Pedro Avelino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Pedro Avelino
"Princesa do Sertão"
"P.A."
Bandeira de Pedro Avelino
Brasão de Pedro Avelino
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 23 de dezembro
Fundação 23 de dezembro de 1948 (69 anos)
Gentílico pedro-avelinense
Padroeiro(a) São Paulo Apóstolo
CEP 59530-000
Prefeito(a) José Alexandre Sobrinho (MDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Pedro Avelino
Localização de Pedro Avelino no Rio Grande do Norte
Pedro Avelino está localizado em: Brasil
Pedro Avelino
Localização de Pedro Avelino no Brasil
05° 31' 19" S 36° 23' 16" O05° 31' 19" S 36° 23' 16" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Central Potiguar IBGE/2008 [1]
Microrregião Angicos IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Afonso Bezerra, Angicos, Lajes, Jandaíra, Guamaré, Galinhos, Macau e Pendências.
Distância até a capital 158 km
Características geográficas
Área 952,688 km² [2]
Distritos Baixa Do Meio
População 7 168 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 7,52 hab./km²
Altitude 95 m
Clima Semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,583 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 26 592,055 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 495,73 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.pedroavelino.rn.gov.br

Pedro Avelino é um município brasileiro no estado do Rio Grande do Norte, localizado na microrregião de Angicos. De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2000, sua população era de 8.006 habitantes e em 2010 era de 7.171 habitantes, distribuídos em 952,688 km² de área.

História[editar | editar código-fonte]

No início, Pedro Avelino ao qual é conhecida hoje em dia era um povoado chamado de "Gaspar Lopes", no qual foi conservado até 1921, quando teve o nome alterado para "Epitácio Pessoa", em homenagem ao Presidente da República que concluíra o ramal da E. F. Central do Rio Grande do Norte, ligando a localidade a outras regiões do Estado. Com a chegada da linha do trem e consequente a inauguração da estação ferroviária de Epitácio Pessoa, em 8 de janeiro de 1922, o povoado viveu dias de desenvolvimento e de expansão na sua produção agrícola e no comércio, onde o progresso claramente chegava pela ferrovia. Em 1938 foi elevado a distrito. E em 3 de dezembro de 1948 desmembrou-se do Município de Angicos, ao qual conquistou sua independência e foi elevado à categoria de Município sendo datada pelo decreto Estadual nº 146, de 23-12-1948, numa homenagem prestada ao jornalista do Município de Angicos, Pedro Celestino Costa Avelino, falecido em 1923. Desde então passou a ser chamada de Pedro Avelino.

Estação Experimental Terra Secas (Emparn)[editar | editar código-fonte]

O Município abriga um dos 11(onze) centros experimentais da Emparn, cujo nome da estação é unidade experimental (Terras Secas). Em uma área de 1.600 ha, no qual se desenvolve trabalhos agropecuários para à região Semi árida, inclusive o melhoramento genético da raça bovina Sindi. [6]

Atualmente[editar | editar código-fonte]

O Município receberá um dos maiores complexos eólicos do Nordeste (Complexo Eólico Santo Agostinho) e já passa por mudanças visíveis. Empresas Nacionais e internacionais já elaboram projetos para começar a construção do complexo energético renovável, ao qual passa por fase de conclusão de linhas de transmissão. Isso irá alavancar a economia local, que décadas atrás era muito valorizada pelo plantio do Algodão, que até meados da década de 60 a região que possuia área plantada foi atacada pela praga do "Bicudo".[7]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 4 de setembro de 2013. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  6. {{citar webhttps://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.emparn.rn.gov.br/Conteudo.asp%3FTRAN%3DPROCED%26TARG%3D%26ACT%3Dxp00_BUSCA%26PAGE%3D0%26PARM%3D%2522na%2BEsta%25E7%25E3o%2BExperimental%2BTerras%2BSecas%2522%2B%252C%2522ANY%2522%252C%2B%2522PESQUISA%2BEM%2BTODO%2BO%2BPORTAL%2522%26LBL%3D&ved=0ahUKEwjkipeEma3WAhXJPpAKHav-AOIQFggfMAE&usg=AFQjCNGEA5VDdliLqO4J2lKeMfovyK-MTg }}
  7. {{citar webhttps://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://agorarn.com.br/economia/complexo-eolico-santo-agostinho-vai-gerar-mais-de-mil-empregos-diretos/amp/&ved=0ahUKEwifmcvt36zWAhWMhpAKHfgJC9QQFggcMAA&usg=AFQjCNFK1mzYi3pvPnDyF89fibNYfLJlwA&ampcf=1}}
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.