Pedro Teotónio Pereira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pedro Teotónio Pereira.

Pedro Teotónio PereiraGCIHGCC • (Lisboa, Mártires, 7 de novembro, 1902Lisboa, 14 de fevereiro, 1972) foi um político e diplomata Português .

Vida[editar | editar código-fonte]

Com o Presidente Truman, na Casa Branca, representando Portugal na assinatura do Tratado do Atlântico Norte

Filho de João Teotónio Pereira, Jr. (Lisboa, 1869 - Lisboa, São Domingos de Benfica, 1948), Administrador da Companhia de Seguros Fidelidade, e esposa Virgínia Hermann von Boetischer (Lisboa, Santa Engrácia, 1871 - Lisboa, 1969) neto paterno de João Teotónio Pereira (1832 - 1916) e sua esposa Clara Sobral (1840 - Freixo de Espada à Cinta, Fornos, 1910) e neto materno de Maximiliano August Hermann von Boetischer, um engenheiro, ligado à instalação do telefones em Portugal, e esposa, Maria José da Silva. Seu irmão mais velho Luís Teotónio Pereira foi também um político.

Licencia-se em Matemáticas Superiores pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa onde começou a ser notado pelas suas capacidades oratórias e por representar o sector estudantil, na qualidade de vice-presidente e depois presidente da Junta Escolar de Lisboa.

A família Teotónio Pereira tinha uma longa tradição no mundo financeiro segurador. Já o seu bisavô, em 1865, tinha sido um dos doze directores da Associação Comercial de Lisboa sendo também acionista. O seu pai alcançou a posição acionista maioritária da Companhia de Seguros Fidelidade. Com o intuito de seguir a tradição familiar, em 1926, Pedro Teotónio Pereira desloca-se para a Suiça para se especializar em cálculo actuarial e, no regresso, nesse mesmo ano de 1926, funda o ramo vida da Companhia de Seguros Fidelidade.

Quando se desencadeia o 28 de Maio de 1926, Pedro Teotónio Pereira colaborava no jornal monárquico A Época, integrando o grupo de jovens sardinhistas. Encontra-se colaboração da sua autoria na revista Ordem Nova [1] (1926-1927).

No início da década de 1930, Salazar, reconhecendo a sua competência no ramo dos seguros de vida, chama-o para solucionar o fracasso do sistema de seguros sociais obrigatórios que tinha sido instituído em 1919 pela 1ª República. Salazar aprecia a colaboração do jovem Teotónio Pereira e, em 1933, nomeia-o Subsecretário de Estado das Corporações e Previdência Social cargo que ocupa até 1936 e onde, na dependência directa de Salazar, prepara o grosso da estrutura institucional e jurídica do corporativismo português bem como do sistema de previdência social.

Em 1936 é nomeado Ministro do Comércio e Indústria, cargo que ocupa até 1937, quando Salazar, que com o estalar da Guerra Civil de Espanha havia assumido a pasta dos Negócios Estrangeiros, decide nomear Teotónio Pereira para a delicada função de “Agente Especial” do Governo Português junto do Governo de Franco.[2] Teotonio Pereira chega a Salamanca a 19 de Janeiro de 1938 encontrando uma atmosfera de grande simpatia para com os diplomatas alemães e italianos e uma atmosfera de grande hostilidade para com os diplomatas dos restantes países. Teotónio Pereira cedo começou a contrariar este ambiente e irá ter um papel fundamental na dissuasão do alinhamento da Espanha com as Potencias do Eixo, na criação do um bloco Ibérico neutro e na aproximação da Espanha aos Aliados. Este papel importantíssimo é reconhecido e objecto de copiosos elogios por parte de Carlton Hayes, o embaixador Americano em Madrid durante a guerra no seu livro Wartime mission in Spain,1942-1945.[3] A sua designação como embaixador era transitória e inscrevia-se numa política de reconhecimento do Governo de Franco. Em 20 de maio de 1938 Teotónio Pereira é formalmente nomeado embaixador em Madrid e entrega credenciais a Franco em 20 de junho do mesmo ano.

Carlton Hayes também enaltece o papel de Teotónio Pereira, em 1943, no salvamento de cerca de 16,000 refugiados, a maioria militares ou em idade militar, que atravessaram os Pirenéus a pé, com o intuito de se juntarem às forças aliadas no Norte de África.[4]

Com o Presidente John F. Kennedy, Sala Oval da Casa Branca, Washington, D.C

Igualmente elogioso é o testemunho do Embaixador Britânico em Madrid de 1940-1944, Lord Templewood, que diz que encontrou em Teotónio Pereira em Madrid um aliado e amigo desde a primeira hora e um homem excecional com capacidades notáveis.[5]

Em 1945 ao terminar o seu mandato em Madrid, reconhecendo o papel fundamental de Teotónio Pereira na criação de um bloco ibérico neutro, o Governo de Espanha concede-lhe a Gran Cruz da Ordem de Carlos III, a mais alta condecoração civil que pode ser outorgada naquele país.[6]

Mais tarde foi embaixador no Rio de Janeiro (1945-47), em Washington (1947-1950), em Londres (1953-1958) e novamente em Washington (1961-63).

Casou com Isabel Maria van Zeller Pereira Palha (Lisboa, Santa Engrácia, 26 de outubro de 1903 -), e teve 3 filhos:

  • Pedro van Zeller Palha Teotónio Pereira (Cascais, Estoril, 26 de novembro, 1927 —)
  • Maria Madalena van Zeller Palha Teotónio Pereira (Cascais, Estoril, 26 de março, 1929 —)
  • Clara van Zeller Palha Teotónio Pereira (Lisboa, Santa Engrácia, 5 de agosto, 1934 —)

Amante do Mar[editar | editar código-fonte]

Foi a convite de Teotónio Pereira, na época embaixador em Washington, que na Primavera de 1950 o Capitão Australiano Alan Villiers embarcou com os pescadores portugueses, vindo a escrever o livro “A Campanha do Argus”,[7] um clássico da literatura marítima mundial, que teve tradução em mais de uma dezena de línguas, e que relata a pesca do bacalhau por "homens de ferro em navios de madeira", a mítica "frota branca", a última grande actividade económica que fazia uso da navegação à vela para viagens transoceânicas

Em 1953, com o receio do desaparecimento, num futuro próximo, dos últimos grandes veleiros, animado pelo propósito de educar as novas gerações de todo o mundo num melhor e mais pacífico entendimento, Pedro Teotónio Pereira, na época Embaixador de Portugal em Londres, juntamente com o solicitador londrino, Bernard Morgan, idealizou e fundou a Tall Ships’ Races, promovendo a primeira Regata dos Grandes Veleiros, realizada em 1956 entre Torbay, no sul de Inglaterra, e Lisboa. A esta iniciativa Teotónio Pereira conseguiu juntar personalidades como Lord Mountbatten e o Duque de Edimburgo.[8]

Também o êxito da compra Navio-escola Sagres pela Marinha Portuguesa à Marinha do Brasil, em 1961, muito se ficou a dever à ação empenhada de Teotónio Pereira, na altura Ministro da Presidência. [9]

Obras Publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Antonio de Oliveira Salazar e Pedro Teotónio Pereira, "As Ideias do Estado-Novo. Corporações e Previdência Social". Edições do Sub-secretariado de Estado das Corporações e Previdência Social, Lisboa. 1933.
  • Pereira, Pedro Teotónio, "A Batalha do Futuro. Organização Corporativa". Lisboa: Livraria Clássica Editora, 1937.
  • Pereira, Pedro Teotónio, "Memórias", Círculo dos Leitores, 1972

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Almeida, Joao Miguel, "Correspondência política entre Oliveira Salazar e Pedro Teotónio Pereira (1945-1968)"- Círculo de Leitores : Temas e Debates : Instituto de História Contemporânea, 2008, ISBN 9789896440299
  • Cruz, Manuel Braga da (2004), Pedro Teotónio Pereira, Embaixador Português em Espanha durante as Guerras (PDF), Porto: Estudos de Homenagem a Luís António de Oliveira Ramos, p. 429-440, consultado em 18 de março de 2014 
  • Hayes, Carlton J.H. (1945). Wartime mission in Spain, 1942-1945 (em inglês). [S.l.]: Macmillan Company 1st Edition. 313 páginas. ISBN 9781121497245 
  • Hoare, Samuel (1946). Ambassador on Special Mission (em inglês). UK: Collins; First Edition edition. 320 páginas 
  • Lochery, Neill (2011). Lisbon: War in the Shadows of the City of Light, 1939-1945 (em inglês). United States: PublicAffairs; 1 edition. 345 páginas 
  • Lucena, Manuel de (2015). Os Lugar-Tenentes de Salazar. Lisboa: Alêtheia Editores. 374 páginas. ISBN 9789896226435 
  • Meneses, Filipe (2009). Salazar: A Political Biography (em inglês). [S.l.]: Enigma Books; 1 edition. 544 páginas. ISBN 978-1929631902 
  • Pereira, Pedro Teotónio (1987). "Correspondência de Pedro Teotónio Pereira Oliveira Salazar". [S.l.]: Presidência do Conselho de Ministros. Comissão do Livro Negro sobre o Regime Fascista 
  • Pereira, Pedro Teotónio (1973). "Memórias". [S.l.]: Verbo - 2 Volumes 
  • Rezola, Maria Inácia (2008). «The Franco–Salazar Meetings:Foreign policy and Iberian relations during the Dictatorships (1942-1963)» (PDF). e-journal of Portuguese History (em inglês). 6 (2). Consultado em 24 de janeiro de 2015 
  • Tusell, Javier (1995). Franco, España y la II Guerra Mundial: Entre el Eje y la Neutralidad (em Castelhano). [S.l.]: Ediciones Temas de Hoy. ISBN 9788478805013 

Referências

  1. Rita Correia (16 de Novembro de 2011). «Ficha histórica: Ordem Nova (1926-1927)» (PDF). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 6 de Janeiro de 2015 
  2. [1] Manuel Braga da Cruz(2004). «Pedro Teotónio Pereira, Embaixador Português em Espanha durante as Guerras» in Estudos de Homenagem a Luís António de Oliveira Ramos. Porto: Faculdade de Letras, p. 429-440.
  3. Hayes, pp. 36, 119 e 169
  4. Hayes, p. 119
  5. Hoare, p.45
  6. «El Embajador de Portugal» [The Portuguese Ambassador] (em espanhol). ABC (jornal). 20 de Julho de 1945. Consultado em 8 de Janeiro de 2015 
  7. Villiers, Alan - The Quest of the Schooner "Argus" - Published by Hodder & Stoughton Ltd (1951)
  8. «The First Tall Ships Race». Sail Training International. Consultado em 30 de novembro de 2014 
  9. «Navio Escola Sagres > PT > O navio > História». Marinha Portuguesa. Consultado em 1 de dezembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]