Pedro Canário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde junho de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Município de Pedro Canário
Bandeira de Pedro Canário
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Aniversário 23 de dezembro
Fundação 23 de dezembro de 1983 (35 anos)
Gentílico canariense
Lema Aqui começa o Espírito Santo
CEP 29970-000
Prefeito(a) Bruno Teófilo Araújo (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Pedro Canário
Localização de Pedro Canário no Espírito Santo
Pedro Canário está localizado em: Brasil
Pedro Canário
Localização de Pedro Canário no Brasil
18° 18' 00" S 39° 57' 00" O18° 18' 00" S 39° 57' 00" O
Unidade federativa Espírito Santo
Mesorregião Litoral Norte Espírito-santense IBGE/2008 [1]
Microrregião São Mateus IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Conceição da Barra, Pinheiros,Montanha (ES) e Mucuri (BA)
Distância até a capital 265 km
Características geográficas
Área 434,040 km² [2]
População 25,982 habitantes hab. Censo IBGE/2018[3]
Densidade O numerador (dividendo) tem que ser um número! hab./km²
Altitude Altitude do município está 65 m acima do nível do mar. m
Clima O clima é tropical com temperatura variando de 25°C a 30°C no verão e no inverno entre 19°C

e 22°C, pode-se classificar o clima de Pedro Canário como megatérmico.

Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,654 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 172 064,911 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 7 111,30 IBGE/2008[5]

Pedro Canário é um município brasileiro do estado do Espírito Santo. Sua população estimada em 2013 era de 25.700 habitantes.

História

[6] "A princípio, a pequena localidade de Morro Dantas, posteriormente conhecida como Morro da Escola, ficava praticamente isolada (E ainda continua), sendo ligada apenas por uma trilha ao Rio Itaúnas. Daí, por via fluvial se estabelecia a conexão ao Povoado de Pai João, no município de Conceição da Barra.

No ano de 1942, chega à região a senhora Júlia Bonelar Dutra e instala uma pequena pensão e um comércio de cereais. Ainda neste ano, vindo de São Mateus, chega o senhor Pedro Canário Ribeiro, baiano, para administrar as terras herdadas pela família. Em 1943, com a vinda da Cia. Industrial de Madeira teve início a fase de extração. Abriu-se uma estrada ligando a localidade de Império (onde hoje é o município de Pedro Canário) ao Rio Itaúnas. A madeira seguia pelo rio até o povoado de Pai João e daí, por via férrea, até a serraria da companhia em Conceição da Barra. Em 1944 foi construída a estrada unindo Morro Dantas a Nanuque, passando pela Vila de Taquaras, então sede do distrito. Esta via trouxe maior movimento ao lugarejo na época e ainda hoje, conserva o traçado original. Em 1948, outra estrada é aberta. Desta feita ligando Braço do Rio Preto a Morro Dantas. Na ocasião também foi construída uma ponte de madeira sobre o Rio Itaúnas.  No ano seguinte, 1949, o senhor Pedro Canário Ribeiro abre sua pensão e um pequeno comércio de secos e molhados. O local transformou-se em referencial dos caminhoneiros que se dirigiam a Nanuque ficando conhecido como parada Pedro Canário, de onde originou-se o nome do município. O início dos anos 50 é marcado por violentos processos de expulsão de posseiros da área rural. Como não havia documentação que regularizasse a posse da propriedade, todos que se sentiam agredidos por invasão utilizavam-se de métodos pouco ortodoxos para fazer valer seus direitos. Em 1951, uma ponte de concreto substitui a antiga ponte de madeira sobre o Rio Itaúnas, a qual era constantemente avariada pelas chuvas e enchentes. No ano de 1953 instala-se em Pedro Canário a Fazenda Paulista (posteriormente fazenda Klabim) para desenvolvimento de lavoura cafeeira. A nova atividade agrícola atrai farta mão de obra à região, coloca o café como item de destaque na economia local e responsável direto pela ascensão dos povoados em seu entorno. No mês de julho de 1957, chega ao povoado a empreiteira responsável pela construção do trecho São Mateus-ES/ Mucuri-BA, da atual BR 101, concluído em 1962. Este advento foi o grande propulsor do povoado de Pedro Canário. A terra rural é super valorizada e surgem os primeiros loteamentos urbanos que formaram a sede do município. Nesta época teve início o programa de Erradicação do café, o que provocou o declínio dos povoadores de Nova Canaã e Água Preta. Já na década de 70, com o advento da BR 101 e o desvio do tráfego rodoviário para esta via, efetivou-se o esvaziamento da antiga sede do distrito - a Vila de Taquaras. Em contrapartida no povoado de Pedro Canário instalam-se diversos estabelecimentos comerciais, serrarias, agência bancária, hospital. Cresce o conglomerado urbano atraído pela nova função de entreposto comercial do povoado.  Provocando grande influência na economia regional desenvolvem-se as indústrias de farinha e as usinas produtoras de álcool e açúcar. Também por esta ocasião tem início as atividades de silvicultura com plantio de eucalipto para produção de carvão (Acesita) e posteriormente para produção de papel e celulose (Aracruz). Estas atividades provocaram um processo de concentração fundiária em razão das vastas áreas exigidas pela cultura e conseqüentemente iniciou o êxodo rural dos pequenos proprietários que negociavam suas terras e instalavam-se na sede na expectativa de melhoria de vida. Como reflexo destes fatores, o distrito de Taquaras passa a ser denominado Pedro Canário pela lei nº 3.383, de 27 de novembro de 1980, publicada no Diário Oficial em 29 de novembro de 1980. Em 23 de dezembro de 1983, Pedro Canário foi emancipado pela Lei nº 3.623 e tornou-se o 58º município do Estado do Espírito Santo. Teve seu primeiro processo eletivo em 16 de dezembro de 1984 e foi definitivamente instalado em 12 de janeiro de 1985." Texto retirado do sitio eletrônico http://www.cidades.ibge.gov.br

Economia[editar | editar código-fonte]

"Economicamente, o município destaca-se na produção agrícola em cultura como mamão, abóbora, mandioca, pimenta-do-reino, laranja, maracujá entre outras. A pecuária de corte e leite também exercem grande influência." Texto retirado do sitio eletrônico http://www.cidades.ibge.gov.br

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «IBGE | Cidades | Espírito Santo | Pedro Canário | Histórico». www.cidades.ibge.gov.br. Consultado em 1 de outubro de 2016 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pedro Canário
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Espírito Santo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.