Pedra Redonda, 39

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pedra Redonda, 39
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Suspense
Romance
Criador(es) Tarcísio Meira
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Tarcísio Meira
Elenco Tarcísio Meira
Glória Menezes
Ênio Carvalho
Ester Castro
Alma Castro
Juraci Pinto
Moura Neto
Amélia Bittencourt
Maria Kátira
Raquel Cagi
Exibição
Emissora original Brasil TV Excelsior
Formato de exibição Preto e branco
Transmissão original 31 de maio de 1965 - 12 de junho de 1965
Episódios 10
Cronologia
Ontem, Hoje e Sempre

Pedra Redonda, 39 é uma telenovela brasileira produzida pela extinta TV Excelsior.[1] A telenovela foi exibida de 31 de maio a 12 de junho de 1965 no horário das 21 horas, totalizando 10 capítulos. Foi escrita, dirigida e produzida por Tarcísio Meira, baseado na obra de Victor de Martini.[1]

A primeira telenovela gravada no Rio Grande do Sul, se tornou a única experiência em direção do ator Tarcísio Meira, que também produziu, adaptou e atuou como galã, contracenando com sua mulher, Glória Menezes.[1]

Contava a trajetória de uma família tradicional e incluía na trama um crime misterioso.[1]

Se nos anos de pioneirismo da televisão rio-grandense as novelas eram ao vivo e em cenários de época, Pedra Redonda, 39 teve ambientação contemporânea.[1]

Do elenco de apoio fizeram parte, entre outros, Ênio Carvalho, Ester Castro, Amélia Bittencourt, Maria Kátira e Raquel Cagi, atores conhecidos do público gaúcho.[1]

As gravações foram feitas nos estúdios do Canal 12 e na mansão da bailarina Lya Bastian Meyer, junto ao Morro do Sabiá, em Pedra Redonda, na Zona Sul de Porto Alegre. A casa ficava no número 39 da Estrada da Pedra Redonda, hoje Avenida Coronel Marcos - daí o título da novela.[1]

Apesar do empenho de Tarcísio e Glória, que chegaram a se transferir para a capital gaúcha, a novela foi um grande fracasso. Planejada para ter 30 capítulos, foi retirada da programação da Excelsior, ficando no ar só até o décimo capítulo. Por isso, nunca foi exibida para os telespectadores do Rio Grande do Sul.[1]

O insucesso foi atribuído à falta de experiência do diretor. Em entrevistas, Tarcísio Meira elogiou o profissionalismo da equipe técnica, liderada pelo gaúcho Sérgio Reis, e o apoio recebido em Porto Alegre. "Foi uma experiência válida", declarou.[1]

Tarcísio e Glória se recuperariam logo em seguida, com o sucesso nacional de A Deusa Vencida, de Ivani Ribeiro, apresentada pela Excelsior a partir de julho daquele mesmo ano.[1]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Elenco de Pedra Redonda, 39:[1]

Referência[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f g h i j k Xavier, Nilson. «Pedra Redonda, 39». Teledramaturgia. Consultado em 15 de julho de 2020