Patrick Vieira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Patrick Vieira
Patrick Vieira
Vieira como treinador do New York City em 2016
Informações pessoais
Nome completo Patrick Donalé Vieira
Data de nasc. 23 de junho de 1976 (45 anos)
Local de nasc. Dakar, Senegal
Nacionalidade senegalês
francês
Altura 1,93 m
destro
Informações profissionais
Equipa atual Crystal Palace
Posição ex-volante
Função treinador
Clubes de juventude
1984–1986
1986–1991
1991–1993
Trappes
Drouais
Tours
Clubes profissionais
Anos Clubes
1993–1995
1995–1996
1996–2005
2005–2006
2006–2010
2010–2011
Cannes
Milan
Arsenal
Juventus
Internazionale
Manchester City
Seleção nacional
1995–1996
1997–2009
França Sub-21
França
Times/Equipas que treinou
2016–2018
2018–2020
2021–
New York City
Nice
Crystal Palace

Patrick Donalé Vieira (Dakar, 23 de junho de 1976) é um treinador e ex-futebolista senegalês naturalizado francês que atuava como volante.[1] Atualmente comanda o Crystal Palace.

Tornou-se conhecido durante sua passagem pelo Arsenal, onde atuou de 1996 a 2005, vencendo três vezes a Premier League — uma de forma invicta — e quatro Copas da Inglaterra, tornando-se, eventualmente, o capitão da equipe. Após deixar o Arsenal, em 2005, ele jogou por uma temporada na Juventus, antes de assinar com a Internazionale, em 2006, após o Calciopoli, que culminou com o rebaixamento da equipe bianconera.

Ele possui 107 partidas pela Seleção Francesa, tendo integrado o plantel campeão da Copa do Mundo FIFA de 1998, da Eurocopa de 2000 e da Copa das Confederações FIFA de 2001.

No dia 17 de maio de 2010, foi eleito Embaixador da Boa Vontade da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura.[2]

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Cannes e Milan[editar | editar código-fonte]

Vieira iniciou a sua carreira em 1993 com a camisa do Cannes, na sua pátria adotiva, permanecendo no clube do sul da França até 1995, altura em que surgiu o interesse do Milan.

Apesar de ter feito parte do elenco que conquistou o Scudetto em 1996, Vieira participou apenas em cinco jogos do Milan.

Arsenal[editar | editar código-fonte]

Antes da transferência de cinco milhões de euros para Londres, era um verdadeiro desconhecido na Inglaterra, tal como Arsène Wenger, que se mudou para o Arsenal um mês depois do seu compatriota. Sobre a contratação Wenger disse:

Vieira levantando o troféu da Premier League em maio de 2004

Nomeado Jogador do Ano da Premier League de 2000–01, Vieira foi um dos mais extraordinários jogadores daquela liga, tendo ganho a Copa da Inglaterra em 1998 e 2001. Substituiu Tony Adams como capitão do Arsenal, na sequência da retirada do zagueiro. Se lesionou no final da temporada, mas ajudou a equipe em mais uma conquista da Copa da Inglaterra.

Um capitão para todas as ocasiões, Vieira liderou o Arsenal na histórica conquista da Premier League sem qualquer derrota sofrida, em 2003–04. No entanto, não conseguiu impedir que os Gunners voltassem a fracassar na Liga dos Campeões da UEFA. Em agosto de 2008, quatro anos após sua saída do Arsenal, Vieira foi escolhido como o quinto maior jogador do clube em todos os tempos, em uma enquete realizada pelo site oficial do clube.[3] Todavia, o jogador também aparece em listas negativas: ele é um dos jogadores que mais vezes foi expulso na Primeira Liga Inglesa, tendo sido mandado para fora nove vezes nos dez anos em que esteve no Arsenal.[4]

Juventus e Internazionale[editar | editar código-fonte]

Vieira atuando pela Internazionale em novembro de 2009

Em 2005 se transferiu para a Juventus, onde também se destacou como titular absoluto da equipe. Após apenas uma temporada em Turim, transferiu-se para a Internazionale, onde permaneceu por quatro anos e conquistou por quatro vezes a Serie A.

Manchester City[editar | editar código-fonte]

No dia 7 de janeiro de 2010, confirmou oficialmente sua para o Manchester City.[5]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Após um ano e meio no clube inglês, foi dispensado[6] pelos Citizens e anunciou sua aposentadoria dos gramados no dia 14 de julho de 2011.[7][8][9]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Estreou pela Seleção Francesa em fevereiro de 1997, contra os Países Baixos. Um ano depois, Vieira saiu do banco e entrou na final em que os franceses derrotaram o Brasil por 3 a 0 e conquistaram, em casa, a Copa do Mundo FIFA de 1998. Já tinha lugar garantido na equipe titular quando, dois anos mais tarde, conquistou a Euro 2000.[10]

Foi novamente titular na Copa do Mundo FIFA de 2002, mas não evitou a frustrante eliminação da sua equipe ainda na fase de grupos. Participou igualmente na Euro 2004, mas esteve ausente do jogo das quartas de final, contra a Grécia, que terminou vencendo e eliminando a França.[11]

Sem muitas chances na Seleção devido à boa safra de novos talentos na posição, Vieira declarou que um dos principais motivos da transferência para o Manchester City foi ter buscado uma vaga na Copa do Mundo FIFA de 2010, sem sucesso.[12]

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

New York City[editar | editar código-fonte]

Seu primeiro trabalho foi no comando do New York City, dos Estados Unidos, onde foi anunciado em novembro de 2015.[13] No total, o ex-volante comandou a equipe por três temporadas.[14]

Nice[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2018 foi anunciado como treinador do Nice.[15] Foi demitido no dia 4 de dezembro de 2020.[16][17]

Crystal Palace[editar | editar código-fonte]

Em 4 de julho de 2021, Vieira foi oficializado como treinador do Crystal Palace.[18][19]

Estatísticas como treinador[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 31 de janeiro de 2020

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
New York City 88 40 22 26 45%
Nice 88 34 22 32 39%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Arsenal
Internazionale
Manchester City
Seleção Francesa

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Know a player of African origin?» (em inglês). BBC Sport. 1 de julho de 2005. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  2. «Jogador Patrick Vieira é nomeado Embaixador da Boa Vontade da FAO». ONU. 17 de maio de 2010. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  3. «Gunners Greatest 50 Players» (em inglês). Site oficial do Arsenal. Consultado em 11 de agosto de 2019 
  4. Murphy, Alex (7 de agosto de 2007). «Football's 50 greatest hard men» (em inglês). The Times. Consultado em 3 de julho de 2011 
  5. «Vieira confirma acerto com o City». GloboEsporte.com. 7 de janeiro de 2010. Consultado em 11 de agosto de 2019 
  6. «Patrick Vieira released by Manchester City» (em inglês). Goal.com. 16 de junho de 2011. Consultado em 27 de março de 2020 
  7. «Aos 35 anos, Patrick Vieira anuncia sua aposentadoria do futebol». GloboEsporte.com. 14 de julho de 2011. Consultado em 27 de março de 2020 
  8. «Patrick Vieira se aposenta e vira dirigente do Manchester City». Terra. 14 de julho de 2011. Consultado em 27 de março de 2020 
  9. «Campeão mundial em 1998, francês Patrick Vieira anuncia aposentadoria do futebol». O TEMPO. 14 de julho de 2011. Consultado em 27 de março de 2020 
  10. «França, de virada, ganha título da Eurocopa-2000». Folha de S.Paulo. 3 de julho de 2000. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  11. «França cai diante da Grécia e Euro segue sem bicampeão». UOL. 25 de junho de 2004. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  12. «França mantém Gallas e anuncia os 23 convocados para a Copa». Terra. 24 de maio de 2010. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  13. «Grife também no banco: New York City FC anuncia Vieira como novo técnico». GloboEsporte.com. 9 de novembro de 2015. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  14. Pedro Cuenca (11 de junho de 2018). «Vieira anuncia saída do NYCFC: qual o futuro da equipe americana sem ele?». Trivela. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  15. «Patrick Vieira é o novo treinador do Nice». Record. 11 de junho de 2018. Consultado em 27 de março de 2020 
  16. «Nice demite Patrick Vieira após sequência de cinco derrotas consecutivas». UOL. 4 de dezembro de 2020. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  17. Leo Escudeiro (4 de dezembro de 2020). «Situação de Vieira no Nice era insustentável, e sequência de derrotas veio para cimentar o fim». Trivela. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  18. «Patrick Vieira appointed as manager» (em inglês). Site oficial do Crystal Palace. 4 de julho de 2021. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  19. Bruno Bonsanti (4 de julho de 2021). «Crystal Palace troca o certo pelo mais incerto ao promover o retorno de Patrick Vieira à Premier League». Trivela. Consultado em 27 de novembro de 2021 
  20. «Lista de craques de Pelé para Fifa tem maioria brasileira». BBC Brasil. 4 de março de 2004. Consultado em 27 de novembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]