Paulo Alcobia Neves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paulo Alcobia Neves
Nascimento 10 de novembro de 1966
São Jorge de Arroios, Lisboa
Nacionalidade português
Ocupação escritor, genealogista, turismólogo, colecionador

Paulo Alcobia Neves, de nome completo José Paulo Vicente Alcobia Neves, (São Jorge de Arroios - Lisboa, 10 de novembro de 1966)[1] é um genealogista, heraldista, historiador, colecionador e turismólogo português.[2][3][4][5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciado em Turismo pela Escola Superior de Educação de Coimbra, Bacharel em Gestão Turística e Cultural pelo Instituto Politécnico de Tomar - IPT, tem diversas obras publicadas nos domínios da genealogia, da heráldica [6], da história local e de uma forma geral sobre os mais diversos aspectos culturais de Ferreira do Zêzere.[7] A sua actividade mereceu o seguinte comentário por parte do Historiador e Ensaísta Henrique Barrilaro Ruas: "O Paulo Alcobia é um livro aberto da história de Ferreira do Zêzere". Gestor de diversas atividades culturais da Fundação Maria Dias Ferreira, o seu trabalho tem vindo revelar-se profícuo e notável. E conta com iniciativas como o projeto Restaurar, através do qual foi feito um levantamento exaustivo de mais de 400 bens culturais existentes nas Igrejas do Concelho ou o projecto Salvaguarda, iniciativa que visa o resgate e preservação de fotografias e documentos relacionados com Ferreira do Zêzere que reuniu até ao momento 14.431 digitalizações. [8] [9] Paulo Alcobia Neves tem-se destacado em diversas áreas sócio-culturais, nomeadamente na pesquisa, promoção e divulgação dos valores culturais dos concelhos de Ferreira do Zêzere e Tomar mas também na realização de eventos turístico-culturais. Frequentou, em 1989, o curso de Introdução à Genealogia e Heráldica do Instituto Português de Heráldica e, mais tarde, o curso de Introdução à Genealogia ministrado em parceria pela Universidade Católica de Lisboa e pela Associação dos Bibliotecários, Documentalistas e Arquivistas de Portugal (BAD). Entre 2003 e 2004 participou e/ou coordenou nos 1º e 2º Congressos de Heráldica de Tomar; em 2005 coordenou o 1º Curso de Introdução à Genealogia da Biblioteca Municipal Anselmo Braamcamp Freire, em Santarém e em 2009, a convite do Arquivo Distrital de Santarém e da Torre do Tombo, coordenou o primeiro curso de Introdução á Genealogia destas prestigiadas instituições. É sócio da Associação Portuguesa de Genealogia, da Academia Lusitana de Heráldica e da Academia de Heráldica do Algarve, da qual é co-fundador. Desde 2008 que colabora com a Fundação Maria Dias Ferreira onde dinamizou, entre outras, as seguintes iniciativas:

  • Projeto Salvaguarda[10], repositório de milhares de imagens relacionadas com o concelho de Ferreira do Zêzere, algumas das quais disponíveis na Mediateca[11]
  • Projeto Restaurar[12] que através de um protocolo entre a Fundação e o Instituto Politécnico de Tomar permitiu o inventário e restauro de dezenas de peças de arte sacra degradadas
  • O Portal Zezerepedia[13], repositório de centenas de artigos dedicados à história e cultura do Concelho de Ferreira do Zêzere

E mais recentemente o Projeto Registar que promove a gravação de testemunhos orais junto da população mais idosa do Concelho.

Obras[editar | editar código-fonte]

Dentre os estudos publicados, se destacam:

  • Colectânea Artística de Ferreira do Zêzere - 1990[14]
  • Os Alcobias da Granja - 1994[14]
  • Subsídios para uma carta do Património no Concelho de Ferreira do Zêzere - 1997[14]
  • Colectânea Fotográfica de Ferreira do Zêzere - 2000 [14]

E como co-autor:

  • António Baeta : exposição antológica de pintura - 2009[14]
  • António Baião: de Ferreira do Zêzere à Torre do Tombo - 2011[15]
  • Guilherme Soeiro : fragmentos de uma vida exemplar - 2014[16]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências