Patrick Leahy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Patrick Leahy
Patrick Leahy
Presidente pro tempore do Senado dos Estados Unidos
Período 20 de janeiro de 2021 até a atualidade
Antecessor Chuck Grassley
Período 17 de dezembro de 2012
até 3 de janeiro de 2015
Antecessor Daniel Inouye
Sucessor Orrin Hatch
Senador dos Estados Unidos
pelo Vermont
Período 3 de janeiro de 1975 até a atualidade
Antecessor George Aiken
Dados pessoais
Nascimento 31 de março de 1940 (80 anos)
Montpelier (Vermont)
Esposa Marcelle Pomerleau ​(desde 1962)
Filhos 3
Partido DemDonkey.png Democrata
Assinatura Assinatura de Patrick Leahy
Website leahy.senate.gov/

Joseph Patrick Leahy (Montpelier,VT, 31 de março de 1940) é um político americano membro do Partido Democrata, e senador de Vermont desde 1975, atualmente é senador com maior permanência no senado e foi eleito a 20 de janeiro de 2021, Presidente pro tempore do Senado dos Estados Unidos, pelos senadores, pela segunda vez.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Leahy nasceu em Montpelier, no estado de Vermont, em 31 de março de 1940, filho de Alba e Howard Francis Leahy, é descendente de italianos e irlandeses, que vieram para o estado no século 19.[1]

Leahy deu inicio a sua carreira como advogado, em 1966 foi eleito procurador Condado de Chittenden, deixou o cargo em 1974 quando foi eleito senador do Vermont, sendo empossado em janeiro de 1975, sendo o primeiro senador democrata do estado desde 1856.

Leahy é casado com Marcelle Pomerleau desde 1962, residem em uma fazenda em Middlesex, no Vermont, juntos eles têm três filhos. Leahy é legalmente cego de um olho.

Posições Políticas[editar | editar código-fonte]

Leahy falando durante o segundo dia da Convenção Nacional Democrata de 2008 em Denver, Colorado.

Leahy ocupou posições políticas progressistas que geralmente estão de acordo com as do estado.

Aborto[editar | editar código-fonte]

Ele geralmente apoiou o direito ao aborto, rejeitando propostas para limitar a realização do procedimento a menores ou aqueles estacionados em bases militares. Ele votou contra a Lei de Proibição do Aborto por Nascimento Parcial em 1995 e a favor dela entre 1997 e 2003.[2][3]

A 11 de março de 1982, Leahy votou contra uma medida patrocinada pelo senador Orrin Hatch que buscava reverter Roe v. Wade e permitir que o Congresso e estados individuais adotassem leis proibindo o aborto. Sua aprovação foi a primeira vez que um comitê do Congresso apoiou uma emenda anti-aborto.[4][5]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

Em 2019, Leahy trabalhou com os senadores Sherrod Brown, Susan Collins e David Perdue num esforço bipartidário para garantir que os alunos tivessem acesso aos alimentos locais. A sua proposta reforçaria o Programa de Bolsa para Escola administrado pelo Departamento de Agricultura (USDA) e aumentaria o nível autorizado do programa de 5 milhões de dólares para 15 milhões de dólares, além de aumentar a concessão máxima para 250.000 dólares.[6]

Em março de 2019, Leahy foi um dos 38 senadores a assinar uma carta ao Secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, alertando que os produtores de leite "continuaram enfrentando instabilidade do mercado e estão lutando para sobreviver ao quarto ano de preços baixos sustentados" e exortando seu departamento a "encorajamos fortemente esses agricultores a considerarem o programa de cobertura da margem de laticínios".[7]

Em maio de 2019, Leahy e outros oito senadores democratas enviaram a Perdue uma carta que criticava o USDA por usar dinheiro de resgate agrícola para comprar carne suína da brasileira JBS USA, escrevendo que era "contraproducente e contraditório" para empresas estrangeiras receberem "contribuintes dos EUA dólares destinados a ajudar os fazendeiros americanos que lutam com a política comercial deste governo. " Os senadores solicitaram que o departamento "assegure que essas compras de comodidade sejam realizadas da maneira que mais beneficie os resultados financeiros do agricultor americano - não os interesses comerciais de corporações estrangeiras".[8]

Em junho de 2019, Leahy e 18 outros senadores democratas enviaram à inspetora geral do USDA (IG) Phyllis K. Fong uma carta solicitando que ela investigasse os casos de retaliação e tomada de decisão política do USDA e argumentando que não conduzir uma investigação significaria que essas "ações poderiam ser percebido como parte do padrão mais amplo deste governo de não apenas descontar o valor dos funcionários federais, mas suprimir, minar, descontar e ignorar por atacado os dados científicos produzidos por seus próprios cientistas qualificados".[9]

Concorrência e regulamentação corporativa[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2019, Leahy foi um dos seis democratas liderados por Amy Klobuchar que assinou cartas para a Federal Trade Commission (FTC) e o Departamento de Justiça relatando que muitos deles "convocaram a FTC e o Departamento de Justiça para investigar uma possível atividade anticompetitiva nesses mercados, particularmente após as ações de fiscalização significativas tomadas pelos aplicadores da concorrência estrangeira contra essas mesmas empresas "e solicitando que cada agência confirme, se abriu investigações anti truste em cada uma das empresas e que cada agência se comprometa a divulgar publicamente as conclusões da investigação.[10]

Cannabis[editar | editar código-fonte]

Leahy apoia os direitos dos estados de fazerem as suas próprias leis sobre a cannabis. Ele propôs um companheiro para a Emenda Rohrabacher-Farr que estenderia as proteções aos estados que legalizassem a cannabis de alguma forma. Tornou-se conhecido como a Emenda Leahy e impede o governo federal de gastar dólares de impostos federais para processar pessoas que estão seguindo as leis de cannabis de seu estado.[11][12]

Cuidado infantil[editar | editar código-fonte]

Em 2019, Leahy e 34 outros senadores introduziram a Lei de Assistência Infantil para Famílias Trabalhadoras, um projeto de lei que criou 770.000 novos empregos na creche e garantiu que as famílias que ganhavam menos de 75% da renda média estadual não pagariam por creche, com maior remuneração famílias tendo que pagar "sua parte justa pelos cuidados em uma escala móvel, independentemente do número de filhos que tenham". A legislação também apoiou o acesso universal a programas pré-escolares de alta qualidade para todas as crianças de 3 e 4 anos, alterou a remuneração da força de trabalho de creches e forneceu treinamento para ajudar professores e cuidadores.[13]

Justiça Civil[editar | editar código-fonte]

Reunião do senador Leahy com o juiz distrital Merrick Garland, março de 2016.

Em fevereiro de 2016, Leahy introduziu a "Lei de Restauração dos Direitos Estatutários"[14] para "impedir que as empresas imponham arbitragem forçada em casos cobertos pelas leis de proteção ao consumidor, bem como discriminação no emprego e outras questões de direitos civis".[15][16]

Direitos civis e privacidade[editar | editar código-fonte]

Leahy foi apoiado pela NAACP e é sincero no seu apoio à ação afirmativa. Ele apoiou a legalização do casamento gay e a redução da discriminação contra gays e lésbicas. Leahy pediu que as parceiras domésticas de funcionários federais recebessem os mesmos benefícios que casais heterossexuais.[17]

Leahy é o principal patrocinador da versão do Senado da Lei de Privacidade de Email, que reformaria a Lei de Privacidade de Comunicações Eletrônicas de 1986 e aumentaria as proteções de privacidade para email. Ele patrocina esse projeto bipartidário com o republicano Mike Lee, de Utah.[18][19]

Defesa[editar | editar código-fonte]

Leahy foi um crítico de longa data da Guerra do Iraque e falou a favor de cronogramas para a retirada das tropas, afirmando que o país precisa de funcionários bem treinados no serviço estrangeiro e na indústria privada para ajudar a reparar os danos à sua estrutura civil. Ele tem criticado a Lei PATRIOTA, embora tenha votado para reautorizar as versões alteradas dela.[20] Em junho de 2013, após a divulgação do PRISM e de outras atividades de vigilância secretas pela Agência de Segurança Nacional, Leahy apresentou um projeto de lei que reforçaria as diretrizes relacionadas à aquisição de mandados da FISA para vigilância doméstica e encurtaria a autorização atual da FISA em dois anos.[21]

Leahy sempre se opôs à abertura e operação do campo de detenção da Baía de Guantánamo.[22][23]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Leahy é um fotógrafo.[24] Ele é um católico romano que frequenta a Igreja de Santo André em Waterbury, Vermont. Ele também frequenta a Igreja Católica da Santíssima Trindade quando está em Washington, DC.[25]

Referências

  1. «"Senate's Leahy finds peace on his Vermont farm"» (em inglês). MSNBC.com. Consultado em 6 de julho de 2009 
  2. «U.S. Senate: U.S. Senate Roll Call Votes 108th Congress - 1st Session». www.senate.gov. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  3. «Patrick Leahy - Abortion». web.archive.org. 24 de outubro de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  4. Weinraub, Bernard; Times, Special To the New York (11 de março de 1982). «ABORTION CURBS ENDORSED, 10-7, BY SENATE PANEL (Published 1982)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  5. Tolchin, Martin (28 de março de 1982). «HOWARD BAKER TRYING TO TAME AN UNRULY SENATE (Published 1982)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  6. Press, Associated. «Collins joins two-party push for more local food in schools». https://www.wabi.tv (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  7. Milwaukee, Urban. «U.S. Senator Tammy Baldwin Calls on Trump Administration to Implement Farm Bill Dairy Improvements for Wisconsin Dairy Farmers». Urban Milwaukee (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  8. Lane, Sylvan (30 de maio de 2019). «Democratic senators rip Trump administration's trade aid to foreign firms, demand a halt». TheHill (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  9. «Menendez, Booker Join Call for Investigation at USDA amid Reports of Scientific Data Suppression». Insider NJ (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  10. Neidig, Harper (21 de junho de 2019). «Senate Democrats press regulators over reported tech investigations». TheHill (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  11. Higdon, James. «Washington's Most Powerful Anti-Pot Official Is Named Sessions. It's Not Who You Think.». POLITICO Magazine (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  12. Kinzel, Bob. «Leahy To Trump Administration: Don't Threaten States That Legalize Marijuana». www.vpr.org (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  13. Milwaukee, Urban. «U.S. Senator Tammy Baldwin Helps Introduce Legislation to Ensure Child Care for All». Urban Milwaukee (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  14. «Wayback Machine» (PDF). web.archive.org. 4 de julho de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  15. Mandy Walker. «Proposed Law Would Roll Back Mandatory Arbitration». Consumer Reports (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  16. «Wayback Machine» (PDF). web.archive.org. 9 de novembro de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  17. «Patrick Leahy on the Issues». web.archive.org. 28 de agosto de 2010. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  18. «Lee, Leahy Call on Senate to Take Up House-Passed Email Privacy Bill - Morning Consult». web.archive.org. 21 de agosto de 2016. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  19. «Email Privacy Act Wins Sweeping Approval In House - InformationWeek». web.archive.org. 1 de agosto de 2017. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  20. «Patrick Leahy on the Issues». www.ontheissues.org. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  21. «Leahy proposes new oversight of surveillance programs». web.archive.org. 25 de junho de 2013. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  22. «Letter box - Brattleboro Reformer». web.archive.org. 19 de maio de 2013. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  23. «Patrick Leahy - United States Senator for Vermont :Release». web.archive.org. 1 de março de 2014. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  24. «Leahy attacks Bush, Roberts - Roger Simon - POLITICO.com». www.politico.com. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  25. «What Is Patrick Leahy's Religion?». web.archive.org. 18 de setembro de 2014. Consultado em 20 de janeiro de 2021