Pedro Doria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pedro Doria
Nascimento 05 de novembro de 1974 (43 anos)
Rio de Janeiro
 Brasil
Ocupação Jornalista e escritor

Pedro Doria (Rio de Janeiro, 5 de novembro de 1974) é um jornalista e escritor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Pedro Doria (5 de novembro de 1974) é um jornalista brasileiro. Atualmente, é co-fundador do Canal Meio, empreendimento digital de jornalismo, junto com o empreendedor Vitor Conceição[1]. Foi editor executivo do jornal carioca O Globo[2] (onde ainda é colunista) e editor-chefe de conteúdos digitais do jornal O Estado de S. Paulo[3]. É Knight Latin American Fellow da Universidade de Stanford[4].

Seu Weblog foi o primeiro blog[5] jornalístico profissional do Brasil.

Esteve entre os fundadores dos sites No. e NoMínimo[6]. Foi colunista das revistas da Macworld Brasil, da Revista da Folha de S. Paulo, Internet.br e Oi. Seus textos apareceram em títulos como Superinteressante, Trip, Playboy, e VIP. Escrevendo uma reportagem para o NoMínimo, foi o primeiro jornalista a ler e comentar o blog de Bruna Surfistinha[7], o que alavancou enormemente a popularidade de Bruna Surfistinha.

É autor de seis livros, entre eles Manual para a Internet[8] (Revan, 1995), o primeiro sobre a grande rede no Brasil, Eu gosto de uma coisa errada (Ediouro, 2006), coleção de reportagens sobre internet, sexo e nudez. Seus últimos livros tratam de história do Brasil. "1565"[9], reconstrói a história do Rio de Janeiro e do sudeste em seus primeiros dois séculos. Já "1789"[10] reconstrói a Inconfidência Mineira, além de fazer revelações a respeito de quem realmente foi Tiradentes.

Comandou a equipe que recebeu o Prêmio Esso de 2012 por Melhor Contribuição à Imprensa[11]. Recebeu também o Prêmio Caixa de Reportagem Social, o The Bobs, da rede alemã Deutsche Welle e o Best Blogs Brazil na categoria política[12].

Ele é co-fundador da startup Meio, uma newsletter diária que resume as notícias de forma a informar o essencial com rapidez, pela manhã.[13]

Pedro foi casado com as jornalistas Marina Gomara e, antes, Leila Sterenberg. Tem uma filha do primeiro casamento e dois meninos do segundo[14].

Participou em outubro de 2013 do youPIX Rio, no debate "Protestos e Redes Sociais: a mudança de poder da mídia"[15], discutindo sobre que maneira as redes sociais e as mídias alternativas impactaram a mídia de massa e a construção da opinião e disseminação da informação no país.

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências