paraíso ortopédico (1969)
  • Primer año (1971)
  • La Respuesta de octubre (1972)
  • La Batalla de Chile: La insurrección de la burguesía (1975)
  • La Batalla de Chile: El golpe de estado (1977)
  • La Batalla de Chile: El poder popular (1979)
  • Rosa de los vientos (1983)
  • En nombre de Dios (1987)
  • La Cruz del Sur (1992)
  • Pueblo en vilo (1995)
  • Chile, la memoria obstinada (1997)
  • La Isla de Robinson Crusoe (1999)
  • Invocación (2000)
  • Le Cas Pinochet (2001)
  • Madrid (2002)
  • Salvador Allende (2004)
  • Mon Jules Verne (2005) (TV)
  • Nostalgia for the Light (Nostalgia da Luz) (2010)
  • El Botón de Nácar (2015)
  • La Cordillera de los Sueños (2019)
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Patricio Guzmán


Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.