Paulo Bauer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paulo Bauer
Senador por Santa Catarina
Período 1 de fevereiro de 2011
até a atualidade
Deputado federal por Santa Catarina
Período 1 de fevereiro de 1991
até 1 de janeiro de 1999
1 de fevereiro de 2003
até 31 de janeiro 2007
Vice-governador de Santa Catarina
Período 1 de janeiro de 1999
até 1 de janeiro de 2003
Antecessor(a) José Augusto Hülse
Sucessor(a) Eduardo Pinho Moreira
Dados pessoais
Nascimento 20 de março de 1957 (60 anos)
Blumenau, Santa Catarina
Cônjuge Deborah Bauer
Partido PDS (1980-1993)
PPR (1993-1995)
PPB (1995)
PFL (1995-2005)
PSDB (2005–atualidade)
Profissão empresário

Paulo Roberto Bauer (Blumenau, 20 de março de 1957) é um empresário e político brasileiro. Filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), é senador da República por Santa Catarina, sendo líder do partido no Senado Federal do Brasil.

Trajetória[editar | editar código-fonte]

Carreira estudantil/profissional[editar | editar código-fonte]

Paulo Bauer formou-se em ciências contábeis e em administração de empresas de 1975 em 1980, na FURJ de Joinville, onde foi líder estudantil.

Cursou direito na Univali de Itajaí (1981) e estudou n Centro de Ensino Unificado de Brasília (1995). Antes de entrar para a faculdade, foi da área administrativa da Capri Industrial S.A., em Jaraguá do Sul bem como administrador, contador e gerente-geral no Grupo Stein em Joinville durante o período 1975–1980.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Em 1986, pelo PDS, elegeu-se deputado estadual de Santa Catarina (11ª legislatura). Em 1990 foi eleito deputado federal para a 49ª legislatura (1991 — 1995), obtendo a reeleição em 1994 para a 50ª legislatura (1995 — 1999).

Nas eleições de 1998, já filiado ao PFL, compôs como candidato a vice-governador de Esperidião Amin, a chapa vencedora no primeiro turno.[1]

Em seguida, elege-se novamente deputado federal para a 52ª legislatura (2003 — 2007). Concorreu ao mesmo cargo em 2006, agora pelo PSDB, porém obtém a suplência. Assumiu o mandato em dezembro de 2008.[2]

Além dos mandatos eletivos, também exerceu o cargo de Secretário Estadual de Educação de Santa Catarina em duas oportunidades, 1991/1994 e 2007/2010.[3]

Na eleição de 2010 foi eleito Senador da República por Santa Catarina, com mandato até 31 de janeiro de 2019. Seu primeiro suplente é Cesar Souza e o segundo, Athos de Almeida Lopes.[4]

Em sua atuação parlamentar prioriza a educação e a redução da carga tributária no país.[3]

Desde o início de setembro de 2016, é líder do PSDB no Senado Federal.

Lactose[editar | editar código-fonte]

No Senado, Paulo Bauer apresentou projeto estabelecendo que todos os rótulos de produtos devem indicar a presença de lactose, mesmo que residual. A proposta é o exemplo claro da participação popular em um mandato, pois surgiu da sugestão de um eleitor de Santa Catarina, o advogado Pedro Michels Neto, e teve a participação da empresária Jéssica Duarte com campanhas de apoio à proposta pela internet.

O projeto apresentado por Paulo Bauer foi aprovado pelo Senado e pela Câmara dos Deputados sendo transformado na lei 13.305, de 4 de julho de 2016, sancionada pelo presidente Michel Temer. A nova lei entra em vigor no início de janeiro de 2017.

Benefícios para as mulheres[editar | editar código-fonte]

O primeiro projeto apresentado por Bauer, no Senado, e transformado em lei pela presidência da República foi destinado às mulheres. Apresentada em 2012, a matéria previa a preferência no pagamento dos benefícios financeiros pagos por programas sociais do país às mulheres responsáveis por suas famílias. A medida não gera despesas para o Brasil e foi sancionada em 21 de julho de 2014 como a Lei 13.014/2014.

Polêmicas na carreira política[editar | editar código-fonte]

Bauer teve o nome citado em relação ao emprego de funcionários fantasmas quando deixou a Câmara dos Deputados para ser secretário de Estado em Santa Catarina.[5][6]

O senador também foi acusado de superfaturar o aluguel de um carro de luxo usado para seu transporte em Santa Catarina, através de denúncia do site Congresso em Foco, especializado em acompanhar as ações na casa.[7]

Além de ter tido um assessor seu envolvido no escandâlo da farra das passagens.[8][9]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

É um dos quatro de filhos de Victor Bauer, empresário e ex-prefeito de Jaraguá do Sul.[10] É pai de cinco filhos, dois dos quais com a atual esposa Deborah Bauer.[11]

Referências

  1. «Eleições 1998, em 04/10/1998 - turno único». TRE SC 
  2. «Conheça os Deputados» 
  3. a b Paulo Bauer fala das pretensões para SC como Senador
  4. «Portal Senadores». Senado Federal 
  5. Eduardo Militão (24 de novembro de 2009). «Em grampo, deputado admite ter servidor fantasma». Congresso em Foco. Consultado em 9 de julho de 2014 
  6. O Globo (13 de março de 2012). «Senador nega fantasmas e parentes em seu gabinete». O Globo. Consultado em 9 de julho de 2014 
  7. Edson Sardinha (22 de agosto de 2013). «Bauer diz que não alugará mais carro de luxo pelo Senado». Congresso em Foco. Consultado em 9 de julho de 2014 
  8. César Valente (29 de abril de 2009). «Paulo Bauer, um pioneiro!». De Olho na Capital. Consultado em 9 de julho de 2014 
  9. MARIA CLARA CABRAL (6 de novembro de 2009). «Câmara livra em definitivo acusado na "farra aérea"». Folha de S.Paulo. Consultado em 9 de julho de 2014 
  10. «Morre, aos 78 anos, Victor Bauer, ex-prefeito de Jaraguá do Sul e pai do senador Paulo Bauer». Diário Catarinense. 16 de junho de 2013 
  11. «Histórico Senador Paulo Bauer». paulobauer.com.br 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
José Augusto Hülse
Vice-governador de Santa Catarina
1999–2003
Sucedido por
Eduardo Pinho Moreira