Paulo Henrique Ganso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ganso
Ganso
Ganso em 2011
Informações pessoais
Nome completo Paulo Henrique de Chagas Lima
Data de nasc. 12 de outubro de 1989 (26 anos)
Local de nasc. Ananindeua, Pará, Brasil
Altura 1,84 m
Canhoto
Apelido Ganso
Informações profissionais
Clube atual Brasil São Paulo
Número 10
Posição Meio-Campista
Site oficial phgansooficial.com.br
Clubes de juventude
1996–2004
2004–2005
2005–2008
Brasil Tuna Luso
Brasil Paysandu
Brasil Santos
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2008–2012
2012–
Brasil Santos
Brasil São Paulo
00162 0000(36)
00216 0000(24)
Seleção nacional3
2009
2012
2010–
Brasil Brasil Sub-20
Brasil Brasil Sub-23
Brasil Brasil
00007 00000(1)
00003 00000(0)
00008 00000(0)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 29 de maio de 2016.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 28 de fevereiro de 2012.

Medalhas
Jogos Olímpicos
Prata Londres 2012 Futebol

Paulo Henrique de Chagas Lima, conhecido como Paulo Henrique Ganso ou simplesmente Ganso (Ananindeua, 12 de outubro de 1989) é um futebolista brasileiro que atua como meia. Atualmente, joga pelo São Paulo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Santos[editar | editar código-fonte]

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

Paulo Henrique chegou ao Santos em 2005, trazido pelo ex-ídolo santista Giovanni em uma transferência de novecentos mil reais. Antes disso, jogara futebol de salão pela Tuna Luso,[1] dos sete aos quinze anos. Depois, passou para o futebol de campo, nas categorias de base do Paysandu.[2]

O meia começou a destacar-se em 2007. Após uma lesão que o afastou dos gramados por seis meses, Paulo Henrique disputou a final do Campeonato Paulista Sub-20.

Já apontado como uma das grandes revelações do futebol brasileiro, foi o camisa 10 do Santos na decepcionante campanha da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2008. Na ocasião, a equipe, uma das favoritas à conquista do título, foi eliminada na disputa por pênaltis pelo Internacional, nas quartas de final. Na época, o jornal italiano La Gazzetta dello Sport já citava Paulo Henrique como uma das possíveis grandes revelações dessa Copinha.[3] As boas atuações e os dois gols no torneio credenciaram-no a uma vaga no plantel principal da equipe santista.

2008[editar | editar código-fonte]

Em 23 de janeiro de 2008, renovou seu vínculo com o clube por cinco anos,[4] sendo promovido à equipe profissional.[5] Estreou em 17 de fevereiro, contra o Rio Preto, pelo Campeonato Paulista de 2008. A má fase enfrentada pela equipe santista no campeonato afetou o desempenho do atleta. Em quatro jogos, não marcou nenhum gol nem teve atuação destacada.

No Campeonato Brasileiro de 2008, Paulo Henrique pouco foi notado. A fraca campanha da equipe, constantemente brigando contra o rebaixamento, impossibilitou boas exibições do meia, que esteve em campo em apenas três jogos, sem nenhum gol marcado.

2009[editar | editar código-fonte]

Ganso em 2009 pela Seleção Brasileira Sub 20

Com a promessa de novas oportunidades e na equipe principal, o meia permaneceu no Santos para a disputa do Campeonato Paulista de 2009. Na partida contra o Guarani, sob o comando do treinador interino Serginho Chulapa, finalmente marcou seu primeiro gol, que selou a vitória santista por 3 a 1. As constantes más apresentações do meia Lúcio Flávio rapidamente proporcionaram ao jovem jogador uma chance entre os titulares da equipe. Mostrando um futebol técnico e maduro, Paulo Henrique participou de quinze partidas, conquistando com o Santos o vice-campeonato.

O Campeonato Brasileiro de 2009 inseriu de vez o meia-armador no cenário futebolístico brasileiro. Suas boas atuações motivaram a diretoria santista a renovar seu contrato, com multa estipulada em 137 milhões de reais e válido até julho de 2014. Apesar da campanha mediana da equipe (12ª colocação) e de ter perdido dois pênaltis, no jogo em que o Santos foi derrota pelo Flamengo por 1 a 0, foi indicado pela CBF ao prêmio de revelação do campeonato, perdendo a disputa para o atacante Fernandinho, do Grêmio Barueri. Em seus 31 jogos pelo Brasileirão 2009, Ganso marcou oito gols, sendo o terceiro artilheiro da equipe, e deu quatro assistências. Foi ainda o segundo maior ladrão de bolas da equipe, com 45 desarmes.

2010[editar | editar código-fonte]

No ano de 2010, foi campeão do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil, sendo eleito o craque da competição. Com a boa fase do Santos, o meia esteve em evidência na mídia, devido a suas boas atuações, e recebeu diversos elogios da crítica esportiva, com muitos o considerando melhor que Neymar. Ao lado de Neymar, foi um dos mais assediados do futebol brasileiro naquele ano, chegando à Seleção Brasileira. Com a camisa 10, atuou na vitória sobre os Estados Unidos, em 10 de agosto. Foi apontado como o novo "maestro" dessa nova geração dirigida pelo técnico Mano Menezes, mas, em uma partida contra o Grêmio, realizada em 25 de agosto, no Estádio Olímpico, sofreu uma entorse no joelho esquerdo que ocasionou a ruptura do ligamento cruzado posterior.[6] A previsão para recuperação foi de seis meses, e ele só voltaria a jogar em 2011.[6] Diante do drama de Ganso, a torcida do Santos fez uma campanha que se iniciou no Twitter com a hashtag #ForçaGanso, emocionando o meia e arrecadando mais de oitenta cestas básicas a famílias carentes.[7]

Nessa temporada, Ganso deu quinze assistências e marcou treze gols.[8] [9]

2011[editar | editar código-fonte]

Neymar, Lucas Moura e Ganso em encontro com a presidente Dilma Rousseff.

Em 2011, após quase sete meses sem jogar, Ganso reestreou contra o Botafogo pelo Campeonato Paulista, no dia 12 de março. Mesmo após tanto tempo parado devido a uma cirurgia no joelho, o camisa 10 santista teve importante participação no primeiro gol e marcou o segundo na vitória por 2 a 1 do Santos. A equipe santista foi novamente campeã paulista, como no ano anterior, vencendo o Corinthians na final. No jogo de ida contra os corintianos, em 8 de maio, Paulo Henrique sofreu mais uma lesão, não tão grave quanto a última.

A estreia de Ganso pela Copa Libertadores da América foi contra o time do Colo-Colo, do Chile, onde o Santos foi derrotado por 3 a 2 mesmo tendo iniciado o jogo vencendo com um belo gol de falta de Elano com menos de quinze minutos de bola rolando, neste jogo Ganso foi titular por quase toda a partida. Porém, após a já citada lesão contra o Corinthians, perdeu boa parte da campanha do Santos rumo à final da Copa Libertadores da América de 2011, retornando apenas em 22 de junho, no segundo jogo da final contra o Peñarol, do Uruguai. No jogo, Ganso foi afetado pelo longo tempo sem jogar, mas participou da jogada do primeiro gol, marcado por Neymar, ajudando o Santos a vencer por 2 a 1 e sagrar-se campeão do torneio após 48 anos. Na estréia do Santos pelo Mundial de Clubes da FIFA, Ganso deu o passe para o gol de Neymar, abrindo o placar no jogo que terminaria 2 a 1 para o Santos, o que levaria a equipe a disputar a final com o Barcelona.

2012[editar | editar código-fonte]

No ano em que o Santos completava cem anos, Ganso foi inicialmente destaque pelo anúncio de que seria pai pela primeira vez após engravidar uma moça com quem não tinha um relacionamento estável, assim como seu companheiro Neymar o fez no ano de 2011.[10] Pelo Campeonato Paulista, entrou em campo quinze vezes e marcando cinco gols, um deles na final contra o Guarani, e se sagrando tricampeão da competição. Considerado um dos melhores armadores da atual geração do futebol brasileiro, era altamente cotado para ser o novo camisa 10 da seleção brasileira. Porém, as lesões e o relacionamento turbulento com a torcida santista atrapalharam o meia, que ainda sim foi convocado para os Jogos Olímpicos de Londres pelo então técnico Mano Menezes. Agora, o antes indispensável e talentoso meia amargava a reserva e a camisa 16 da seleção, vendo do banco o sucesso de outro jovem talento, o meia Oscar, que vinha em alta e acabou ficando com a tão desejada camisa 10.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Paulo Henrique Ganso prepara-se para cobrar uma falta no Morumbi, em jogo contra o Sport.

Após uma longa negociação, o São Paulo anunciou a contratação do meia na madrugada de 21 de setembro de 2012, pagando um valor total de dez milhões de euros (aproximadamente 23,9 milhões de reais) ao Santos. Ganso atualmente utiliza a camisa 10 no Tricolor.[11] Sua estreia no clube ocorreu em 25 de novembro de 2012, na partida contra o Náutico no Morumbi, com um público de 62 207 pessoas.[12]

Marcou seu primeiro gol com a camisa tricolor em partida válida pelo Campeonato Paulista, contra o Atlético Sorocaba. Seu segundo gol viria contra o Ituano. Em 17 de abril, contra o Atlético Mineiro, pela Copa Libertadores da América, considerada pelos são-paulinos a partida mais importante da temporada até então, Ganso teve uma atuação importante. O Tricolor do Morumbi venceu a partida por 2 a 0, se classificando para as oitavas de finais.[13] [14] Perdeu um pênalti no dia 5 de maio de 2013, contra Corinthians e acabou eliminado por 4 a 3.[14]

Segundo Ney Franco diria em julho, quando já era ex-treinador do clube, os reiterados maus desempenhos de Ganso em campo seriam culpa de uma "fritura" promovida pelo goleiro e capitão Rogério Ceni. Segundo Franco, graças às reclamações de corredor de Ceni, o ex-santista foi afetado pelos burburinhos de que, quando jogava, "o time tinha um jogador a menos".[15]

Com a chegada de Muricy Ramalho ao clube, o camisa 10 são-paulino voltou a ter as boas atuações de sua passagem pelo Santos. Ganso, dessa forma, ultrapassou Jádson na liderança de assistências no clube na temporada, com onze passes, e foi elogiado pelo próprio Muricy, que festejou a boa fase do craque: "Hoje, temos um camisa 10."[16]

Completou cem jogos pelo São Paulo em 20 de junho de 2014, contra o Orlando City, em um amistoso.[17] Ganso é conhecido por sua capacidade de dar assistências e posicionamento, mas peca no no dinamismo, sendo alvo de críticas de parte da imprensa. Mesmo assim, o próprio jogador se considera acima da média, considerando até o nível internacional.[18]

Em 2016, Ganso passou a contar com a ajuda do então novo treinador do Tricolor, Edgardo Bauza, para voltar à Seleção.[19] . Em 30 de janeiro, na estreia do clube no Paulistão, o meia foi o autor do gol que abriu o placar no empate por 1 a 1 diante do Red Bull Brasil.[20] Em 5 de março, Ganso completou duzentos jogos com a camisa do São Paulo, marcando o único gol da derrota por 3 a 1 para o São Bernardo. Voltou a marcar gols nos empates contra River Plate, em 10 de março, e Trujillanos, em 16 de março, ambos válidos pela Libertadores, e Ituano, em 20 de março, todos por 1 a 1.

Seleção Brasileira principal e base[editar | editar código-fonte]

Seleção Sub-20[editar | editar código-fonte]

Paulo Henrique foi o camisa 11 do Brasil na disputa do Mundial Sub-20 de 2009, realizado no Egito. A equipe conquistou o vice-campeonato, sendo derrotado por Gana na final,[21] em disputa por pênaltis, após o 0x0 no tempo normal. O meia do Santos marcou um gol no torneio, contra a Austrália, na fase de grupos, e apesar de não ter sido um dos principais destaques como se previra que seria devido à sua boa temporada, foi útil ao time e titular durante toda a campanha brasileira.

Fora da Copa do Mundo de 2010[editar | editar código-fonte]

Em grande fase no Santos, houve a expectativa que Ganso fosse chamado para disputar a Copa do Mundo de 2010, porém ficou apenas na lista dos sete jogadores que só entrariam na competição se algum dos 23 chamados não pudesse ir à África do Sul por motivos de força maior.[22] Assim como Paulo Henrique, todos os outros sete jogadores não foram chamados, pois não houve nenhum tipo de contra tempo com os 23 da lista principal.

Primeira convocação e Copa América[editar | editar código-fonte]

Sua primeira convocação aconteceu no dia 26 de julho de 2010, para amistoso contra os Estados Unidos, que foi realizado em 10 de agosto. Na ocasião, foi chamado pelo técnico Mano Menezes, em um projeto de renovação da Seleção para a partida contra os Estados Unidos.[23] Paulo Henrique ficou fora das listas seguintes por conta de duas lesões: a primeira, sofrida em 25 de agosto de 2010, o afastou por seis meses, e a segunda, menos grave, sofrida em 8 de maio de 2011, quase lhe retirou da Copa América de 2011. No entanto, Mano o convocou mesmo assim, uma decisão arriscada para muitos especialistas.[24]

No torneio Paulo Henrique teve atuações muito abaixo do seu potencial, talvez por estar retornando de lesão, e foi criticado. O Brasil terminou precocemente eliminado nas quartas-de-final, contra o Paraguai. Após um empate em 0-0 que persistiu até o final da prorrogação, os brasileiros desperdiçaram todas as cobranças na disputa por pênaltis, erraram 4 de 5 e, foram derrotados por 2-0 nos pênaltis. Ganso havia sido substituído ainda durante a partida.[25]

Depois de revigorar seu bom futebol no segundo semestre de 2013, e de ser a aposta de muitos para estar na lista de convocados para a Copa do Mundo no Brasil, Ganso admitiu, dois meses antes do início da competição, que não crê mais na possibilidade de estar no Mundial. Se, quatro anos antes, às vésperas do Mundial da África do Sul, Ganso era quase uma unanimidade popular (apesar de deixado de fora da lista final pelo então treinador da Seleção Dunga, hoje, segundo o próprio camisa 10 tricolor: "Eu esperava sim jogar [em anos anteriores]. Eu estava na briga. Mas não fomos chamados. A lista da Copa não está definida, mas todos os jogadores já estão meio cientes de quais serão os convocados. Será uma tristeza ver a Copa sendo disputadaBrasil, mas ainda sou novo. Dá para pensar em jogar uma próxima Copa. Fica para a próxima".[26]

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

  • Em 2 de abril de 2010, juntamente com outros jogadores evangélicos do Santos como Neymar e Robinho, Ganso se recusou a distribuir ovos de páscoa em um gesto de caridade para uma instituição espírita de Santos, chamada “Mensageiros da Luz”, alegando razões religiosas;[27]
  • Em 2 de maio de 2010, na decisão do Campeonato Paulista de 2010, Ganso se recusou a obedecer à uma ordem direta de substituição de Dorival Junior e permaneceu em campo até o final.[28]
  • Em 10 de junho de 2010, em uma entrevista concedida à jornalista Sonia Racy, do jornal O Estado de S. Paulo, Ganso disse que "graças a Deus" não tem gay no Santos.[29] A declaração foi considerada homofóbica por ONGs do movimento LGBT.[30] Devido à repercussão negativa, Ganso, em nota oficial, pediu desculpas:
Cquote1.svg Em atenção aos protestos por conta de uma declaração que eu teria proferido para a coluna da jornalista Sonia Racy, no jornal "O Estado de SP", de que "graças a Deus não há homossexuais no Santos FC", gostaria de expressar meu pedido de desculpas a toda a comunidade LGBT.

Sinceramente, não recordo ter usado a expressão "graças a Deus", mas apenas respondido à pergunta sobre se haveria gays no elenco santista, até porque não tenho preconceitos de qualquer tipo e respeito a individualidade das pessoas, certo de que, com esta postura, estarei sendo também respeitado em minha individualidade.

A todos que se sentiram feridos com minha declaração, peço desculpas novamente e reafirmo que o mal-entendido é fruto de uma falha de comunicação, da qual vou tirar importantes ensinamentos para minha vida.

Atenciosamente Paulo Henrique Chagas Lima

Cquote2.svg
Paulo Henrique Ganso, sobre sua declaração considerada homofóbica ao jornal O Estado de S. Paulo[31]
  • Em 22 de janeiro de 2013, depois de ver uma imagem do jogador apagada dos muros do CT Rei Pelé por torcedores santistas que não aceitavam sua transferência ao São Paulo, a diretoria alvinegra decidiu repintá-lo no mesmo lugar. Segundo o vice-presidente do Peixe, Odílio Rodrigues, Ganso merece tal espaço pois "escreveu uma história" no clube.[32]
  • Em 3 de fevereiro de 2013, no seu retorno à Vila Belmiro, com a ocorrência de um clássico diante do Santos, pela quarta rodada do Campeonato Paulista, Ganso foi recepcionado pela torcida local com notas personalizadas e moedas, com o intuito de agredir o jogador como "mercenário". O amigo Neymar, atleta do rival, condenou, após o jogo, a atitude e, na oportunidade, temeu uma punição da Federação Paulista de Futebol ao estádio, punição esta que, em 18 de fevereiro, acabou concretizada e obrigou o Peixe a jogar o clássico diante do Corinthians, em 3 de março, longe de seus domínios.[33] [34]
  • Em 26 de fevereiro de 2013, o jogador postou em seu Instagram uma foto trajando uma camisa azul com o Cruzeiro do Sul no seu lado esquerdo, bastante parecida com o uniforme do Cruzeiro. Tal atitude causou discórdia entre os torcedores cruzeirenses e do São Paulinos, no qual atua, com os deste último reprovando a iniciativa do atleta.[35]
  • Em 5 de dezembro de 2013, falando sobre a última rodada da Série A, na qual o São Paulo enfrentaria o Coritiba, num jogo que, para efeito de rebaixamento, pode influenciar o destino de Vasco da Gama e Fluminense, o meio-campista lamentou a falta de "mala-branca" (quando uma equipe não envolvida numa partida mas diretamente interessada em seu resultado oferece dinheiro para que uma das envolvidas vença, como forma de motivação) por parte do cariocas e deu a seguinte declaração, gargalhando ao final: "Polêmica? Depende... Não vejo problema algum nisso, até porque você está recebendo um dinheiro para ganhar o jogo. Pena que ainda não aconteceu nada para a gente comprar umas coisinhas de Natal."[36]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube[editar | editar código-fonte]

Até 29 de maio de 2016.

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional
Competições
continentais¹
Campeonato
estadual
Outros² Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Brasil Santos 2008 3 0 0 0 0 0 4 0 0 0 0 0 7 0 0
2009 31 8 6 4 0 0 11 2 0 0 0 0 46 10 10
2010 11 0 2 10 2 3 2 0 0 20 11 8 1 0 0 44 15 15
2011 13 2 1 7 1 2 9 2 3 2 0 1 31 5 7
2012 5 1 0 13 3 2 16 4 9 0 0 0 34 8 11
Total 63 11 9 14 2 3 22 4 4 60 19 20 3 0 1 162 36 36
Brasil São Paulo 2012 3 0 2 2 0 0 5 0 2
2013 31 1 6 15 1 3 16 2 2 4 1 1 66 5 14
2014 34 5 10 6 0 2 6 3 1 15 1 4 1 0 0 62 9 17
2015 31 2 9 6 0 0 8 0 0 8 1 2 2 0 0 55 3 11
2016 2 1 0 0 0 0 11 2 3 14 4 2 1 0 0 28 7 5
Total 101 9 27 12 0 2 42 6 7 53 8 8 8 1 1 216 24 45
Total na carreira 164 20 36 26 2 5 64 9 11 113 26 28 11 1 2 378 60 81

¹Em competições continentais, incluindo jogos e gols da Copa Libertadores, Copa Sul-Americana e Recopa Sul-Americana.
²Em outros, incluindo jogos e gols em amistosos, Eusébio Cup, Copa Suruga Bank e Copa do Mundo de Clubes da FIFA.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Sub-20

Ano
Jogos Gols
2009 7 1
Total 7 1

Sub-23

Lista de gols

Ano
Jogos Gols
2012 3 0
Total 3 0

Seleção principal

Ano
Jogos Gols
2010 1 0
2011 6 0
2012 1 0
Total 8 0

Títulos[editar | editar código-fonte]

Santos
São Paulo

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

  • São Paulo Melhor jogador do Campeonato Paulista de 2010
  • Brasil Melhor jogador da Copa do Brasil de 2010
  • Brasil Prêmio Ginga (Revelação do futebol Brasileiro) de 2010
  • Flags of South American Conmebol Members.gif Terceiro melhor jogador das Américas pelo jornal uruguaio El País de 2011
  • São Paulo Jogador com mais assistências no Campeonato Paulista de 2010 e 2012
  • Flags of South American Conmebol Members.gif Jogador com mais assistências na Copa Sul-Americana de 2013
  • BrasilMelhor jogador do primeiro turno do Brasileirão de 2014 pela revista Placar

Prêmios Coletivos

Referências

  1. «Venda de Ganso causa divergência no Pará». 22 de setembro de 2012. 
  2. «Foto do meia Santista Paulo Henrique Ganso, da época em que jogava nas divisões de base do Paysandu». março de 2010. 
  3. «Sucessor de Giovanni chama atenção». Globo Esporte.com. 12 de janeiro de 2008. 
  4. «Paulo Henrique assina contrato por cinco anos». Site oficial do Santos. 23 de janeiro de 2008. 
  5. «Menino da Vila quer seguir passos do ídolo». Globo Esporte.com. 24 de janeiro de 2008. 
  6. a b «Ganso rompe ligamento do joelho, para por 6 meses e volta na Libertadores». Universo Online. 28 de agosto de 2010. Consultado em 31 de maio de 2012. 
  7. «Campanha #ForçaGanso arrecada 80 cestas básicas e emociona o craque». Globoesporte.com. 9 de novembro de 2011. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  8. «Ganso: o maestro da terceira geração». GloboEsporte.com. Consultado em 3 de maio de 2010. 
  9. «Romário vê Ganso com mais chances de ir à Copa que Neymar». GloboEsporte.com. Consultado em 3 de maio de 2010. 
  10. «Ganso segue Neymar, engravida garota e vai ser pai pela primeira vez». espn.com.br. Consultado em 6 de maio de 2012. 
  11. «Santos FC anuncia que PH Ganso não é mais atleta do Clube». 
  12. «A estreia do Maestro». 
  13. «Ney exalta ajuda dos reservas na vitória: 'Foram determinantes'». Consultado em 1 de março de 2013. 
  14. a b «Ganso comemora boa atuação dos reservas: 'Banco entrou para ajudar'». Consultado em 28 de fevereiro de 2013.  Erro de citação: Invalid <ref> tag; name "botchat" defined multiple times with different content
  15. Ney Franco: ‘Ganso foi fritado’
  16. Após Ganso virar maior garçom, Muricy celebra: "hoje, temos um 10"
  17. Ganso completa 100 jogos pelo São Paulo em amistoso nos EUA
  18. «Ganso esquece Copa, mas diz: “Não tem alguém acima da média como eu”». Globoesporte.com. 22 de abril de 2014. Consultado em 4 de setembro de 2014. 
  19. Bauza quer levar Ganso para Seleção e torceu para tricolor na Libertadores-92
  20. Ganso marca, mas São Paulo cede empate ao Red Bull Brasil
  21. «Nos pênaltis, Gana se vinga de 1993 e conquista título em cima do Brasil». Globo Esporte.com. 16 de outubro de 2009. 
  22. «Ronaldinho Gaúcho e Ganso aparecem na lista dos sete ‘reservas’». globoesporte.com. 5 de maio de 2010. 
  23. «Com Neymar e Ganso, Mano convoca a seleção pela primeira vez». GloboEsporte.com. 26 de julho de 2010. Consultado em 29 de outubro de 2010. 
  24. «Mano inclui Ganso e Pato na lista dos convocados para a Copa América». GloboEsporte.com. 8 de junho de 2011. Consultado em 8 de junho de 2011. 
  25. «Brasil dá vexame nos pênaltis, erra 4 cobranças e é eliminado pelo Paraguai». GloboEsporte.com. 17 de julho de 2011. Consultado em 21 de julho de 2011. 
  26. Ganso admite não ter chance de disputar a Copa: 'fica para a próxima'
  27. «Estádio 97». estadio97.uol.com.br. Consultado em 15 de fevereiro de 2011. 
  28. «Ganso se recusa a ser substituído e pede vaga na seleção». Internet Group. 2 de maio de 2010. Consultado em 31 de maio de 2012. 
  29. Recy, Sonia (17 de junho de 2010). «"Um dia estarei na Copa"». Estadão.com. Consultado em 31 de miao de 2012. 
  30. «Homofobia no Futebol». Adé Diversidade. 4 de julho de 2010. Consultado em 31 de miao de 2012. 
  31. «Após declaração homofóbica, jogador Ganso pede desculpa». Universo Online. Consultado em 13 de julho de 2010. 
  32. Após polêmica, imagem de Ganso nos muros do CT Rei Pelé será repintada
  33. Neymar lamenta moedas em Ganso e risco de perda de mando
  34. Por chuva de moedas em Ganso, Santos perde um mando de campo
  35. Ganso coloca 'Cruzeiro' no peito e causa discórdia entre torcidas em rede social
  36. De olho no Natal, Ganso lamenta falta de “mala branca” de cariocas

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Paulo Henrique Ganso