Pedra do sol (medieval)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Uma peça de cristal de calcita

A pedra do sol (em islandês: sólarsteinn) é um tipo de mineral atestado em várias fontes escritas do século XIII-XIV na Islândia, um dos quais descreve seu uso para localizar o sol em um céu completamente nublado. As pedras do sol também são mencionadas nos inventários de várias igrejas e em um mosteiro na Islândia dos séculos XIV e XV. Existe uma teoria de que a pedra do sol tinha atributos de polarização e foi usada como um instrumento de navegação por marinheiros na Era Viquingue;[1] no entanto, não foram encontradas pedras desse tipo nos poucos naufrágios viquingues que existem.

Mesmo assim, vários tipos de minerais - especialmente cristais de calcita, cordierita[2] e turmalina ultrapuros - podem dividir um feixe de luz solar para formar duas imagens, com a luz polarizada tomando um caminho ligeiramente diferente do feixe principal. Ao olhar para o céu através de um cristal desse tipo e, em seguida, girá-lo para que as duas imagens fiquem igualmente brilhantes, é possível identificar os anéis de luz polarizada que circundam o sol, mesmo sob um céu nublado. Identificar a localização do sol daria aos marinheiros um ponto de referência seguro durante longas viagens marítimas.[3]

Referências

  1. Ramskou, Thorkild (1967). «Solstenen». Skalk (em dinamarquês). 2: 16–17 
  2. «Cordierite» (PDF). Handbook of Mineralogy. RRUFF™ Project 
  3. Viking seafarers may have navigated with legendary crystals por Sid Perkins (2018)
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.