Paulo Bezerra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paulo Bezerra
Nome completo Paulo Azevedo Bezerra
Nascimento 7 de fevereiro de 1940 (79 anos)
Pedra Lavrada
Nacionalidade Brasileiro
Ocupação Tradutor e crítico literário
Prêmios Prêmio Jabuti (2005, 2009)

Prêmio ABL de Tradução (2009)

Paulo Azevedo Bezerra (Pedra Lavrada - PB, 7 de fevereiro de 1940)[1][2] é um tradutor e crítico literário brasileiro, conhecido principalmente pelas traduções de diversas obras de Fiódor Dostoiévski para a língua portuguesa.

Estudou língua e literatura russa na Universidade Lomonóssov, em Moscou, graduando-se em história e filologia em 1969. Formou-se, também, em letras (língua portuguesa) pela Universidade Gama Filho em 1976. Pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, concluiu o mestrado em 1982 e o doutorado em 1989. Recebeu o título de livre-docente em letras da Universidade de São Paulo em 1997.[3] [4]

Foi professor de teoria da literatura na UERJ de 1989 a 1990 e de língua e literatura russa na USP de 1990 a 1992. É professor aposentado da Universidade Federal Fluminense, onde lecionou de 1992 a 1997 e de 2002 a 2010.[5] [6] [7] [8]

Entre os prêmios por seu trabalho, recebeu o Prêmio Paulo Rónai da Biblioteca Nacional do Brasil em 2002, o Prêmio Jabuti de Literatura em 2005[9] e 2009,[10] o Prêmio ABL de Tradução da Academia Brasileira de Letras em 2009,[11] e a Medalha Púchkin, concedida pelo governo da Rússia em 2012.[12]

Traduções[editar | editar código-fonte]

  • Fundamentos lógicos da ciência, de Pavel Kopnin. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.
  • Agosto 1914, de Alexander Soljenítsin. Rio de Janeiro: Bloch, 1973.
  • A filosofia americana no século XX, de Aleksei Bogomólov. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.
  • Problemas da poética de Dostoiévski, de Mikhail Bakhtin. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1981.
  • O desenvolvimento do capitalismo na Rússia: o processo de formação do mercado interno para a grande indústria, de Vladimir Lenin. São Paulo: Nova Cultural, 1985.
  • A poética do mito, de Eleazar Mielietinski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987.
  • Minha vida na arte, de Constantin Stanislavski. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.
  • A estratégia social da Perestroika, de Tatiana Zaslavskaia. Rio de Janeiro : Espaço e Tempo, 1989.
  • O capote e outras novelas, de Nikolai Gogol. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1990.
  • O navio branco, de Tchinguiz Aitmatov. São Paulo: Brasiliense, 1991.
  • Memórias, de Andrei Sakharov. São Paulo: Saraiva, 1992.
  • As raízes históricas do conto maravilhoso, de Vladimir Propp. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
  • Psicologia da arte, de Lev Vygotsky. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
  • A tragédia de Hamlet, príncipe da Dinamarca, de Lev Vygotsky. São Paulo: Martins Fontes, 1999.
  • Curso de psicologia geral - vols 1, 2 e 3, de Alexander Luria. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.
  • O herói do nosso tempo, de Mikhail Lérmontov. São Paulo: Martins Fontes, 1999
  • Em ritmo de concerto, de Nikolai Dehnióv. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.
  • O rumor do tempo, de Ossip Mandelstam. São Paulo: Editora 34, 2000.
  • Psicologia pedagógica, de Lev Vygotsky. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
  • A construção do pensamento e da linguagem, de Lev Vygotsky. São Paulo: Martins Fontes, 2001
  • O freudismo, de Mikhail Bakhtin. São Paulo: Perspectiva, 2001.
  • Crime e castigo, de Fiódor Dostoiévski. São Paulo: Editora 34, 2001.
  • O idiota, de Fiódor Dostoiévski. São Paulo: Editora 34, 2002.
  • Os demônios, de Fiódor Dostoiévski. São Paulo: Editora 34, 2003.
  • Rainha do inverno, de Boris Akunin. Rio de Janeiro: Objetiva, 2003.
  • Estética da criação verbal, de Mikhail Bakhtin. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
  • A síntese histórica e a Escola dos anais, de Aaron Gurievitch. São Paulo: Perspectiva, 2003.
  • Bobók, de Fiódor Dostoiévski (com ensaio de Paulo Bezerra). São Paulo: Editora 34, 2005.
  • Os irmãos Karamázov, de Fiódor Dostoiévski. São Paulo: Editora 34, 2008.
  • Lady Macbeth do distrito de Mtzensk, de Nikolai Leskov. São Paulo: Editora 34, 2009.
  • O duplo, de Fiódor Dostoiévski. São Paulo: Editora 34, 2011.
  • Dois sonhos, de Fiódor Dostoiévski. São Paulo: Editora 34, 2012.
  • O adolescente, de Fiódor Dostoiévski. São Paulo: Editora 34, 2015.

Referências

  1. «Metalurgia da tradução». Gazeta Russa. 2 de novembro de 2012. Consultado em 28 de julho de 2014 [ligação inativa]
  2. «Paulo Bezerra». Dicionário de tradutores literários no Brasil. Universidade Federal de Santa Catarina. 4 de maio de 2007. Consultado em 28 de julho de 2014 
  3. Currículo Lattes de Paulo Azevedo Bezerra
  4. «Editora 34». www.editora34.com.br. Consultado em 8 de julho de 2016 
  5. «Diário Oficial de União». 18 de março de 1992. Consultado em 14 de maio de 2016 
  6. «Diário Oficial da União». 21 de julho de 1997. Consultado em 14 de maio de 2016 
  7. «Diário Oficial de União». 20 de maio de 2002. Consultado em 14 de maio de 2016 
  8. «Diário Oficial da União». 2 de março de 2010. Consultado em 14 de maio de 2016 
  9. «Vencedores do Prêmio Jabuti 2005». Câmara Brasileira do Livro. Consultado em 28 de julho de 2014. Arquivado do original em 19 de junho de 2015 
  10. «Vencedores do Prêmio Jabuti 2009». Câmara Brasileira do Livro. Consultado em 31 de julho de 2014. Arquivado do original em 10 de agosto de 2014 
  11. «ABL divulga Prêmios Literários de 2009». Academia Brasileira de Letras. 11 de maio de 2009. Consultado em 28 de julho de 2014 
  12. «Paulo Bezerra é premiado na Rússia». O Estado de S. Paulo. 30 de outubro de 2012. Consultado em 28 de julho de 2014 
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.