Paulista Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para Paulista Futebol Clube, veja Paulista (desambiguação).
Paulista
PaulistaFC.png
Nome Paulista Futebol Clube
Alcunhas Galo da Japi
Tricolor Jundiaiense
Galinho Jundiaiense
Mascote Galo
Principal rival Ponte Preta
Fundação 17 de maio de 1909 (108 anos)
Estádio Jayme Cintra
Capacidade 15.155 pessoas
Presidente Brasil Pepe Verdugo
Treinador Brasil Sergio Caetano
Patrocinador Brasil Coopercica
Material (d)esportivo Brasil Lambra
São Paulo A3 2017
São Paulo CP 2017
17º colocado (rebaixado)
A definir
São Paulo A2 2016
São Paulo CP 2016
15º colocado (rebaixado)
1ª fase
São Paulo A2 2015
São Paulo CP 2015


Brasil CB 2005|| {{{posição3}}}

Ranking nacional Baixa (55) 217º lugar, 50 pontos
Website Paulista Futebol Clube
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Paulista Futebol Clube, conhecido popularmente como Galo do Japi, é uma agremiação esportiva brasileira da cidade de Jundiaí, interior do estado de São Paulo.

Fundado em 17 de maio de 1909, seu título mais importante no futebol é a Copa do Brasil de 2005, conquistada numa final contra o Fluminense.

Atualmente disputa o Campeonato Paulista da Série A4 e a Copa Paulista.

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundado a 17 de maio de 1909 por funcionários da Companhia Paulista de Estradas de Ferro. Na verdade, o clube dá continuidade ao Jundiahy Foot Ball Club, que existiu na cidade de Jundiaí, entre 1903 e 1908.

Nos primeiros anos de fundação, o clube servia mais para disputas internas dos seus associados. Entre 1919 e 1933, o Paulista se filiou a A.P.E.A. (Associação Paulista de Esportes Athléticos) e a L.A.F. (Liga de Amadores de Futebol), deixando as disputas internas e nesta época conquistou três vezes o título do interior.

Em 1926, o Galo do Japi faz história: é convidado a participar do Campeonato Paulista de Futebol de 1926, organizado pela Liga dos Amadores de Futebol, se tornando o segundo clube do interior do Estado a disputar a Primeira Divisão Paulista. O primeiro havia sido o Hydecroft Foot-Ball Club, coincidentemente também de Jundiaí, que disputara o Paulistão de 1914.[1]

No ano de 1941, foi criada a Federação Paulista de Futebol, federação na qual o clube se filia.

Em 1948, foi criada a segunda divisão estadual, na qual o Paulista sempre esteve, mas na qual só teve sucesso no ano de 1968, quando conquistou o acesso de maneira invicta, sendo que no último jogo da Fase Final, o Galo venceu o Barretos, pelo placar de 3 a 0.

O Paulista ficou dez anos na 1ª divisão, sendo que foi rebaixado em 1978. Mas, em 1984, o Galo estava de volta elite, após vencer o VOCEM por 7 a 1. Porém, em 1986, o clube foi rebaixado outra vez à 2ª divisão.

Mas em 1990, a história muda. Primeiro a parceria com a Lousano, que muda o nome do clube para Lousano Paulista, trazendo o clube da Série A-3 a A-2 em 1995. Em 1997, o Galo conquista o inédito título da Copa São Paulo de Futebol Júnior, vencendo na final o Corinthians.

Em 1998, foi desfeita a parceria com a Lousano, mas o clube acerta uma parceria com a Parmalat, que faz alterar o nome do clube radicalmente para Etti Jundiaí. No fim das contas, os investimentos que a empresa fez ao clube foram bons, pois trouxeram o clube de volta à 1ª divisão estadual e à 2ª divisão nacional.

No ano de 1999, o clube sagrou-se campeão da Copa Estado de São Paulo, que atualmente leva o nome de Copa Paulista. Em 2002, a Parmalat retira os investimentos do futebol e o clube começa a tocar a sua vida sem parceiros, com o nome voltando a ser Paulista após um plebiscito realizado na cidade.

Em 2004, o clube chega à final do Campeonato Paulista, torneio que perde para o São Caetano. Em 2005, o clube atinge a sua fama em nível nacional conquistando a Copa do Brasil, derrotando apenas adversários da 1ª divisão. As vítimas do Galo, comandado pelo técnico Vágner Mancini, foram: Juventude, Botafogo, Internacional, Figueirense, Cruzeiro e Fluminense.

Antigo escudo

Em 2006, o Paulista disputou o 1º torneio internacional de sua história, a Copa Libertadores da América de 2006, torneio em que o clube não passou da 2ª fase. Mas um jogo marcou a torcida: a vitória sobre o River Plate, em Jundiaí, pelo placar de 2 a 1. No Campeonato Brasileiro da Série B, o time quase subiu para a Série A nacional, porém ficou na 5ª colocação empatado com o América de Natal em número de pontos, mas perdendo no número de vitórias. Neste mesmo ano, no dia 17/11/2006, o Paulista aplicou impiedosos 9x0 na equipe do Paysandu, do Pará.

Em 2007, o Paulista não se saiu bem na Série B e foi rebaixado para a Série C junto com Santa Cruz, Remo e Ituano.

Em 2009, o clube foi vice-campeão da Copa Paulista. No ano seguinte, em 2010, o Paulista chegou novamente à final e conquistou o título da competição, que também permitiu que o clube voltasse a disputar a Copa do Brasil em 2011, ano em que a equipe quase chegou a voltar a disputar o Campeonato Brasileiro. Como resultado, a equipe disputou e foi campeã da Copa Paulista.

Em 2012 e 2013 fez um razoável campeonato paulista, mas no ano seguinte (2014) fez uma má campanha que culminou no rebaixamento para serie A2 do campeonato paulista depois 14 edições na serie principal.

Em crise e rebaixado à Série A2, o campeão da Copa do Brasil de 2005 contará com apoio de pessoas que formaram empresa para captar patrocínios e saldar dívidas (que alcançam cerca de 27 milhões de reais). O galo se inspira no Time Holandês PSV para retornar á elite paulista. O projeto é captar recursos para a formação da equipe e pagamento das despesas.

O maior rival do Paulista nunca deixou de ser a Ponte Preta. As duas equipes do interior travam sempre uma batalha no clássico, ainda que a rivalidade contra o Bragantino muitas vezes seja maior do que com a Macaca de Campinas. Outro rival é o Ituano, com quem protagoniza o clássico Briga de Galo.

Em 2016 ficou em último lugar no RNC (Ranking Nacional dos Clubes), feito pela CBF. Dos 234 que fazem parte da entidade máxima do futebol brasileiro, o Paulista coloca-se no 217º lugar, considerado como último devido ao empate entre diversos clubes. Em 2015 o Galo figurava em 163º, o que significa uma queda de 54 posições. Em 2017 o Paulista futebol clube foi rebaixado a segunda divisão de São Paulo

Títulos[editar | editar código-fonte]

Honorários
Competição Títulos Temporadas
WikiCup Trophy Gold.png Taça dos Invictos 1 1967 (21 partidas)
Nacionais
Competição Títulos Temporadas
CBF - Brazilian Cup.svg Copa do Brasil 1 2005
Trofeu Camp Brasileiro serie C.jpg Campeonato Brasileiro - Série C 1 2001
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Paulista Championship Trophy.png Campeonato Paulista do Interior 2 1919 e 1921
Paulista Championship Trophy.png Copa Paulista 3 1999, 2010 e 2011
Paulista Championship Trophy.png Campeonato Paulista - Série A2 2 1968 e 2001

Outras conquistas[editar | editar código-fonte]

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

(1) Como Lousano Paulista',nessa mesma edição revelaram o talento das futuras gerações Thomas Bruschi'.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Participações em 2017
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última A Aumento R Baixa
São Paulo Campeonato Paulista 28 Vice-campeão (2004) 1926 2014 3
Série A2 41 Campeão (1968 e 2001) 1948 2016 3 2
Série A3 3 Vice-campeão (1995) 1994 2017 1 1
Brasil Série B 6 4º colocado (2002) 2002 2007 1
Série C 7 Campeão (2001) 1995 2008 1
Série D 1 18º colocado (2009) 2009 2009
Copa do Brasil 3 Campeão (2005) 2005 2012
Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Libertadores da América 1 2ª Fase (2006) 2006 2006

Últimas dez temporadas[editar | editar código-fonte]

Brasil Brasil São Paulo São Paulo
Ano Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Campeonato Paulista Copa Paulista
Div. Pos. Pts J V E D GP GC Fase Máxima Div. Pos. Fase Máxima
2008 C 36º 8 6 2 2 2 6 6 A1 12º
2009 D 18º 10 8 2 4 2 5 6 A1 12º F
2010 D Não classificado A1 15º C
2011 D Não classificado 2F A1 10º C
2012 D Não classificado 1F A1 13º 2F
2013 D Não classificado A1 13º 1F
2014 D Não classificado A1 20º 1F
2015 D Não classificado A2 11º 2F
2016 D Não classificado A2 15º 1F
2017 D Não classificado A3 17º


Legenda:
     Campeão.
     Vice-campeão.
     Eliminado na semifinal.
     Campeão do Campeonato do Interior
     Rebaixado à divisão inferior.
     Promovido à divisão superior.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Em 1926 o Paulista foi o segundo time do interior a disputar um Campeonato Paulista da Primeira Divisão. Curiosamente o primeiro time a disputar também era de Jundiaí, chamado Hydecroft Foot-Ball Club, mas este foi extinto em 1917.
  • No ano de 2005 o Paulista sagrou-se campeão da Copa do Brasil em sua primeira participação na competição. Além disso, todos os adversários do Galo encontravam-se na primeira divisão do Campeonato Brasileiro daquele ano: Juventude, Botafogo, Internacional, Figueirense, Cruzeiro e Fluminense.
  • O primeiro jogo internacional da história do Paulista ocorreu em 15/02/2006 contra o El Nacional do Equador em partida válida pela segunda fase da Copa Libertadores da América. O jogo disputado no estádio Olimpico Atahualpa em Quito/EQU terminou empatado em 1x1. O primeiro gol internacional do Galo foi marcado pelo atacante Abraão.
  • O Galo é o dono da maior goleada da história do Campeonato Brasileiro da Série B. No dia 18/11/2006 o Paulista goleou o Paysandú/PA por 9x0. O atacante Jaílson marcou 5 gols naquela oportunidade. Outras goleadas notáveis do time na série B foram 7x0 contra o Barueri em 15/09/2007 e 7x1 contra o Londrina em 30/08/2003.
  • No ano de 2007 em jogo válido pela Copa Federação Paulista de Futebol (atual Copa Paulista), Luiz Henrique, atleta do Paulista, marcou dois gols olímpicos na mesma partida. O jogo terminou empatado em 5 gols contra a equipe do Ituano.

Copa do Brasil 2005[editar | editar código-fonte]

Campanha[editar | editar código-fonte]

O Paulista foi campeão da Copa do Brasil de 2005 com a seguinte campanha:

Fase Confronto Ida Volta
Primeira eliminatória São Paulo Paulista - Juventude 1-0 1-1
Segunda eliminatória São Paulo Paulista - Botafogo 1-1 2-2
Oitavas-de-final Internacional - Paulista São Paulo 1-0 0-1 (2-4 p)
Quartas-de-final Figueirense - Paulista São Paulo 1-0 0-1 (1-3 p)
Semifinal São Paulo Paulista - Cruzeiro 3-1 2-3
Final São Paulo Paulista - Fluminense 2-0 0-0

Final[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Copa do Brasil de Futebol 2005 - Final

O time da segunda partida da decisão foi:

O atacante Léo, autor de um dos gols no primeiro jogo da final, estava suspenso.

Estádio[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estádio Doutor Jayme Cintra
Busto do Dr. Jayme Pinheiro de Ulhôa Cintra localizado no Complexo Fepasa em Jundiaí

O Estádio Doutor Jayme Cintra foi inaugurado em 30 de maio de 1957, com um jogo amistoso entre Paulista e Palmeiras, no qual o Paulista venceu por 3 a 1. O primeiro gol do estádio foi marcado pelo atacante Belmiro, do time da casa. Atualmente, possui capacidade para 15.000 pessoas.

O nome do estádio é oriundo de um ex-presidente da extinta Companhia Paulista de Estradas de Ferro. Jayme Pinheiro de Ulhôa Cintra nasceu no dia 1º de maio de 1886, na cidade de Campinas. Formou-se engenheiro civil em 1907 pela Escola Politécnica, atualmente da Universidade de São Paulo, como primeiro aluno da turma, situação única que lhe garantiu colocação na Companhia Paulista de Estradas de Ferro, como engenheiro praticante, em 1908.

Exerceu o cargo de presidente da Companhia de 1º de janeiro de 1950 a 1º de junho de 1961. Faleceu em 1º de junho de 1962. Foi um dos principais responsáveis pela construção e iluminação do estádio.

Partida Paulista 0 x 0 Audax em 18/01/2014 disputada no estádio Dr. Jayme Pinheiro de Ulhôa Cintra em jogo válido pelo Campeonato Paulista de Futebol da Série A1

Elenco Profissional 2017[editar | editar código-fonte]

Última atualização: 30-1-2017.

Legenda:

  • Capitão: Atual capitão
  • Emprestado.: Emprestado
  • Prata da casa: Prata da casa (Jogador da base)


Goleiros
Jogador
Brasil Iago Prata da casa
Brasil João Paulo
Brasil Stivi Boiadeiro
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Fabão Z
Brasil Gut Prata da casa Z
Brasil Léo Z
Brasil Rafael Caldeira Z
Brasil Edson Cruz LD
Brasil Euzébio LD
Brasil Zuquinha LD
Brasil Marcelo Vilella LE
Brasil Douglas LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Rodolfo V
Brasil Fernando Lopes V
Brasil Dick V
Brasil Brendon V
Brasil Paulinho V
Brasil Rafael Branco M
Brasil William Dias M
Brasil Radsley M
Brasil Dudu M
Brasil Guilherme Pitt M
Atacantes
Jogador
Brasil Ingro
Brasil Jaílton
Brasil Alexandre Vecchio
Brasil Igor Pato
Brasil Criciúma
Brasil Adelino
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Umberto Louzer T
Brasil Bi PF
Brasil Carlão TG
Brasil Ahmad MD
Brasil Thiago MA
Brasil Willian OU

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Maiores artilheiros da história do Paulista Futebol Clube:

 
Goleadores
1. Sancho 1926-37 87 gols
2. Camargo 1920-34 81
3. Ricardo 1981-86 71
4. Batata 1919-32 68
5. Jean Carlos 1998-2002 64

Goleiros que mais defenderam o Paulista[editar | editar código-fonte]

Goleiros com maiores atuações da história do Paulista Futebol Clube:

 
Goleiros
1. Edison Mug 175 jogos
2. Nicanor 144
3. Sérgio 136
4. Rafael Bracalli 121
5. Luiz Fernando 105
6. Zé Dica 93
7. Victor 92
8. Artur 91
9. Gilberto 84
10. Zuza 84



Jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]

Torcidas organizadas[editar | editar código-fonte]

Atuais
  • Associação Torcida Raça Tricolor
  • A.Esportiva e Cultural Gamor Força Jovem

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

Ranking atualizado e publicado em 13 de dezembro de 2016.

  • Posição: 217º
  • Pontuação: 50 pontos

O Ranking da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) pontua todos os clubes do Brasil de acordo com as campanhas nos campeonatos nacionais.

Publicações sobre o Paulista[editar | editar código-fonte]

Livros
  • LUCATO, Cláudio (2002). Jundiahy Foot Ball Club ou Paulista F. C. 1 ed. [S.l.]: Editora Literarte. 96 páginas 
  • MANCINI, Vagner (2016). Eterna Conquista 1 ed. [S.l.]: Jornal de Jundiaí 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Dúvidas em São Paulo». Blog História do Futebol 
  2. «Copa do Brasil 2005». RSSSFBrasil 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Predefinição:Campeonato Brasileiro de Futebol - Série C - Cronologia


Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.