Pedro Guimarães

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o político brasileiro. Para o pintor português, veja Pedro Guimarães (artista plástico).
Pedro Duarte Guimarães
Pedro Duarte Guimarães
Presidente da Caixa Econômica Federal
Período 7 de janeiro de 2019
até 29 de junho de 2022
Presidente Jair Bolsonaro
Antecessor(a) Nelson de Souza
Sucessor(a) Daniella Marques[1]
Dados pessoais
Nascimento 4 de março de 1971 (51 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Prêmio(s) Medalha do Pacificador[2]
Ocupação Economista

Pedro Duarte Guimarães (Rio de Janeiro, 4 de março de 1971) é um economista brasileiro, ex-presidente da Caixa Econômica Federal, tendo tomado posse em 3 de janeiro de 2019. Foi indicado pelo ministro da economia, Paulo Guedes.[3][4]

O economista, que se especializou em privatizações nos Estados Unidos - PhD pela Universidade de Rochester,[5] destaca que o objetivo da sua gestão da Caixa é economizar R$ 3,5 bilhões em dois anos e, para alcançar esse número, vai rever contratos. Ele se propôs também rever a política de patrocínios.[6]

À frente da Caixa, coordenou a abertura de mais de sessenta milhões de contas digitais, criadas para pagamento de benefícios sociais, como o Auxílio Emergencial do governo federal durante a pandemia da Covid-19.[7] No primeiro ano de sua gestão, a Caixa apresentou lucro líquido de R$ 21,1 bilhões, crescimento de 103% com relação ao ano anterior e recorde na história da instituição.[8][9]

Em sua gestão, a CAIXA fechou novo acordo com a CNP Assurances para venda de seguros na rede do banco estatal até fevereiro de 2046, em um negócio de R$ 7 bilhões.[10] O foco anunciado da CAIXA durante sua gestão seria o financiamento de pequenas e médias empresas.[11] Para esse último segmento, a Caixa destinou, durante a pandemia, mais de R$ 5 bilhões nas linhas voltadas às micro e pequenas empresas. Além de R$ 4,2 bilhões do Pronampe em poucos dias, a instituição já liberou R$ 1,8 bilhão por meio do Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (Fampe), linha disponibiliza em parceria com o Sebrae.

Caso Pedro Guimarães[editar | editar código-fonte]

Em 28 de junho de 2022, o portal Metrópoles levou a público uma reportagem tratando de relatos de assédio sexual envolvendo diversas funcionárias da Caixa Econômica Federal, indicando que Pedro Guimarães teria, em múltiplas ocasiões, tentado forçar funcionárias do banco a iniciarem relações sexuais com ele. A iniciativa das entrevistadas levou à abertura de uma investigação atualmente em andamento no Ministério Público Federal, sendo este o primeiro caso público de assédio sexual envolvendo um funcionário de alto escalão no governo Jair Bolsonaro.[12][13]

Segundo o jornal O Globo, Pedro Guimarães já havia sido alvo de denúncia de assédio sexual por colega de trabalho em outro banco. O Caso teria sido resolvido em sigilo com pagamento de multa pela empresa à denunciante.[14]

Diretor da Caixa responsável por investigação é encontrado morto[editar | editar código-fonte]

O corpo de Sérgio Ricardo Faustino Batista, ex-diretor da Caixa Econômica Federal que acolheu as denúncias, foi encontrado na área externa do prédio por vigilantes que estavam de plantão. Até o momento, a suspeita é de suicídio.[15][16]

Referências

  1. «Saiba quem é Daniella Marques, assessora próxima de Paulo Guedes e nova presidente da Caixa». G1. Consultado em 30 de junho de 2022 
  2. «Boletim do Exército do Brasil de julho de 2019». Secretaria Geral do Exército do Brasil (pdf). Consultado em 10 de setembro de 2020 
  3. «Presidência e Vice Presidência - Sobre | Caixa» 
  4. «Saiba quem é o novo presidente da Caixa». 16 de janeiro de 2019 
  5. Guimarães, Pedro (2003). «Privatization: theory, evidence and its role in fostering fragmentation» (em English). OCLC 61166101. Consultado em 29 de junho de 2022 
  6. «Caixa quer economizar R$ 3,5 bi em dois anos; Guedes garante que só faltam 48 votos pra reforma. Jornais de sábado (9)». G1. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  7. «Caixa reduz juros do cheque especial para 1,8% ao mês». Poder360. 2 de julho de 2020. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  8. «Lucro da Caixa cresce 103% em 2019 e atinge R$ 21,1 bilhões, impulsionado por venda de ativos». G1. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  9. «Caixa teve lucro recorde em 2019, diz presidente do banco». Agência Brasil. 2 de janeiro de 2020. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  10. «CNP Assurances fecha acordo de R$ 7 bi com a Caixa». Forbes Brasil. 19 de setembro de 2019. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  11. «'Nossa missão agora é o crédito para micro e pequenas empresas', diz presidente da Caixa - Economia». Estadão. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  12. «Exclusivo: funcionárias denunciam presidente da Caixa por assédio sexual». Metrópoles. 28 de junho de 2022. Consultado em 2 de julho de 2022 
  13. «MP investiga denúncia de assédio sexual contra o presidente da Caixa». www12.senado.leg.br. Consultado em 29 de junho de 2022 
  14. «Banco teve que pagar indenização a ex-funcionária por assédio de Pedro Guimarães». O Globo. 29 de junho de 2022. Consultado em 29 de junho de 2022 
  15. «Caso Pedro Guimarães: diretor da Caixa responsável por investigação é encontrado morto». Revista Fórum. Consultado em 20 de julho de 2022 
  16. «Diretor da Caixa Econômica Federal é encontrado morto na sede do banco em Brasília». G1. Consultado em 20 de julho de 2022 
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) economista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.