Paulo Eduardo Martins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paulo Martins
Deputado Federal pelo Paraná
Período 2 de fevereiro de 2019
até atualidade
Dados pessoais
Nascimento 20 de abril de 1981 (37 anos)
Presidente Venceslau, SP
Partido PSC
Religião Catolicismo romano
Profissão Jornalista
Ocupação Comentarista na Rede Massa, filiado do SBT
Website pauloeduardomartins.com

Paulo Eduardo Lima Martins (Presidente Venceslau, 20 de abril de 1981)[1] é um jornalista e político brasileiro, filiado ao Partido Social Cristão (PSC).[2] Anteriormente foi filiado ao PSDB. Atualmente trabalha como comentarista na Rede Massa, filial do SBT, tendo sido demitido em 2014 e readmitido novamente após criticas à emissora após sua demissão. Em 2014, foi eleito quarto suplente de Deputado Federal, tendo exercido o mandato durante sete meses em 2016.[3][4][5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Paulo Eduardo Lima Martins, nascido em 20 de abril de 1981, em Presidente Venceslau, é um jornalista brasileiro. Atualmente é suplente de deputado federal pelo PSDB, tendo exercido o mandato em 2016.

Ele é jornalista da Rede Massa de Curitiba, filiada ao SBT, em que atua como comentarista do programa SBT Paraná[6]. Em 2014, as vésperas das Eleições Presidenciais, foi afastado pela direção da emissora, supostamente por conta de pressões vindas do governo federal, por conta de suas críticas direcionadas a presidente Dilma Rousseff, ao governo e ao Partido dos Trabalhadores. Contudo, foi novamente reintegrado a equipe do programa.[5][7][8]

Nas eleições de 2014 concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados representando o Estado do Paraná, pelo PSC, obtendo 63.970 votos (1,13%), sendo eleito o quarto suplente da coligação PSDB/DEM/PR/PSC/PTdoB/PP/SD/PSD/PPS.[9]

Contudo, tomou posse em 17 de março de 2016, após o afastamento dos titulares Valdir Rossoni (PSDB) e Edmar Arruda (PSC); o impedimento do primeiro suplente, Osmar Bertoldi (DEM), que estava preso ou foragido[10]; e a licença do segundo-suplente, Reinhold Stephanes (PSD), nomeado secretário no governo do Paraná. Mas entregou o cargo em 19 de outubro de 2016. Em 17 de abril de 2016 ele votou pela abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff.[11][12]

Paulo Eduardo Martins, tanto na sua atuação como jornalista e comentarista quanto como Deputado Federal, tem expressado posições conservadoras no sentido social e liberais no sentido econômico. A exemplo disto, tem se manifestado contra o estatuto do desarmamento, o aborto e legalização das drogas. No sentido econômico, entre alguns posicionamentos, está a defesa da privatização das estatais, fim do SUS, redução da carga tributaria, a redução do controle estatal sobre a economia, flexibilização das leis trabalhistas e diminuição do poder dos sindicatos. Além disso, é a favor a restauração da monarquia brasileira.[13][14][15]

Entre as medidas que propôs nesse sentido, quando deputado federal, foi a proposta de emenda ao Projeto de Lei da reforma trabalhista que torna o imposto sindical facultativo aos trabalhadores, a matéria foi aprovada e fez parte da Reforma Trabalhista. Também defendeu o Projeto de Lei da reforma previdenciária e a PEC 241 que visa limitar os gastos do governo federal por meio a implantação de um teto de gastos.[16] Propôs também o Projeto de Lei 6.230/2016 que trata sobre o fim da obrigatoriedade da retransmissão do programa de rádio "A voz do Brasil".[17]

Paulo Martins já declarou diversas vezes sua preferência pelo Parlamentarismo monárquico, além de já ter afirmado que a República veio por golpe.[18][19][20]

Nas Eleições gerais de 2018 se candidatou a uma vaga na Câmara Federal dos Deputados pelo partido PSC, tendo sido eleito com 118.754 votos.[21][22]

Referências

  1. «PAULO MARTINS - PSDB/PR». Câmara dos Deputados. Consultado em 21 de Abril de 2016 
  2. «PAULO MARTINS SE DESPEDE DO PSDB E RETORNA AO PSC PARA CONCORRER, PROVAVELMENTE, AO SENAD». Gazeta do Povo. 28 de março de 2018. Consultado em 11 de maio de 2018 
  3. Gabriel Vaquer. «Jornalista que critica governo do PT é afastado de jornal do SBT no Paraná». natelinha. Uol. Consultado em 19 de janeiro de 2017 
  4. «TV de Ratinho afasta comentaristas que falavam mal de Dilma Rousseff». Uol. Consultado em 19 de janeiro de 2017 
  5. a b «Silvio admite ser pressionado para calar Gentili e Sheherazade | VEJA.com». VEJA.com. 10 de abril de 2017 
  6. «Luiz Carlos Prates e Paulo Martins no Massa News Live On - Massa News Curitiba». Massa News 
  7. TV, Notícias da (28 de março de 2014). «TV de Ratinho afasta comentaristas que falavam mal de Dilma Rousseff». Notícias da TV 
  8. «Jornalista que critica governo do PT é afastado de jornal do SBT no Paraná». NaTelinha 
  9. «Paulo Martins 2020». Eleições 2014 
  10. «Ex-deputado preso por agredir a ex-noiva é solto após oito meses». Paraná. 27 de outubro de 2016 
  11. «Deputados autorizam impeachment de Dilma, saiba quem votou a favor e contra». EBC. 17 de abril de 2016. Consultado em 5 de maio de 2016 
  12. «Veja frases dos deputados durante a votação do impeachment». Folha de S.Paulo. 17 de abril de 2016. Consultado em 23 de abril de 2016 
  13. «Vídeo de Paulo Eduardo Martins recebe crítica de presidente do Partido NOVO – Boletim da Liberdade». Consultado em 28 de maio de 2017 
  14. «Dia Internacional da Liberdade de Imprensa - Entrevista com Paulo Eduardo Martins - Instituto Liberal». Instituto Liberal. 3 de maio de 2014 
  15. «Paulo Eduardo Martins « Diários da Liberdade». diariosdaliberdade.com. Consultado em 28 de maio de 2017 
  16. «Paulo Eduardo Martins explica de forma bastante didática o avanço que a PEC 241 representa | Rodrigo Constantino». Rodrigo Constantino. 11 de novembro de 2016 
  17. «Deputado do PSDB quer o fim da obrigatoriedade da 'Voz do Brasil'». CidadeVerde.com (em inglês) 
  18. Paulo Martins (3 de julho de 2017), A Monarquia na moderna realidade política brasileira - A histórica explica o fracasso da República, consultado em 16 de março de 2018 
  19. Paulo Martins (16 de novembro de 2012), Jornal da Massa SBT - Paulo Martins: 15 de novembro é o aniversário da desgraça nacional, consultado em 16 de março de 2018 
  20. Lucas Gustavo Boaventura Martins (26 de novembro de 2014), Paulo Martins; Sobre a Monarquia:, consultado em 16 de março de 2018 
  21. Gazeta do Povo. «Candidato - Paulo Eduardo Martins PSC». Consultado em 8 de outubro de 2018 
  22. G1 Globo.com (7 de outubro de 2018). «Resultado da apuração das Eleições de 2018 - Paraná». Consultado em 8 de outubro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.