Pedro Mota Soares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pedro Mota Soares
Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social de  Portugal
Período XIX e XX Governos Constitucionais
Antecessor(a) Helena André
Sucessor(a) José António Vieira da Silva
Deputado à Assembleia da República
Período nas Legislaturas:
  • XII [2011-06-20 a (suspenso)[1]]
  • XI [2009-10-15 a 2011-06-19]
  • X [2005-03-10 a 2009-10-14]
  • VIII [1999-10-25 a 2002-04-04]
Vida
Nascimento 29 de maio de 1974 (42 anos)
Lisboa
Dados pessoais
Partido CDS-PP
Profissão Advogado

Luís Pedro Russo da Mota Soares (Lisboa, 29 de maio de 1974) é um advogado e político português[2].

Foi Ministro da Solidariedade, Trabalho e da Segurança Social entre 2011 e 2015. [3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Pessoal[editar | editar código-fonte]

Nascido em Lisboa, a 29 de maio de 1974, licenciou-se em Direito e especializou-se em Direito do Trabalho.

É casado com Ana Sofia Seabra Camacho Rodrigues e pai de dois filhos.

Profissional[editar | editar código-fonte]

Pedro Mota Soares é advogado e docente na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

Integrou as sociedades de advogados Mota Soares, Oliveira & Associados e Nobre Guedes, Mota Soares & Associados[4].

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Foi presidente da Juventude Centrista, actual Juventude Popular, entre 1996 e 1999,[5] e vice-presidente dos Jovens Conservadores Europeus.[6]

Entre 2002 e 2005 desempenhou o cargo de secretário-geral do CDS-PP e de membro da Comissão Diretiva do mesmo partido[7].

Foi eleito deputado à Assembleia da República, nas VIII, X e XI legislaturas, exercendo funções como vice-presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP, e membro das comissões de Trabalho e Segurança Social, Juventude e Desporto e Saúde e Toxicodependência.[8][9].

Paralelamente, foi eleito membro da Assembleia Municipal de Oeiras.

Em junho de 2011 fez parte da delegação do CDS-PP nas negociações com o PSD, com vista à formação de uma coligação pós-eleitoral, de incidência parlamentar, que permitiu a formação do XIX Governo Constitucional. Pedro Mota Soares viria a integrar este governo, como Ministro da Solidariedade e da Segurança Social, tendo sido empossado em 21 de junho de 2011[10].

A 2 de julho de 2013, uma terça-feira, o Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Paulo Portas entregou uma carta de demissão, e no mesmo dia, foi anunciado que Assunção Cristas e Mota Soares entregariam as suas respetivas cartas na quarta-feira seguinte.[11] O que acabou por não se concretizar, tendo assumido, para além das pastas que já detinha, a pasta do Emprego, passando a desempenhar o cargo de Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social.

Foi reconduzido nestas funções no XX Governo Constitucional a 30 de outubro de 2015, que durou apenas até novembro do mesmo ano. Com a nomeação de António Costa para Primeiro-Ministro do XXI Governo Constitucional, Pedro Mota Soares foi sucedido pelo ex-Ministro de José Sócrates José António Vieira da Silva.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Helena André
(como ministra do Trabalho e da
Solidariedade Social
)
Ministro da Solidariedade
e da Segurança Social

XIX Governo Constitucional
2011 – 2013
Sucedido por
o próprio
(como ministro da Solidariedade, Emprego
e Segurança Social
)
Precedido por
o próprio
(como ministro da Solidariedade
e da Segurança Social
)

Álvaro Santos Pereira
(como ministro da Economia e do Emprego)
Ministro da Solidariedade, Emprego
e Segurança Social

XIX e XX Governos Constitucionais
2013 – 2015
Sucedido por
José António Vieira da Silva
(como ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social)


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.