Lenda da morte de Paul McCartney

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Paul McCartney está morto?)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A "suposta morte de Paul McCartney", também bastante conhecida em inglês como "Paul is dead" ("Paul está morto"), consiste basicamente em boatos de que Paul McCartney, integrante dos Beatles, teria morrido em um acidente em 1966 e sido substituído por um sósia.

A História[editar | editar código-fonte]

Em 1966, logo após o lançamento do álbum Revolver, os Beatles pararam de excursionar em virtude da dificuldade de tocar ao vivo os arranjos cada vez mais complexos e inusitados de suas músicas. Este fato, aliado a um acidente de carro sem maiores consequências sofrido por Paul McCartney, deu origem ao surgimento algum tempo depois do maior e mais duradouro boato de todos os tempos: o de que Paul McCartney havia morrido e sido substituído por um sósia.

O boato inicia-se afirmando que Paul realmente morreu no dia 9 de novembro de 1966, após colidir num cruzamento, segundo dizem, a notícia chegou a ser veiculada numa emissora de rádio, mas tudo foi "abafado". A batida foi tão forte que chegou a desfigurá-lo, matando-o instantaneamente. Foi por isso que o empresário divulgou que os Beatles não fariam mais apresentações ao vivo. Paul tinha um sósia quase-perfeito de origem anglo-escocesa, que inclusive, teria sido dublê de Paul durante as filmagens de “A Hard Day’s Night” (64) e “Help!” (65). Logo, o tal sósia foi convocado - seu nome seria Willian Campbell (outras fontes citam que o nome do sósia seria Billy Shears, personagem que seria "apresentado" ao mundo, de forma velada, em Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band), já que os Beatles tinham contrato milionário com a Capitol Records.

Centenas de matérias em jornais, especulações de fãs e mesmo livros foram surgindo sustentando a versão da morte de Paul. As pessoas que acreditavam nisto se basearam em centenas de pistas que supostamente haviam sido deixadas de propósito pelos outros Beatles nas letras das músicas, nas capas dos discos e nos filmes posteriores da banda.

Os Beatles sempre negaram qualquer envolvimento ou colaboração com os boatos. As "pistas", porém, contribuíram durante algum tempo para melhorar a divulgação e aumentar as vendas dos discos dos Beatles. Segundo a teoria, estas "pistas" teriam sido feitas por John Lennon que, indignado com a farsa, decidiu espalhar a notícia da morte de Paul. Entre estas pistas, a talvez mais famosa esteja presente na música Strawberry Fields Forever, onde Lennon, ao final, diz “I Buried Paul” (Eu enterrei Paul). Anos mais tarde, Lennon revelou que na realidade a frase era "Cranberry Sauce", o nome de um molho usado para temperar aves, como o peru.

A possível morte de Paul McCartney[editar | editar código-fonte]

Paul teria morrido em um acidente de carro às 5 horas da manhã de uma quarta-feira, dia 9 de novembro de 1966. Sofreu esmagamento craniano e/ou foi decapitado ao colidir com outro veículo por não ter observado o sinal do cruzamento fechar, conforme teria sido contado posteriormente na música A Day in the Life: "he blew his mind out in a car... he didn't notice that the lights had changed" ("Ele arrebentou a cabeça num carro... não percebeu que o sinal havia mudado"). No acidente, seu rosto teria sido desfigurado e ele teria perdido seus dentes, o que inviabilizou a identificação do corpo (não existia, na epoca, exames de DNA para identificação). Desta forma, os outros Beatles teriam resolvido substituí-lo por um sósia.

De fato, Paul sofreu um acidente de moto que lhe valeu um corte no lábio superior e um dente quebrado. Nada muito grave além disso. Isto pode ser observado no vídeo de Paperback Writer e Rain, onde Paul parece com uma parte do dente quebrado e com os lábios inchados. Quanto a letra de A Day In The Life, Lennon compôs a letra após ler a notícia da morte do jovem socialite Tara Browne, herdeiro da cervejaria Guinness, de 21 anos, morto em 18 de dezembro de 1966. John estava tocando piano em sua casa quando leu a notícia da morte de Browne no jornal Daily Mail. Tara Browne estava dirigindo com sua namorada, a modelo Suki Potier, no seu Lotus Elan através da South Kensington em alta velocidade (alguns relatos sugerem cerca de 170km/h). Ele não conseguiu ver a luz do sinal de trânsito e prosseguiu através da esquina da Redcliffe Square com a Redcliffe Gardens, colidindo com um caminhão estacionado e morreu no dia seguinte.

Para a escolha do substituto teria sido foi feito um concurso nacional de sósias e o vencedor, William Campbell ou Billy Shears, após vencer o concurso teria feito algumas operações plásticas para aumentar sua semelhança com o Beatle morto e poder substituí-lo. A única falha que não pode ser corrigida foi a estatura de Billy Shears que é 4 a 5 centímetros mais alto que Paul.

Com o sósia colocado no lugar do verdadeiro Beatle, os demais integrantes da banda e seus produtores teriam começado a divulgar várias pistas para que os fãs pudessem descobrir que o verdadeiro Paul havia morrido. A maioria das pistas relatadas exige bastante senso crítico.

Início dos boatos[editar | editar código-fonte]

A suposta "morte de Paul McCartney" foi primeiramente noticiada em 12 de outubro de 1969 em uma rádio de Detroit, prefixo WKNR-FM, nos Estados Unidos, pelo disc jockey Russ Gibb. Ele havia recebido um telefonema de um ouvinte o instruindo para algumas pistas em músicas e capas de discos que indicavam a suposta morte. Russ Gibb neste dia leu a lista das pistas no ar e também improvisou algumas mais.

Para seu espanto, os jornais locais levaram a sério esta brincadeira e publicaram a lista. No final do mês de outubro os boatos tinham se espalhado de tal forma nos Estados Unidos que obrigaram Paul McCartney, em férias na Escócia, a vir a público, em uma entrevista para a revista Life, desmentir os boatos sobre a sua morte. A partir daí, vários livros foram escritos e, cada vez mais, novos "fatos" foram sendo "encontrados" e adicionados à lista de indícios sobre a sua morte.

Lista das pistas nos discos[editar | editar código-fonte]

Rubber Soul[editar | editar código-fonte]

Foto de capa[editar | editar código-fonte]

  • Os Beatles olham para baixo como se observassem uma sepultura, que seria a de Paul McCartney.
  • Os Beatles estavam de cabelos compridos para esconder as cicatrizes do rosto de Paul.
  • A fotografia foi distorcida para que não se notasse que Paul havia sido substituído.

Canções[editar | editar código-fonte]

  • Girl continha a primeira citação à morte, o que se tornaria comum em canções posteriores.

    Did she understand it when they said (Ela entendeu quando disseram) That a man must break his back (Que um homem deve trabalhar duro) To earn his day of leisure? (Para conseguir seu dia de lazer?) Will she still believe it when he's dead? (Ela ainda acreditará nisso quando ele estiver morto?)

  • I'm Looking Through You seria uma referência tanto a Paul ter sido substituído por um sósia e não ser mais a mesma pessoa quanto ao fato de o verdadeiro Paul estar em uma sepultura.

    You don't look different, but you have changed (Você não parece diferente, mas você mudou) I'm looking through you, you're not the same (Estou olhando através de você, você não é o mesmo) [...] You were above me, but not today (Você estava acima de mim, mas não hoje) The only difference is you're down there (A única diferença é você estar aí embaixo)

  • In My Life seria uma referência aos Beatles não estarem mais juntos.

    All these places had their moments (Todos esse lugares tiveram seus momentos) With lovers and friends, I still can recall (Com amantes e amigos, eu ainda consigo recordar) Some are dead and some are living (Alguns estão mortos e alguns estão mortos) In my life, I've loved them all (Na minha vida, eu amei todos)

Revolver[editar | editar código-fonte]

Foto de capa de Revolver, a primeira contendo um desenho ao invés de uma fotografia dos integrantes da banda.

Foto de capa[editar | editar código-fonte]

  • Há uma mão aberta sobre a cabeça de Paul, uma maneira de abençoar as pessoas que morrem.
  • Pela primeira vez foi feito um desenho ao invés de uma foto dos Beatles para evitar que o sósia fosse desmascarado.

Canções[editar | editar código-fonte]

  • Taxman seria sobre um taxidermista ao invés de um cobrador de impostos, com citações sobre o acidente de Paul, a sua morte e os serviços de taxidermia.

    If you drive a car, I'll tax the street (Se você dirigir um carro, taxarei a rua) If you try to sit, I'll tax your seat (Se você tentar sentar, taxarei seu assento) If you get too cold, I'll tax the heat (Se você ficar com frio, taxarei o calor) If you take a walk, I'll tax your feet (Se você caminhar, taxarei seus pés) [...] Now my advice for those who die, taxman! (Agora meu conselho para aqueles que morrem, cobrador de impostos!) Declare the pennies on your eyes, taxman! (Declare suas moedas nos seus olhos, cobrador de impostos!)

  • Em Eleanor Rigby, o nome do padre (ou pai) citado na canção, McKenzie, seria um apelido para McCartney.

    Father McKenzie (Padre McKenzie) Wiping the dirt from his hands as he walks from the grave (Limpando a sujeira das suas mãos enquanto se afasta do túmulo) No one was saved (Ninguém foi salvo)

  • She Said She Said continha outra citação à morte.

    She said, "I know what it's like to be dead. (Ela disse, "Eu sei como é estar morta) I know what it is to be sad." (Eu sei como é estar triste) And she's making me feel like I've never been born (E ela está me fazendo sentir como eu nunca tivesse nascido)

  • O médico em Doctor Robert teria sido o responsável por tentar salvar Paul. A letra faz menção ao sósia e ao fato do médico ter feito o possível para tentar salvar o Paul "original".

    Doctor Robert (Doutor Robert) You're a new and better man (Você é um homem novo e melhor) He helps you to understand (Ele lhe ajuda a entender) He does everything he can, Doctor Robert (Ele faz tudo o possível, Doutor Robert)

Capa de Sgt. Pepper's, supostamente retratando um funeral.

Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band[editar | editar código-fonte]

Foto de capa[editar | editar código-fonte]

  • A capa é, na realidade, a cena de uma sepultura (a de Paul) com pessoas olhando e os arranjos de flores típicos de um funeral.
  • Um dos arranjos de flores forma o desenho de um baixo Hofner (semelhante ao que Paul tocava) virado para a direita, já que Paul era canhoto. Isto provaria que é Paul o cadáver que acabou de ser sepultado. O baixo tem apenas três cordas ao invés de quatro, uma referência aos Beatles sem o seu quarto companheiro.
  • O arranjo onde aparentemente está escrito "Beatles" na realidade deve ser lido como "be at Leso" (fique em Leso, em inglês, ilha em que Paul teria sido enterrado).
  • Sobre a cabeça de Paul há novamente uma mão aberta.
  • Abaixo do nome "Beatles" aparece uma descrição feita com flores amarelas onde se lê "Paul D" (d de dead, "morto" em inglês).
  • Uma boneca da gravura da capa segura um carro de brinquedo. O carro seria do mesmo modelo do em que Paul haveria morrido, cujo interior é vermelho na capa do álbum em referência ao sangue decorrente do desastre.
  • Embaixo da letra T do nome "Beatles" há uma pequena estatueta de Shiva, Deus Hindú da morte, que aponta para Paul.
  • Na foto da contracapa, todos os Beatles olham para a frente, com exceção de Paul. Além disso, pode-se notar George apontando o dedo indicador exatamente para a frase de She's Leaving Home contendo o dia da semana e a hora da suposta morte de Paul, "Wednesday morning at five o'clock as the day begin" (quarta-feira de manhã às cinco horas quando o dia começa, em inglês).
  • Em uma foto do encarte, Paul tem no braço uma insígnia onde está escrito OPD, que seria a sigla para "Officially Pronounced Dead" (oficialmente considerado morto, em inglês).
  • Na gravura da bateria, se um espelho for colocado horizontalmente cortando a frase "Lonely Hearts", a combinação da parte de cima das letras com o reflexo mostra a frase "one he die" (um ele morre, em inglês), referindo-se à morte de um dos Beatles.
  • Uma outra versão diz que a frase da bateria deve ser lida como "I One IX He ^ Die". "I One" seria 11 (onze), "IX" é 9 (nove) em romanos e a seta que surge entre "He" (ele, em inglês) e "Die" (morre, em inglês) aponta diretamente para Paul em sua ponta superior e para o suposto túmulo em sua ponta inferior, indicando que no dia 9 do mês 11 (novembro), ele (Paul) morreu. Daí surgem controvérsias: na leitura americana, trata-se do dia 9 do mês 11, mas na inglesa entende-se dia 11 do mês 9 (setembro).

Canções[editar | editar código-fonte]

  • Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band continha uma referência ao suposto sósia de Paul, Billy Shears.

    And he wants you all to sing along (E ele quer que vocês todos cantem junto) So let me introduce to you (Então deixem-me apresentar a vocês) The one and only Billy Shears (O primeiro e único Billy Shears) And Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, yeah (E a Banda do Clube dos Corações Solitários do Sgt. Pepper, yeah)

  • With A Little Help From My Friends começa com um coro apresentando Billy Shears, o suposto sósia.
  • Within You Without You continha mais uma citação à morte.

    We were talking about the space between us all (Falávamos sobre o espaço entre todos nós) And the people who hide themselves behind a wall of illusion (E as pessoas que se escondem atrás de uma parede de ilusão) Never glimpse the truth (Nunca vislumbram a verdade) Then it's far too late, when they pass away (Então é tarde de mais, quando elas morrem)

  • Good Morning Good Morning fazia referências sobre a morte de Paul e a hora do seu acidente.

    Nothing to do to save his life, call his wife in (Nada para fazer para salvar sua vida, liga para a sua esposa) "Nothing to say but what a day, how's your boy been?" ("Nada para dizer mas que dia, como seu garoto está?") [...] People running round, it's five o'clock (Pessoas correndo, são cinco da manhã) Everywhere in town is getting dark (Todo lugar na cidade está ficando escuro)

  • A Day In The Life trazia mais uma pista sobre o acidente de Paul.

    He blew his mind out in a car (Ele estourou sua cabeça em um carro) He didn't notice that the lights had changed (Ele não percebeu que o sinal tinha mudado) A crowd of people stood and stared (Um grupo de pessoas parou e olhou) They'd seen his face before (Elas tinham visto seu rosto antes)

LP de Magical Mystery Tour, que acompanhava um livro.

Magical Mystery Tour[editar | editar código-fonte]

Foto de capa[editar | editar código-fonte]

  • Se a capa do disco for olhada com um espelho, as estrelas que formam a frase "Beatles" formam também um número de telefone. Quando se ligava para este número na época em que o disco foi lançado, ouvia-se a mensagem "You're getting closer" (você está chegando perto, em inglês). Na realidade, tratava-se de uma menina bem humorada que havia aderido à brincadeira sobre a morte de Paul.[carece de fontes?]
  • No livro que vinha junto com o disco, em sua versão original, havia uma foto dos Beatles, cada um com uma rosa na lapela. Todos tinham rosas vermelhas, a não ser Paul, que usava uma rosa preta. Paul também aparece descalço em todas as fotos do livro, seguindo o hábito de que os mortos são enterrados descalços.
  • Na foto central do encarte, está escrito "Love 3 Beatles" (ame 3 Beatles, em inglês) na bateria de Ringo, lembrando que os Beatles agora são apenas 3.
  • No desenho dos Beatles, presente no interior do álbum, Paul aparece com o gorro cobrindo parcialmente seu rosto, além de estar com os olhos fechados. A poeira de estrelas que os rodeia também forma uma espécie de auréola sobre a cabeça de McCartney.

Canções[editar | editar código-fonte]

  • Blue Jay Way começava com vozes psicodélicas que acompanhavam a de George Harrison e que supostamente diziam "Paul dead is very bloody" (Paul morto é muito sangrento, em inglês).
  • Ao final de All You Need Is Love , seria possível ouvir John dizendo "yes, he is dead!" (sim, ele está morto, em inglês). Na verdade, ele dizia "Yesterday" , a tradicional canção da primeira fase dos Fab Four.
  • Magical Mystery Tour seria a jornada a que todos os fãs de Paul iriam percorrer para decifrar o enigma de sua morte.

The White Album[editar | editar código-fonte]

Canções[editar | editar código-fonte]

  • Glass Onion citaria o estado que Paul se encontrava após o acidente, onde seu rosto desfigurado se parecia com a de uma morsa. O final sombrio da canção, orquestrado por George Martin, também contribui para o contexto das mensagens subliminares.

    I told you about the walrus and me, man (Eu lhe disse sobre a morsa e eu, homem) You know that we're as close as can be, man (Você sabe que nós somos os mais íntimos possível, homem) Well, here's another clue for you all (Bem, aqui está outra dica para todos vocês) The walrus was Paul (A morsa era Paul)

  • Em I'm So Tired , ao reverter o trecho final da música, é possível ouvir John dizendo "Paul is a dead man, miss him, miss him." (Paul é um homem morto, saudades, saudades, em inglês).
  • Em While My Guitar Gently Weeps,  os gemidos de George no final da música seriam lamentações pelo amigo ("Oh, Paul… Paul… Paul…").
  • Don't Pass Me By também mencionaria o acidente de carro que Paul sofreu.

    I'm sorry that I doubted you (Sinto muito ter duvidado de você) I was so unfair (Eu fui tão injusto) You were in a car crash (Você estava em um acidente de carro) And you lost your hair (E você perdeu seu cabelo)

  • Revolution 9 seria sobre a morte de McCartney (que possui 9 letras). Ao ouvir o verso inicial da canção ao contrário, surge a mensagem "turn me on, dead man" (me excite, homem morto, em inglês), além de pistas em outras partes da música como "let me out" (me deixe sair, em inglês, referência a sair das ferragens do carro).

    In my broken chair (Na minha cadeira quebrada) My wings are broken and so is my hair (Minhas asas estão quebradas e meu cabelo também) I'm not in the mood for whirling (Não estou em um bom humor para rodopiar)

  • As fotos colocadas em várias partes do álbum incluem Paul em uma banheira com a cabeça para fora da água, dando uma impressão de decapitação, Paul entrando em um trem ou ônibus com duas mãos podendo ser vistas atrás dele. Nas fotos em close dos quatro integrantes, a de Paul revela a cicatriz da cirurgia plástica de Willian Campbell, o Billy Shears, para aperfeiçoar sua semelhança com Paul (no entanto, a cicatriz foi causado por um acidente de moto que Paul sofrera, responsável também pela falha no bigode em Sgt Pepper's).
Foto de capa de Yellow Submarine, com a mão de John acima da cabeça de Paul.

Yellow Submarine[editar | editar código-fonte]

Foto de capa[editar | editar código-fonte]

  • Aparece novamente uma mão aberta sobre a cabeça de Paul.
  • O submarino na capa se assemelha a um caixão enterrado sobre a montanha.

Canções[editar | editar código-fonte]

  • Only A Northern Song faz uma referência ao Paul não estar mais com os três Beatles restantes.

    If you think the harmony (Se você acha que a harmonia) Is a little dark and out of key (É um pouco sombria e fora de si) You're correct (Você está certo) There's nobody there (Não há ninguém) And I told you there's no one there (E eu lhe disse que não há ninguém)

Foto de capa de Abbey Road, último álbum gravado pelos Beatles e lançado no mesmo ano do rumor da morte de Paul.

Abbey Road[editar | editar código-fonte]

Foto de capa[editar | editar código-fonte]

  • Paul está com o passo trocado em relação aos outros, é o único fumando e está descalço, além de estar com os olhos fechados.
  • Lennon, de branco, representaria Deus ou Jesus Cristo; Ringo, o agente funerário; Paul, o cadáver; e George, o coveiro.
  • O cigarro que Paul segura seria outra prova da farsa, visto que está na mão direita e o Paul "verdadeiro", que era canhoto, estaria com o cigarro na outra mão.
  • A placa "LMW 281F" do Beetle estacionado se referiria às iniciais de "Linda McCartney Widow" (Linda McCartney viúva, em inglês) e ao fato de que McCartney teria 28 anos se estivesse vivo.
  • Na contracapa, ao lado direito da palavra Beatles, uma imagem feita de luzes e sombras formaria uma caveira e ao lado esquerdo, haveria 8 pontos formando o número 3 (sendo então 3 Beatles).

Canções[editar | editar código-fonte]

  • Come Together faz uma referência ao fato de que existiriam somente três Beatles restantes.

    Mojo filter, he say (Mojo filter, ele diz) "One and one and one is three" (Um e um e um é três) Got to be good looking 'cause he so hard to see (Deve ter boa aparência porque ele é tão díficil de ver)

Foto de capa de Let It Be, último álbum lançado pelos Beatles.

Let It Be[editar | editar código-fonte]

Foto de capa[editar | editar código-fonte]

  • Paul é o único cujo fundo está em vermelho, enquanto os outros Beatles se encontram em frente a um fundo branco.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Patterson, R. Gary. The Walrus Was Paul: The Great Beatle Death Clues. Fireside Publishing, 1998. ISBN 0-684-85062-1.
  • Reeve, Andru J. Turn Me On, Dead Man: The Beatles and the "Paul is Dead" Hoax. AuthorHouse Publishing, 2004. ISBN 1-4184-8294-3.
  • Turner, Steve. A Hard Day's Write: The Stories Behind Every Beatles' Song, Harper, New York: 1994, ISBN 0-06-095065-X
  • Lewisohn, Mark. The Complete Beatles Recording Sessions: The Official Story of the Abbey Road Years, Hamlyn Publishing Group Limited, London: 1988, ISBN 0-600-55798-7

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]