Paul George

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paul George
Paul George Pacers.jpg
Informações pessoais
Data de nasc. 2 de maio de 1990 (29 anos)
Local de nasc. Palmdale, Califórnia, Estados Unidos
Altura 2,06 m (6 ft 9 in)
Peso 100 kg (220 lb)
Apelido PG13
Informações no clube
Clube atual Los Angeles Clippers
Número 13
Posição Ala
Clubes de juventude
2008–2010 Fresno State Bulldogs
Clubes profissionais
Ano Clubes Partidas (pontos)
2010–2017
2017–2019
2019–
Indiana Pacers
Oklahoma City Thunder
Los Angeles Clippers
Seleção nacional
2014– Estados Unidos
Medalhas
Competidor dos Estados Unidos
Jogos Olímpicos
Ouro Rio 2016 Equipe

Paul Clifton Anthony George (Palmdale, 2 de maio de 1990) é um jogador norte-americano de basquete profissional que atua como ala. Atualmente joga pelo Los Angeles Clippers na NBA. Desde que entrou na liga em 2010, George, participou seis vezes do Jogo das Estrelas e esteve presente em quatro oportunidades no All-NBA Team e no NBA All-Defensive Team. Em 2013, foi eleito o Jogador Que Mais Evoluiu (Most Improved Player).[1] Pela Seleção Estadunidense, foi campeão olímpico em 2016 no Rio de Janeiro.

Selecionado pelo Indiana Pacers na décima posição no draft de 2010,[2] George defendeu a franquia por sete temporadas. Em 2017, foi trocado para o Oklahoma City Thunder[3] e jogou duas temporadas pela equipe antes de ser trocado para os Clippers em 2019.

Carreira na NBA[editar | editar código-fonte]

Indiana Pacers (2010–2017)[editar | editar código-fonte]

Temporada 2010–11[editar | editar código-fonte]

George, assinou com o Indiana Pacers em 1 de Julho de 2010. O contrato era de dois anos, com salário de US$ 3,9 milhões, com opções da equipe para um terceiro e quarto ano.[4] No dia 27 de outubro, George fez sua estreia na NBA contra o San Antonio Spurs, jogando 23 minutos e marcando 4 pontos. Em sua primeira temporada regular como novato, teve médias de 7,8 pontos, 3,7 rebotes, 1,1 assistências, tendo sido titular em 19 de seus 61 jogos. Nos playoffs de 2011, George foi um dos dois únicos estreantes do draft de 2010 a ser titular de sua equipe, além de Landry Fields do New York Knicks. Nos playoffs, os Pacers perderam em cinco jogos para o Chicago Bulls, liderado por Derrick Rose. Após a conclusão de sua temporada como novato, George foi nomeado para o Segundo Time de Novatos.

Temporada 2011–12[editar | editar código-fonte]

No dia 3 de fevereiro de 2012, George marcou 30 pontos, 9 rebotes, 5 assistências, 5 roubos de bola contra o Dallas Mavericks. durante o All-Star Weekend de 2012, George foi selecionado para competir no Concurso de Enterradas. Ele terminou a temporada 2011–12 com médias de 12,1 pontos, 5,6 rebotes e 2,4 assistências. George foi titular em todos os seus 66 jogos pelos Pacers na temporada. Nos playoffs, depois de bater o Orlando Magic, que estavam sem Dwight Howard, em cinco jogos na primeira rodada. nas semifinais da Conferência Leste, os Pacers perderam para a equipe que viria ser campeã da temporada, o Miami Heat por 4–2, com George fazendo apenas 19 cestas de 52 arremessos durante toda a série.

Temporada 2012–13[editar | editar código-fonte]

Em 21 de novembro de 2012, George acertou 9 de 13 bolas de três pontos, fazendo sua maior pontuação na carreira, 37 pontos, em uma vitória contra o New Orleans Hornets. As 9 cestas de 3 pontos feitas por ele, quebraram o recorde da franquia num único jogo. Em fevereiro de 2013, George foi selecionado para jogar seu primeiro Jogo das Estrelas pela Equipe Leste. Ele marcou 17 pontos, 3 rebotes e 4 assistências, mas o Leste acabou perdendo para o Oeste por 143–138.[5] Em sua terceira temporada, George teve médias de 17,4 pontos, 7,6 rebotes e 4,1 assistências , e foi o único jogador na liga a ter marcado pelo menos 140 roubos de bola e 50 tocos. Ao final da temporada regular, ele foi nomeado como o Jogador Que Mais Evoluiu (Most Improved Player).[6]

Nos playoffs, os Pacers enfrentaram o Atlanta Hawks na primeira rodada. No Jogo 1 da série, George marcou seu primeiro triplo-duplo em playoffs na carreira, 23 pontos, 11 rebotes e 12 assistências na vitória por 107–90 . Os Pacers venceram a série em seis jogos.[7] George, em seguida, comandou os Pacers à vitória por 93–82, com 18 pontos, 14 rebotes e 7 assistências no Jogo 4 das semifinais da Conferência Leste contra o New York Knicks.[8] Logo em seguida George comandou os Pacers até as finais da Conferencia Leste contra o Miami Heat. No Jogo 1, o Heat ganhava por 92–89, quando faltando apenas 0,7 segundos para o fim do 4/4, George fez uma cesta de três pontos, empatando o jogo e forçando uma prorrogação. Durante a prorrogação, Dwyane Wade cometeu falta em George faltando 2,2 segundos. Apesar de George converter todos os 3 lances livres e colocar sua equipe na frente por 102–101, os Pacers acabou perdendo quando LeBron James virou o jogo com uma cesta no estouro do cronômetro.[9] Na série, os Pacers não foram pários para o poderoso Heat que venceu a série por 4–3 e logo em seguida foi campeão da NBA derrotando o San Antonio Spurs em 7 jogos.

Temporada 2013–14[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2013, George foi eleito o Jogador do Mês da Conferência Leste, após ter médias de 23 pontos, 6,1 rebotes, 3,1 assistências e 2,2 roubos. George liderou a equipe a um recorde de 15–1 nesse período. No dia 2 de dezembro de 2013, George marca 43 pontos, 3 rebotes e 3 assistências na derrota para o Portland Trail Blazers por 102–106, estabelecendo seu recorde de pontos em uma partida na carreira. Na temporada regular, George obteve médias de 21,7 pontos, 6,8 rebotes e 3,5 assistências, ajudando o Indiana Pacers a ficarem com a melhor campanha no Leste.

Na primeira rodada dos playoffs, os Pacers venceram o Atlanta Hawks por 4–3. George marcou 30 pontos e pegou 11 rebotes no Jogo 7 da série. [10] Na segunda rodada, Indiana enfrentou o Washington Wizards e venceu a série por 4–2, chegando pelo segundo ano seguido as finais da Conferência Leste, novamente contra o Miami Heat. [11]

Nas finais de Conferência, os Pacers pelo terceiro ano consecutivo foram novamente eliminados nos playoffs pelo Miami Heat, desta vez por 4–2 na série, pondo fim na temporada da equipe de Indiana. George terminou a pós-temporada com médias de 22,6 pontos, 7,6 rebotes e 3,8 assistências. [12]

Temporada 2016–17[editar | editar código-fonte]

Após os Pacers terminar a temporada regular como o sétimo melhor time do Leste, com um recorde de 42–40, George novamente enfrenta LeBron James, dessa vez atuando pelo Cleveland Cavaliers, na primeira rodada dos playoffs da Conferência Leste.

Faltando 40 segundos para o final do Jogo 1, com os Cavaliers liderando a partida por 109–105, George acerta uma da de três pontos, diminuindo a diferença para apenas um ponto. Com menos de 10 segundos para o fim, após James errar o arremesso de três e o Cleveland usar sua última falta do quarto, George com a bola, é obrigado a fazer um passe para C. J. Miles (depois de J. R. Smith e James dobrarem na marcação) que erra o arremesso decisivo, dando a vitória para a equipe de Cleveland após uma partida equilibrada, com o placar final de 109–108. George terminou a partida com 29 pontos, 5 rebotes e 7 assistências.

No Jogo 2, George marcou 32 pontos, 8 rebotes e 7 assistências, mas não foi suficiente e os Cavaliers venceram a partida por 117–111, com o trio Love, Irving e James combinando 89 pontos.

No Jogo 3, George marcou apenas dois pontos no primeiro quarto, mas no segundo, marcou 19 e levou os Pacers a uma liderança de 26 pontos, a maior diferença entre as equipes em toda a série. Mas, novamente após o intervalo, a equipe de Cleveland liderado por LeBron James, que marcou um triplo-duplo, conseguiu a maior virada na história dos playoffs da NBA, [carece de fontes?] com Irving e Love no banco, os reservas dos Cavaliers fizeram a diferença, levando o Cavs à vitória por 119–114. George flertou com o triplo-duplo, marcando 36 pontos, 15 rebotes e 9 assistências no jogo.

No Jogo 4, os destaques dos Pacers foram Lance Stephenson e Myles Turner, com 22 e 20 pontos e 9 rebotes, respectivamente. George anotou 15 pontos, 7 rebotes e 6 assistências, na derrota por 106–102 para os Cavaliers, que fechou a série por 4–0. George novamente é derrotado por LeBron nos playoffs.

Oklahoma City Thunder (2017–2019)[editar | editar código-fonte]

Temporada 2017–18[editar | editar código-fonte]

George chegou ao Oklahoma City Thunder em junho de 2017, numa troca que envolveu a ida de Domantas Sabonis e Victor Oladipo para o Indiana Pacers.[13] Ele se tornou um dos principais reforços da franquia na temporada, ao lado de Carmelo Anthony,[14] criando a expectativa de um grande trio com Russell Westbrook, que era o atual MVP da Temporada Regular.[15]

Já na estreia pela nova equipe, marcou 28 pontos numa vitória por 105–84 diante do New York Knicks.[16] Teve outras atuações de destaque, como os 42 pontos no triunfo sobre o Los Angeles Clippers, acertando 13 dos 22 arremessos e somando ainda 9 rebotes e 7 assistências.[17] Apesar de não ter sido escolhido inicialmente, participou do Jogo das Estrelas pela quinta vez por conta da lesão do pivô DeMarcus Cousins.[18]

Nos playoffs, quebrou o recorde de bolas de três pontos convertidas pelo Oklahoma City Thunder em pós-temporada, acertando oito em 11 tentativas,[19] já no primeiro jogo contra o Utah Jazz. O time, no entanto, foi eliminado pela equipe ainda na primeira rodada perdendo a série por 4–2.[20] Na última partida, George fez apenas cinco pontos e acertou dois dos 16 arremessos de quadra.[21]

Temporada 2018–19[editar | editar código-fonte]

Virando agente livre após a última temporada, muitos rumores sobre uma possível saída de George para o Los Angeles Lakers tomaram conta da mídia norte-americana.[22] No entanto, o ala decidiu assinar um novo contrato com o Oklahoma City Thunder, firmando um vínculo de quatro anos.[23] A decisão foi anunciada em uma festa com Russell Westbrook no dia 1 de julho, em que George disse para a torcida: "Se vocês ainda não entenderam, eu estou aqui para ficar".[24]

Los Angeles Clippers (2019–presente)[editar | editar código-fonte]

No dia 6 de junho de 2019, George acertou sua ida para o Los Angeles Clippers após uma troca entre Thunder e Clippers.[25]

Seleção nacional[editar | editar código-fonte]

George foi incluído na pré-lista para o Mundial de 2014 e faria a sua estreia pela Seleção Estadunidense.[26] No entanto, em um amistoso de exibição em Las Vegas, o ala sofreu uma séria fratura na perna direita em uma disputa de bola com James Harden.[27] Desta forma, não participou da competição e ainda perdeu parte da temporada da NBA, voltando somente na reta final.[28]

Completamente recuperado e vivendo bom momento no Indiana Pacers, George voltou a ser convocado em 2016, desta vez para a disputa dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.[29] Titular, fez parte da equipe que conquistou a medalha de ouro vencendo a Sérvia na decisão[30] ao lado de nomes como Carmelo Anthony e Kevin Durant. Terminou a competição com média de 11,2 pontos, 4,5 rebotes e 1,9 assistências.[31]

Estatísticas na NBA[editar | editar código-fonte]

LEGENDA
 PJ  Partidas jogadas  PI  Partidas iniciadas  MPJ  Minutos por jogo  AP  Arremessos de quadra (%)
 3P  Arremessos de 3 pontos (%)  LL  Lances-livre (%)  RT  Rebotes por jogo  AS  Assistências por jogo
 BR  Roubos de bola por jogo  TO  Tocos por jogo  PPJ  Pontos por jogo  Negrito  Melhor da carreira

Temporada Regular[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe PJ PT MPJ AP 3P LL RT AS BR TO PPJ
2010–11 Pacers 61 19 20.7 .453 .297 .762 3.7 1.1 1.0 0.4 7.8
2011–12 Pacers 66 66 29.7 .440 .385 .802 5.6 2.4 1.6 0.6 12.1
2012–13 Pacers 79 79 37.6 .419 .362 .807 7.6 4.1 1.8 0.6 17.4
2013–14 Pacers 80 80 36.2 .424 .364 .864 6.8 3.5 1.9 0.3 21.7
2014–15 Pacers 6 0 15.2 .367 .409 .727 3.7 1.0 0.8 0.2 8.8
2015–16 Pacers 81 81 34.8 .418 .372 .860 7.0 4.1 1.9 0.4 23.1
2016–17 Pacers 75 75 35.9 .461 .394 .898 6.6 3.3 1.6 0.4 23.7
2017–18 Thunder 77 77 36.9 .438 .386 .839 5.7 3.3 2.0 0.5 21.9
2018–19 Thunder 79 79 36.6 .430 .401 .822 8.2 4.1 2.2 0.4 28.0
Carreira 604 556 33.8 .433 .3768 .844 6.4 3.3 1.8 4 19.8
All-Star 6 3 25.7 .495 .390 1.000 4.2 3.5 1.5 0.0 20.7

Playoffs[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe PJ PT MPJ AP 3P LL RT AS BR TO PPJ
2011 Pacers 5 5 26.6 .303 .231 .875 5.0 1.0 1.4 2.0 6.0
2012 Pacers 11 11 33.7 .389 .268 .786 6.6 2.4 1.6 0.4 9.7
2013 Pacers 19 19 41.1 .430 .327 .727 7.4 5.1 1.3 0.5 19.2
2014 Pacers 19 19 41.1 .438 .403 .789 7.6 3.8 2.2 0.4 22.6
2016 Pacers 7 7 39.3 .455 .419 .953 7.6 4.3 2.0 0.7 27.3
2017 Pacers 4 4 42.9 .386 .429 .867 8.8 7.3 1.8 0.5 28.0
2018 Thunder 6 6 41.9 .408 .365 .861 6.0 2.7 1.3 0.7 24.7
2019 Thunder 5 5 40.8 .436 .361 .816 8.6 3.6 1.4 .2 28.6
Carreira 76 76 39.0 .423 .361 .809 7.3 3.9 1.7 .6 20.1

Prêmios e Homenagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Paul George é o jogador que mais evoluiu na NBA». Terra 
  2. «2010 NBA Draft | Basketball-Reference.com». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 30 de abril de 2018 
  3. «Paul George é trocado pelos Pacers e jogará no Thunder». ESPN 
  4. «Paul George Signs with Pacers» (em inglês). Consultado em 23 de Maio de 2013. Arquivado do original em 12 de maio de 2012 
  5. «"Eastern Conf All-stars vs. Western Conf All-stars - Box Score"» (em inglês). Consultado em 23 de Maio de 2013 
  6. «"Paul George wins Most Improved"» (em inglês). Consultado em 23 de Maio de 2013 
  7. «"Paul George steps up as Pacers take Game 1 vs. Hawks"» (em inglês). Consultado em 23 de Maio de 2013 
  8. «"Pacers vs Knicks"» (em inglês). Consultado em 23 de Maio de 2013 
  9. «LeBron brilha na prorrogação e garante vitória do Heat contra Pacers». Terra.com.br. 23 de maio de 2013 
  10. «Paul George brilha, Indiana despacha Atlanta e avança na Conferência Leste» (em inglês). Consultado em 03 de Maio de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  11. «Pacers batem Wizards, fecham série e terão revanche diante do Heat» (em inglês). Consultado em 16 de Maio de 2014 
  12. «Heat 'goleia' Pacers, decide o título mais uma vez e segue firme na busca pelo tricampeonato». Consultado em 31 de Maio de 2014 
  13. «Envolvido em troca, Paul George deixa os Pacers para atuar pelo Thunder». sportv.com 
  14. «Knicks acertam troca por Carmelo, e Thunder forma novo super-time na NBA». ESPN 
  15. «Em temporada de marcas históricas, Westbrook leva o prêmio de MVP». sportv.com 
  16. «Westbrook, Anthony e George brilham em estreia do Thunder na temporada - Esporte - BOL Notícias». noticias.bol.uol.com.br. Consultado em 1 de maio de 2018 
  17. «Thunder vence Clippers com grande atuação de Paul George; Celtics triunfam» 
  18. «Paul George vai substituir o lesionado DeMarcus Cousins no All-Star Game da NBA - Esportes - Estadão». Estadão 
  19. AP, Cliff Brunt, (16 de abril de 2018). «PG13 sets OKC playoff record for triples as Thunder down Jazz in Game One | SPIN.PH». Sports Interactive Network Philippines 
  20. «Mitchell acaba com jogo, Jazz vence o Thunder e avança nos playoffs da NBA». ESPN.com 
  21. «A maior decepção da temporada da NBA: estelar OKC é eliminado na 1ª rodada do playoff» 
  22. «Rumores da free agency: LeBron James e Paul George podem discutir se juntarem nos Lakers» 
  23. «Paul George aceita contrato de 4 anos e U$ 137M com o Thunder» 
  24. «Paul George anuncia que ficará no Thunder» 
  25. https://twitter.com/wojespn/status/1147383639036092416
  26. Superesportes. «Estados Unidos divulgam pré-lista de convocados para o Mundial sem astro LeBron James». Superesportes 
  27. «Paul George tem fratura semelhante à de Spider durante exibição dos EUA». globoesporte.com 
  28. «Curado de grave lesão, Paul George pode retornar às quadras em março». globoesporte.com 
  29. «Estados Unidos anuncia convocação do basquete para o Rio 2016». GaúchaZH 
  30. Conteúdo, Estadão (21 de agosto de 2016). «EUA atropelam Sérvia e levam ouro no basquete - Olimpíadas - iG». Esporte 
  31. «Paul George profile, Olympic Games: Tournament for Men 2016 | FIBA.COM». FIBA.COM 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Paul George