Pedro Barbosa (escritor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pedro Barbosa
Nome completo Pedro Fernando Pinheiro Barbosa
Nascimento 1948 (73 anos)
Porto
Nacionalidade Portugal Português
Alma mater Universidade de Coimbra
Ocupação Escritor, professor e investigador
Principais trabalhos A Literatura cibernética (1977)
Prémios Grande Prémio de Ensaio Literário APE/PT (1980)
Página oficial
http://www.pedrobarbosa.net/

Pedro Fernando Pinheiro Barbosa (Porto, 1948) é um escritor, professor e investigador português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É conhecido sobretudo por seu trabalho de criação e teorização na área da literatura eletrônica e ciberliteratura. Licenciado em Filologia e Literaturas Modernas (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra), mestre em Estética Informacional (Universidade de Estrasburgo) e doutor em Ciências da Comunicação (Universidade Nova de Lisboa). Lecionou e fez investigação em Portugal, França, Itália e Brasil. Fundou em 1996 o CETIC, Centro de Estudos de Texto Informático e Ciberliteratura na Universidade Fernando Pessoa, e integra ainda como investigador os seguintes Centros: Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens (CECL) da Universidade Nova de Lisboa, Centro Transdisciplinar de Estudos da Consciência (CTEC) na UFP, Núcleo de Pesquisas em Hipermídia (NuPH) na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Brasil) e o Centre de Recherches sur les Textes Électroniques Littéraires (CERTEL), na Universidade de Artois (França).

Obras principais[editar | editar código-fonte]

Ensaio[editar | editar código-fonte]

  • Teoria do Teatro Moderno (Prémio de Ensaio da Associação Portuguesa de Escritores - 1982),
  • Metamorfoses do Real: arte, imaginário e conhecimento estético (1995)
  • A Ciberliteratura: criação literária e computador (1996)
  • Arte, Comunicação & Semiótica (2002)
  • Teoria do Teatro Moderno: a hora zero (2ª edição, 2003)

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Eróstrato (1984)
  • Anticleia ou os Chapéus-de-Chuva do Sonho (1992)
  • PortoMetropolitanoLento (1993)
  • Alletsator-XPTO.Kosmos2001 (ópera electrónica – 2001)
  • Sacrilégio Teatral (2004)
  • Há Alguém Aí? (2004)

Ficção[editar | editar código-fonte]

  • O Guardador de Retretes (1976, 4ª ed.2007)
  • Prefácio para uma Personagem Só (1993)
  • Histórias da Menina Minhó-Minhó (para crianças - 1988, 2ªed.2009)

Ciberliteratura[editar | editar código-fonte]

  • A Literatura Cibernética 1 - autopoemas gerados por computador (1977)
  • A Literatura Cibernética 2 - um sintetizador de narrativas (1980)
  • Máquinas Pensantes - aforismos gerados por computador (1986)
  • Teoria do Homem Sentado (livro virtual, 1996)
  • O Motor Textual (livro infinito, 2001)
  • Alletsator (hipermídia realizada em parceria com o Cetic e o Nuph/TIDD, 2007).

Várias dissertações de mestrado foram realizadas sobre a sua poética digital em França e no Brasil. Está biografado em Who's Who in the World (22.nd ed.,New Providence, USA) e no Dictionary of International Biography (32.nd ed., IBC, Cambridge, GB).

Fontes[editar | editar código-fonte]