Pedro Avelino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pedro Avelino
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Pedro Avelino
Bandeira
Brasão de armas de Pedro Avelino
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Princesa do Sertão"
"P.A."
Gentílico pedro-avelinense
Localização
Localização de Pedro Avelino no Rio Grande do Norte
Localização de Pedro Avelino no Rio Grande do Norte
Pedro Avelino está localizado em: Brasil
Pedro Avelino
Localização de Pedro Avelino no Brasil
Mapa de Pedro Avelino
Coordenadas 5° 31' 19" S 36° 23' 16" O
País Brasil
Unidade federativa Rio Grande do Norte
Região intermediária[1] Natal
Região imediata[1] João Câmara
Municípios limítrofes Afonso Bezerra, Angicos, Lajes, Jandaíra, Guamaré, Galinhos, Macau e Pendências.
Distância até a capital 158 km
História
Fundação 23 de dezembro de 1948 (70 anos)
Aniversário 23 de dezembro
Administração
Distritos
Prefeito(a) José Alexandre Sobrinho (MDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 952,688 km²
População total (IBGE/2010[3]) 7 168 hab.
Densidade 7,52 hab./km²
Clima Semiárido
Altitude 95 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 59530-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,583 baixo
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 26 592,055 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 3 495,73
Outras informações
Padroeiro(a) São Paulo Apóstolo
http://www.pedroavelino.rn.gov.br (Prefeitura)

Pedro Avelino é um município brasileiro no estado do Rio Grande do Norte. De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2000, sua população era de 8.006 habitantes e em 2010 era de 7.171 habitantes, distribuídos em 952,688 km² de área.

História[editar | editar código-fonte]

No início, Pedro Avelino ao qual é conhecida hoje em dia era um povoado chamado de "Gaspar Lopes", no qual foi conservado até 1921, quando teve o nome alterado para "Epitácio Pessoa", em homenagem ao Presidente da República que concluíra o ramal da E. F. Central do Rio Grande do Norte, ligando a localidade a outras regiões do Estado. Com a chegada da linha do trem e consequente a inauguração da estação ferroviária de Epitácio Pessoa, em 8 de janeiro de 1922, o povoado viveu dias de desenvolvimento e de expansão na sua produção agrícola e no comércio, onde o progresso claramente chegava pela ferrovia. Em 1938 foi elevado a distrito. E em 3 de dezembro de 1948 desmembrou-se do Município de Angicos, ao qual conquistou sua independência e foi elevado à categoria de Município sendo datada pelo decreto Estadual nº 146, de 23-12-1948, numa homenagem prestada ao jornalista do Município de Angicos, Pedro Celestino Costa Avelino, falecido em 1923. Desde então passou a ser chamada de Pedro Avelino.

Estação Experimental Terra Secas (Emparn)[editar | editar código-fonte]

O Município abriga um dos 11(onze) centros experimentais da Emparn, cujo nome da estação é unidade experimental (Terras Secas). Em uma área de 1.600 ha, no qual se desenvolve trabalhos agropecuários para à região Semi árida, inclusive o melhoramento genético da raça bovina Sindi. [6]

Atualmente[editar | editar código-fonte]

A partir do ano de 2020 o Município receberá um dos maiores complexos eólicos do Nordeste (Complexo Eólico Santo Agostinho) dentre outros empreendimentos do setor que já passa por mudanças visíveis. Empresas Nacionais e internacionais já elaboram projetos para começar a construção dos complexos energéticos renováveis, ao qual passa por fase de conclusão de 02 (duas) linhas de transmissão que cortam boa parte do território Pedroavelinense. Isso irá alavancar a economia local trazendo emprego e renda para toda cidade e região, que décadas atrás era muito valorizada pelo plantio do Algodão, que até meados da década de 60 a região que possuia uma enorme área plantada foi atacada pela praga do "Bicudo" trazendo assim, grandes prejuízos aos algodoeiros do município.[7]

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 4 de setembro de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. {{citar webhttps://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.emparn.rn.gov.br/Conteudo.asp%3FTRAN%3DPROCED%26TARG%3D%26ACT%3Dxp00_BUSCA%26PAGE%3D0%26PARM%3D%2522na%2BEsta%25E7%25E3o%2BExperimental%2BTerras%2BSecas%2522%2B%252C%2522ANY%2522%252C%2B%2522PESQUISA%2BEM%2BTODO%2BO%2BPORTAL%2522%26LBL%3D&ved=0ahUKEwjkipeEma3WAhXJPpAKHav-AOIQFggfMAE&usg=AFQjCNGEA5VDdliLqO4J2lKeMfovyK-MTg }}
  7. {{citar webhttps://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://agorarn.com.br/economia/complexo-eolico-santo-agostinho-vai-gerar-mais-de-mil-empregos-diretos/amp/&ved=0ahUKEwifmcvt36zWAhWMhpAKHfgJC9QQFggcMAA&usg=AFQjCNFK1mzYi3pvPnDyF89fibNYfLJlwA&ampcf=1}}
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.