Paulo Sant'Ana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paulo Sant'Ana
Nascimento 15 de junho de 1939
Porto Alegre, RS
Morte 19 de julho de 2017 (78 anos)
Porto Alegre, RS
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Jornalista, escritor
Influências
Escola/tradição Jornalismo
Principais interesses Política, sociologia, jornalismo

Francisco Paulo Sant'Ana (Porto Alegre, 15 de junho de 1939 — Porto Alegre, 19 de julho de 2017)[1][2] foi um cronista, escritor e comentarista esportivo brasileiro, torcedor símbolo do Grêmio.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formado em direito, foi inspetor e delegado da Polícia Civil, entre 1973 e 1988, o que lhe proporcionou o seu primeiro contato com a imprensa. Sendo um torcedor gremista fanático, ganhou fama como personagem da torcida presente no Estádio Olímpico. Assim nasceu a sua primeira atividade como comunicador desportivo, pois foi convidado a participar do programa Conversa de Arquibancada, da TV Piratini, retransmissora da TV Tupi no Rio Grande do Sul. A seguir, entrou no programa Sala de Redação, da Rádio Gaúcha, no começo da década de 1970. Em 1971, começou a escrever uma coluna esportiva no jornal Zero Hora, na qual permaneceu até 2014. Em 1972, passou a integrar os quadros da Rádio Gaúcha e depois iniciou a sua carreira como colunista do programa da RBS Jornal do Almoço, do qual era um dos membros mais antigos e o único dos pioneiros ainda em atividade. Escreveu apenas sobre futebol até 1989, quando ocupou a vaga deixada por Carlos Nobre como colunista de assuntos gerais na Zero Hora. Sant'Ana foi colunista diário do jornal entre 1971 e 2014. A partir de dezembro de 2014, passou a escrever uma coluna semanal, aos domingos.[3][4] [5]

Ele também foi vereador do município de Porto Alegre por três legislaturas: as duas primeiras (1973/1977 e 1978/1983) pela ARENA, partido de sustentação da Ditadura Militar; e a última (1984/1988) pelo PMDB.[6] Em 2002, recebeu o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre, proposto pelo seu ex-colega de partido, João Antônio Dib.[6][7] Sant'Ana foi homenageado pela escola de samba Acadêmicos da Orgia, em 1993, com o enredo: O Menestrel da Cultura Popular, Francisco Paulo Sant'Ana.[8] Costumava comentar ao vivo em transmissões de jogos importantes do Grêmio, como nas finais da Copa Libertadores da América de 1995 e 2007, na Rádio Gaúcha. O cronista considerava-se viciado em cigarro e foi diagnosticado com um câncer de rinofaringe. [9] No dia 10 de novembro de 2014, foi afastado do programa de rádio Sala de Redação, após discutir no ar com outro integrante do programa, Kenny Braga.[10]

Falecimento[editar | editar código-fonte]

Paulo Sant'Ana morreu em 19 de julho de 2017, aos 78 anos de idade. Ele estava internado no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. A causa da morte anunciada foi parada cardíaca. Jayme Sirotsky, presidente emérito do Grupo RBS, relatou assim a morte do jornalista: "Nos 60 anos da RBS, muitos companheiros passaram por aqui, cada um deles oferecendo sua contribuição para a empresa e, especialmente, para o público. Entre todos, Paulo Sant´Ana se destaca fortemente. Quem não teve, nos últimos 45 anos, momentos de admiração, antagonismo e de discordância com essa figura incomum que ele foi? Sant´Ana escreveu sua história profissional dentro da RBS, conquistando um público que lhe foi cativo durante toda a sua jornada. Deixa inúmeras lições de competência e muita saudade".[11][12]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Pátria e Família: o futuro da Nação (1968)
  • Propriedade na Tradição (1969)
  • Por que o trabalho liberta (1971)
  • Filinto Müller: histórias de um velho safado (1985)
  • O Gênio Idiota (1992) ISBN 9788528002249
  • O Melhor de Mim (2005) ISBN 8589489108
  • Eis o Homem (2010)
  • Comportamento (1991)

Referências

  1. Revista Melhor Idade. «"Todos os amores me deram prejuízo financeiro"». Consultado em 22 de novembro de 2008 
  2. «Morre, aos 78 anos, o jornalista Paulo Sant'Ana». Zero Hora. Consultado em 20 de julho de 2017 
  3. Marta Gleich. «Novas colunas». Zero Hora 
  4. «Paulo Sant'Ana é velado na Arena do Grêmio em Porto Alegre». G1. Consultado em 20 de julho de 2017 
  5. «Zero Hora homenageia os 45 anos de colunas de Paulo Sant'Ana». Zero Hora. Consultado em 20 de julho de 2017 
  6. a b «Morre o jornalista e ex-vereador Paulo Sant'Ana». Câmara Municipal de Porto Alegre. Consultado em 20 de julho de 2017 
  7. «A Câmara conta sua história». Câmara Municipal de Porto Alegre. Consultado em 11 de novembro de 2014. O bicentenário da Câmara Municipal foi comemorado em 1973 [...]. Eram Vereadores da Câmara Municipal naquela época os Senhores: [...] Francisco Paulo Sant’Ana [...]. 
  8. Sandra Maia. «Escolas de Samba e Tribos do Carnaval de Porto Alegre» (PDF). Prefeitura de Porto Alegre. Consultado em 5 de abril de 2009 
  9. Paulo Sant'Ana (22 de janeiro de 2014). «O preço do vício». Zero Hora 
  10. «Grupo RBS esclarece desligamento de Kenny Braga e afastamento de Paulo Sant'Ana». Gaúcha. 10 de novembro de 2014. Consultado em 10 de novembro de 2014 
  11. «GMorre em Porto Alegre o jornalista Paulo Sant'Ana, aos 78 anos». G1. 19 de julho de 2017. Consultado em 20 de julho de 2017 
  12. «Veja repercussões sobre a morte de Paulo Sant'Ana, aos 78 anos». Zero Hora. 19 de julho de 2017. Consultado em 20 de julho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.