Pedro Miguel de Almeida Portugal e Vasconcelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Pedro Miguel de Almeida Portugal
Pedro Miguel de Almeida Portugaljpg
Nascimento 17 de outubro de 1688
Morte 1756 (68 anos)

Dom Pedro Miguel de Almeida Portugal (17 de outubro de 16881756), 3.° Conde de Assumar, 1.º Marquês de Castelo Novo e 1.° Marquês de Alorna, 3.° Governador e Capitão-mor da Capitania de São Paulo e Minas do Ouro, no Brasil, e ainda 44.º Vice-Rei da Índia.

Foi indicado pela Coroa de Portugal como terceiro governador da Capitania de São Paulo e Minas de Ouro (Real Capitania das Minas de Ouro e dos Campos Gerais dos Cataguases), visando manter a ordem entre os mineiros da região e garantir as rendas da Coroa.

Chegou ao Brasil em Julho de 1717, desembarcando no Rio de Janeiro, onde permaneceu por alguns dias, seguindo viagem por mar até Santos e depois por terra até São Paulo, onde tomou posse da Capitania a 4 de Setembro, em cerimônia na Igreja do Carmo. No final desse mês iniciou visita de inspeção às Minas Gerais.

Uma de suas ações mais conhecidas na história do Brasil foi a repressão praticada contra a Sedição de Vila Rica, popularmente conhecida como Revolta de Felipe dos Santos (1720), onde, após ter simulado concordar com as reivindicações estabelecendo a paz com os revoltosos, ordenou às suas tropas a invasão do arraial, tendo feito deter os cabeças. Felipe dos Santos foi executado sumariamente.

Em 1744 foi nomeado Vice-Rei da Índia, onde derrotou o rajá Bounsoló, com a tomada da Fortaleza de Alorna, pela qual foi lhe dado o título de marquês.

Foi ele que disse a célebre frase "Sepultar os mortos, cuidar dos vivos e fechar os portos", que serviu de mote à reconstrução de Lisboa após o terrível terramoto de 1755, como à pergunta do rei D. José I de Portugal sobre o que fazer perante a catástrofe[1].

Observação: Herdou o título de Conde de Assumar depois da morte do seu pai, titular da Casa, em 1733.



Referências

Precedido por
Brás Baltazar da Silveira
Governador da capitania de
São Paulo e Minas do Ouro

14 de Setembro de 1717 — 4 de Setembro de 1721
Sucedido por
Lista de governadores de Minas Gerais, Lista de capitães-mores de São Paulo
Precedido por
Conselho de Governo Interino: Francisco de Vasconcelos, Lourenço de Noronha e Luís Caetano de Almeida
Vice-Rei da Índia Portuguesa
1744 — 1750
Sucedido por
Francisco de Assis de Távora
Precedido por
João de Almeida
Conde de Assumar
(3.º)

1733 — 1756
Sucedido por
João de Almeida Portugal
Precedido por
nova criação
Marquês de Castelo Novo
(1.º)

24 de Março de 1744 — 1756
Sucedido por
título substituído pelo
de Marquês de Alorna
Precedido por
nova criação
Marquês de Alorna
(1.º)

9 de Novembro de 1748 — 1756
Sucedido por
João de Almeida Portugal


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.