Pedro Pettigrew

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.
Peter Pettigrew
Dados pessoais
Sexo Masculino
Nascimento 1960
Cabelo Castanho
Olhos Castanhos
Sangue Mestiço
Família Peneloppy Pettigrew (Filha)
Dados biográficos
Casa Blason Gryffondor.svg Gryffindor
Organizações as
quais pertence
Marotos, Ordem da Fênix, Comensal da Morte
Na série
Primeira aparição
em livro
Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
Primeira aparição
em filme
Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
Intérprete Timothy Spall
Personagem da série Harry Potter

Pedro Pettigrew (ou Peter Pettigrew, no inglês) é um personagem criado por J. K. Rowling, dentro da série Harry Potter.

Biografia[editar | editar código-fonte]

No cinema, Peter Pettigrew é vivido por Timothy Spall.

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Pettigrew é um homem baixo, pelo próprio fato de ser um animago que viveu como rato durante um grande período, ele tem cara de rato e nariz pontudo. Não tem o dedo indicador da mão direita. Depois perdeu a mão toda atendendo ao pedido de Voldemort para fazer a poção de renascer. Mais tarde essa mesma mão foi trocada por uma que parece uma luva e possui um brilho mágico cor de prata.
Acredita-se que ele seja mestiço, porque se fosse completamente trouxa, não teria sido aceito como comensal da morte. Sua era bruxa, tanto que ela recebeu a Ordem de Merlim póstuma, em nome do filho, que se acreditava morto (junto com o pedaço do dedo).

Ele é conhecido como Rabicho

Peter ou Pedro, significa pedra; honesto, fiel. Inicialmente pareceria que com inexoravelmente ele era o contrário, mas em Harry Potter e as Relíquias da Morte Voldemort o mata por deixar de ser leal ao seu mal. A palavra petty (insignificante) no seu sobrenome dá a impressão mesmo de sua insignificância.

Em Hogwarts[editar | editar código-fonte]

Pettigrew entrou para Hogwarts na mesma época que Sirius Black, Tiago Potter e Remo Lupin.
Peter nunca teve a mesma habilidade e inteligência que os outros. Ele os admirava e gostava de segui-los, de fazer parte do grupo, afinal ele os tratava como ídolos. Talvez porque gostassem de ter alguém sempre os apreciando, era apaixonado por Tiago Potter, um verdadeiro fã, os três amigos o protegiam e ajudavam.

Como os outros amigos, acredita-se que Pettigrew também pertencia à casa Gryffindor.

Ele era lento para aprender e rápido para seguir, a professora Minerva McGonagall era severa com ele. Peter era muito fácil de ser influenciado e estava sempre junto dos mais fortes. Como os três amigos Remo, Sirius e Tiago eram os líderes, ele naturalmente os seguia.
De qualquer forma, durante o quinto ano na escola, Tiago e Sirius, decididos a acompanhar o amigo Lupin quando transformado em lobisomem, resolveram se tornar animagos. Desse modo, Pettigrew foi incluído no projeto dos amigos e aprendeu com eles essa poderosa magia, passando a transformar num rato. Escolheu o apelido de Rabicho e junto com os outros viveu grandes aventuras todos os meses.
Ele assinou junto com os outros colegas o mapa do maroto, que foi criado baseado nas aventuras do grupo dentro e fora de Hogwarts, embora não se saiba se realmente contribuiu com alguma coisa. Rabicho e Quirinus Quirrell são os unicos comensais da morte que não são Sonserinos,Rabicho e da Gyffindor e Quirinus da Ravenclaw.

Na Ordem da Fênix[editar | editar código-fonte]

Após se formarem, Os Marotos entraram para a Ordem da Fênix.
Eram os tempos de Voldemort, tempos difíceis, em que a força do mal era poderosa. Muitos bruxos estavam sendo mortos pelos seguidores do Lord das Trevas, os comensais da morte.
Os amigos estavam engajados na guerra contra o mal e Pettigrew descobriu como era difícil enfrentar a realidade. Os membros da Ordem eram os alvos preferidos de Voldemort e seus Comensais, de modo que o covarde Peter se sentia muito vulnerável. Tudo o que ele desejava era uma existência tranqüila e segura, e de repente, se via sob a pressão de Voldemort para mudar de lado.

E foi assim, em segredo, que Peter Pettigrew foi para o lado do mal. Se tornou espião do Lord das Trevas.

Do outro lado[editar | editar código-fonte]

Sua devoção não passa de covardia. Você não estaria aqui se tivesse para onde ir.
Lord Voldemort (em o Cálice de Fogo)

Durante um ano (1980) Pettigrew passou informações para Lord Voldemort, muito embora tivesse medo, também achava que poderia ter muito a ganhar.
Quando os Potters precisaram se esconder pois Harry era um bebê e eles estavam sendo perseguidos pelos comensais da morte, chegou o grande momento de Peter.
Sem imaginar que seu amigo fosse um traidor, eles o escolheram para Fiel do Segredo quando se esconderam em Godric´s Hollow sob o feitiço Fidelius Charm. Com certeza, eles o preferiram à Sirius porque acharam que ninguém ia desconfiar de um bruxo tão sem expressão quanto Pettigrew.
E foi assim que Lord Voldemort chegou ao esconderijo e matou os pais de Harry.

Peter Pettigrew conhecia Sirius muito bem e sabia que ele descobriria imediatamente a sua traição e iria atrás dele.
Assim pela primeira vez, desde que o conhecemos na história, Pettigrew teve uma saída engenhosa.
Arranjou uma maneira de estar numa rua movimentada, quando Sírius o encontrou e acusou de ser o traidor. Discretamente cortou seu dedo indicador e, com a varinha escondida, provocou uma explosão que abriu uma cratera na rua e matou doze trouxas. Se tornou animago e fugiu como um rato para os bueiros, deixando o pedaço do dedo como prova de sua morte.

Foi assim que Sirius Black, o único que sabia a verdade, foi parar em Azkaban e Pettigrew foi condecorado por heroísmo, póstumo.

Animal de estimação[editar | editar código-fonte]

Novembro de 1981 a junho de 1994.
Agora, Lord Voldemort desaparecera e todos acreditavam que ele, Peter, estava morto. O problema é que para os comensais ele traíra seu mestre, e para o mundo mágico ele estava morto.
O melhor para o momento era ficar na forma de rato. De alguma forma, procurando um lugar com todo cuidado, ele terminou conseguindo ser o mascote de Percy Weasley sob o nome de Perebas.

Na casa dos Weasleys ele estava bem protegido e se mantinha bem informado porque Arthur Weasley além de trabalhar no Ministério da Magia, também mantinha relações próximas com Hogwarts.

Assim, ele viveu lá, na Toca, a maior parte dos quinze anos, escondido.

Depois de Percy, ele passou para Rony e durante um bom tempo viveu no mesmo dormitório, em Hogwarts, que o grande inimigo de seu mestre, Harry Potter.
Rony de uma certa forma, gostava de Perebas, embora este dormisse demais e não fosse um grande animal de estimação. Não se sabe se Pettigrew nutria algum sentimento pelo garoto, apenas uma vez ele defendeu Rony, mordendo Gregory Goyle. Não se sabe se foi para proteger Rony ou porque queria se vingar do filho do comensal da morte que o rejeitara.
Perebas não gostava do gato (kneazle) de Hermione, Bichento, porque ele via através do disfarce de Peter e tentava atacá-lo sempre que tinha chance.

Finalmente descoberto[editar | editar código-fonte]

Assim, Peter Pettigrew vivendo como mascote de Rony, acompanhou a família Weasley ao Egito em agosto de 1993. Lá eles foram fotografados e a foto saiu publicada no Profeta Diário.

Sirius Black estava ainda preso em Azkaban e numa das visitas de Cornelius Fudge conseguiu ver o jornal. Imediatamente reconheceu na foto da família o traidor Pettigrew em sua forma animago. A vingança era o motivo de que ele precisava para viver e fugir, o que conseguiu, resistindo aos dementadores. A partir da fuga de Sirius acabou a paz de Perebas. E mesmo fingindo ter sido atacado por Bichento e morrido no dormitório de Hogwarts, para poder fugir, ele acabou sendo encontrado. Peter foi encontrado pelos seus velhos amigos, Sirius e Lupin. Na verdade Sirius contou com a ajuda inestimável de Bichento, que já não gostava de Perebas e fez amizade com Sirius na forma de animago, Almofadinhas.
Afinal houve um encontro entre Sirius, Pettigrew, Lupin, Harry, Rony, Hermione e Severo Snape na Casa dos Gritos. A verdadeira identidade de Perebas foi revelada, ele confessou tudo e os dois grandes amigos de Tiago Potter, Sirius e Lupin estavam prontos para executar Peter.

Dívida de vida[editar | editar código-fonte]

Harry impediu que Pettigrew fosse morto, porque não queria que os melhores amigos de seu pai se tornassem assassinos. Especialmente por causa de uma criatura tão patética como Peter Pettigrew. Então foi resolvido que ele seria levado ao Ministério para ser preso e julgado e de preferência ficar em Azkaban.
O que ninguém contava é que uma vez rato, sempre rato, um animal escorregadio e esperto, Pettigrew fugiu voltando a sua forma de animago se aproveitando da transformação de Lupin.
Independentemente do que ainda aconteça, o fato é que Pettigrew deve a vida a Harry Potter e isso é uma coisa muito importante, está no trecho abaixo do livro Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban capítulo 22:

Pettigrew lhe deve a vida. Você mandou a Voldemort um emissário que está em dívida com você... Quando um bruxo salva a vida de outro, forma-se um certo vínculo entre os dois... e estarei muito enganado se Voldemort aceitar um servo em dívida com Harry Potter.
Eu não quero ter nenhum vínculo com Pettigrew! – exclamou Harry. – Ele traiu os meus pais!
Assim é a magia no que ela tem de mais profundo e impenetrável, Harry. Mas confie em mim... quem sabe um dia você se alegrará por ter salvo a vida de Pettigrew.

A volta[editar | editar código-fonte]

Sem ter para onde ir, Peter Pettigrew só tinha como opção voltar a procurar seu antigo mestre ou aquilo que restara dele.
Assim viajou até a Albânia, encontrando outros ratos no caminho e tomando informações sobre um ser incorpóreo que se escondia nas florestas. Nessas viagens encontrou Bertha Jorkins uma bruxa que trabalhava no Ministério e estava de férias, sabendo ter sido reconhecido por ela, a levou para floresta onde ela caiu nas garras do Lorde das Trevas.

O servo de Voldemort[editar | editar código-fonte]

Peter se tornou o servo fiel de Voldemort, alimentando-o com o veneno da imensa cobra Nagini e levou de volta para a Grã-Bretanha, aquela coisa disforme que era o Lord das Trevas (para morar na antiga casa de seu pai, em Little Hangleton].
Ajudou Voldemort a libertar Barty Crouch Jr. e capturar Alastor Moody o Olho-Tonto, além de manter Bartemius Crouch Sr. sob a maldição Imperius (e bem ao seu estilo, deixá-lo escapar).

Lord Voldemort o chama de Rabicho, talvez para lembrá-lo sempre de sua traição e da perda de seus verdadeiros amigos. Até mesmo para deixar claro que ele é mais um rato do que uma pessoa.

E foi Rabicho quem matou Cedrico Diggory, colocou o caldeirão no fogo, fez o corte no braço de Harry para tirar o sangue necessário à poção regenerativa.
Rabicho cortou sua própria mão direita para completar a horrível mistura de onde renasceu para seu antigo corpo, o Lord das Trevas.
Como prêmio, Voldemort deu ao servo uma nova mão, prateada, poderosa e brilhante.

No verão de 1996, no livro seis, Rabicho está morando na casa de Snape. Aparentemente ele é ainda o espião de Voldemort.

Contradição de Casas[editar | editar código-fonte]

Durante os livros da saga é citado diversas vezes sobre o fato de nenhum bruxo maligno poder ser aceito para a casa de Griffinória.

Morte[editar | editar código-fonte]

Quando Harry Potter, Rony Weasley e Hermione Granger são capturados pelos comensais da morte, em 1997, e levados à seu novo quartel general (a mansão dos Malfoy) Pettigrew flagra o elfo doméstico Dobby em uma tentativa frustrada de libertar os prisioneiros dos Comensais a mando de Potter. Enquanto Dobby é morto por Bellatrix Lestrange e Hermione é torturada com a maldição Cruciatus, Pettigrew é obrigado a atacar Harry. Mas ao lembrar de sua dívida de vida com o garoto, criada a quatro anos atrás, ele se recusa, e sua mão mágica prateada o estrangula, matando-o, pela traição ao Lorde Voldemort.

No filme Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1, Rabicho, que deveria morrer na mansão dos Malfoy, ao invés disso, é estuporado, ou petrificado por Dobby, quando vai verificar as celas. Transformaram essa parte sombria em uma cena de humor leve. Não se sabe o que houve com ele após ser petrificado, provavelmente tenha sido morto por Voldemort, logo após isso, devido o fato de ele ter deixado Harry escapar, já que Pettigrew não aparece em Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]