Paulo Alves Godoy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2010)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Paulo Alves Godoy
Nascimento 22 de setembro de 1914
São Paulo
Morte 19 de abril de 2001 (86 anos)
São Paulo
Cidadania Brasil
Ocupação jornalista

Paulo Alves Godoy (São Paulo, 22 de setembro de 1914 - São Paulo, 19 de abril de 2001) foi um jornalista e escritor espírita brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de José Alves, português, e Cesarina Alves Godoy, brasileira, a família residiu por algum tempo em Araguari, onde Godoy iniciou os seus estudos primários, vindo a concluir o antigo curso ginasial em São Paulo.

Embora os pais fossem espíritas e o tenham educado dentro dos ensinamentos da doutrina espírita, considerou-se praticante apenas a partir de 1938, quando foi eleito secretário do Centro Espírita Bezerra de Menezes, no bairro paulista da Lapa.

Ao longo de sua vida exerceu o cargo de diretor na União Federativa Espírita Paulista, foi delegado da Confederação Espírita Pan-Americana, em São Paulo, membro do Conselho Deliberativo da Federação Espírita do Estado de São Paulo (FEESP) e conselheiro da União das Sociedades Espíritas (USE) e da Liga Espírita do Estado de São Paulo.

Em 1940, juntamente com Francisco Arcari e Antônio Alves Pereira, lançou o boletim "O Semeador" (já extinto) no Centro Espírita Bezerra de Menezes. Em 1947, dirigiu a revista "O Revelador" e, no ano seguinte (1948), fundou e editou o jornal "Unificação", órgão da USE. Mais tarde, em fevereiro de 1966, fundou o jornal "O Semeador", órgão da FEESP, onde permaneceu até à data de sua morte. Além dessas atividades, colaborou em inúmeros órgãos da imprensa espírita em quase todos os estados do Brasil e no exterior, especialmente na Argentina e em Portugal.

Godoy editou "O Evangelho segundo o Espiritismo", de Allan Kardec, em uma edição que veio a público pela Federação Espírita de São Paulo (FEESP) em julho de 1974. Esta inseria-se em "um plano de completa e total revisão de toda a Codificação Doutrinária de Allan Kardec" posto em prática pelo Departamento do Livro da FEESP, e vendeu cerca de 30.000 exemplares à época.[1] A edição foi refutada por José Herculano Pires, pela obra Na Hora do Testemunho, que veio a público em 1977.

Obra[editar | editar código-fonte]

Foi autor das seguintes obras:

  • Personagens do Espiritismo (com Antônio Lucena);
  • Crônicas Evangélicas
  • O Evangelho pede licença
  • Grandes Vultos do espiritismo
  • As Maravilhosas Parábolas de Jesus
  • Momentos de Prece
  • Os padrões Evangélicos
  • Quando Jesus teria sido Maior?
  • Os Quatro Sermões de Jesus
  • O Evangelho por dentro
  • Jesus Cristo, a luz do Mundo
  • Evangelho da Redenção
  • Os casos controvertidos do Evangelho misericordioso

Referências

  1. "Herculano Pires: Na Hora do Testemunho" in autoresespiritasclassicos.com Consultado em 10 jun 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]