Paulo Rónai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde junho de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Paulo Rónai
Rónai Pál
Nascimento 13 de abril de 1907
Morte 1 de dezembro de 1992 (85 anos)
Nova Friburgo, Brasil
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Progenitores Mãe: Gizella Lövi
Pai: Miksa Rónai
Cônjuge Nora Tausz Rónai
Ocupação Tradutor, revisor, crítico, professor
Principais trabalhos Balzac e a comédia humana
Prêmios

Paulo Rónai, nascido Rónai Pál (Budapeste, 13 de abril de 1907Nova Friburgo, 1 de dezembro de 1992), foi um tradutor, revisor, crítico, professor húngaro naturalizado brasileiro de francês e latim no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido Rónai Pál[1][2] na capital da Hungria numa família judaica, fez seus estudos primários em seu país natal, mas estudou também na França e na Itália antes de se transferir para o Brasil devido à Segunda Guerra Mundial.[3] Aqui, travou relações de amizade com Aurélio Buarque de Holanda Ferreira - com quem assinou diversos trabalhos -, Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, dentre outros. De seus trabalhos destacam-se as traduções para o português das centenas de contos reunidas em Mar de Histórias (Ed. Nova Fronteira), além do trabalho minucioso de revisão, anotação, introdução e comentário da Comédia Humana, de Balzac, publicada pela Editora Globo. Casado com Nora Tausz, teve duas filhas, Cora Rónai, jornalista e escritora, e Laura Rónai, flautista barroca e professora da UNIRIO.

Obras principais[editar | editar código-fonte]

Traduções para a língua portuguesa[editar | editar código-fonte]

Traduções para outras línguas[editar | editar código-fonte]

Organização[editar | editar código-fonte]

  • Seleta de João Guimarães Rosa (1973)
  • A Comédia Humana, de Honoré de Balzac - projeto da Editora Globo de Porto Alegre, visando a tradução dos 89 livros da Comédia Humana, com a participação de 14 tradutores, e Rónai os coordenou e escreveu os prefácios. O projeto, composto por 17 volumes, com a primeira publicação em 1945, levou dez anos para ser concluído[4]

Obras próprias[editar | editar código-fonte]

  • Escola de tradutores (1952)
  • Gramática completa do francês (1969)
  • A tradução vivida (1981)
  • Como aprendi o português e outras aventuras (1956)
  • Não perca o seu latim (1980)
  • Dicionário francês-português (1980)
  • Gradus primus (1943)
  • Gradus secundus (1986)

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Internacional C. B. Nathorst (1981) - fit;
  • Título de primeiro sócio benemérito - Abrates;
  • Prêmio da Ordem de Rio Branco - governo brasileiro;
  • Prêmio da Palmes Académiques e Ordre National du Mérite - governo francês;
  • Prêmio da Ordem da Estrela com Coroa de Ouro - governo húngaro;
  • Prêmio Sílvio Romero - Academia Brasileira de Letras;
  • Prêmio Machado de Assis - Academia Brasileira de Letras.

Referências

  1. «Rónai Pál / Paulo Rónai e 'Como Aprendi o Português'». HungriaMania. 18 de agosto de 2013. Consultado em 11 de abril de 2017 
  2. «Rónai Pál Béla cikke». mek.oszk.hu. Consultado em 11 de abril de 2017 
  3. «Paulo Rónai - Opinião e Notícia». Opinião & Notícia. 22 de junho de 2007 
  4. SILVA, Sérgio Brabosa. In: Paulo Rónai - 100 anos

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ESQUEDA, Marileide Dias. O tradutor Paulo Rónai: o desejo da tradução e do traduzir. Campinas, São Paulo: [s.n.], 2004
  • RÓNAI, Paulo. Como aprendi o português e outras aventuras. São Paulo: Globo, 1992.
  • RÓNAI, Paulo. Escola de tradutores. 5º ed. ver. ampl. Rio de Janeiro: Nova Fronteira/INL, 1987.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]