Pele clara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Um grupo de europeus de pele clara

Pele clara é uma ocorrência natural de cor da pele humana, que tem pouca pigmentação eumelanina e que foi adaptada a ambientes de baixa radiação UV.[1][2] A pele clara é comumente encontrada entre as populações nativas da Europa e Nordeste da Ásia, pela medida por reflectância da pele.[3] Pessoas com pigmentação da pele clara são geralmente chamadas de brancas[4][5] ou claras, embora esses usos possam ser ambíguos em alguns países onde são usados para se referir especificamente a certos grupos étnicos ou populações.[6]

Como as populações migraram dos trópicos entre 125.000 e 65.000 anos atrás para áreas de baixa radiação UV,[7] elas desenvolveram a pigmentação da pele clara como uma seleção evolucionária agindo contra a depleção de vitamina D.[2][8] Com base na análise de ADN antigo realizada em 2014 sobre os restos de esqueletos humanos da Europa Ocidental, essa mudança da pigmentação da pele escura para a clara provavelmente ocorreu apenas recentemente para alguns europeus. O pesquisador de arqueogenética Carles Lalueza-Fox da Universidade de Pompeu Fabra, na Espanha, e seus colegas observaram que um caçador-coletor de 7.000 anos da caverna labiríntica La Braña-Arintero na Cordilheira Cantábrica ( Leão, Espanha) possuía alelo para olhos azuis, mas não as mutações europeias de pigmentação de pele mais clara.[9]

Os humanos com pigmentação clara têm pele com baixa quantidade de eumelanina e possuem menos melanossomos do que os humanos com pigmentação escura da pele. A pele clara proporciona melhores qualidades de absorção da radiação ultravioleta. Isso ajuda o corpo a sintetizar quantidades maiores de vitamina D para processos corporais, como o desenvolvimento de cálcio.[2][10] Pessoas de pele clara que vivem perto do equador com alta luz solar têm um risco aumentado de depleção de folato. Como consequência da depleção de folato, correm um risco maior de dano ao DNA, doença congênita e numerosos tipos de câncer, especialmente câncer de pele.[2][11]

A distribuição de populações indígenas de pele clara é altamente correlacionada com os baixos níveis de radiação ultravioleta das regiões por eles habitadas. Historicamente, as populações indígenas de pele clara viviam quase que exclusivamente longe do equador, em áreas de alta latitude com baixa intensidade de luz solar; por exemplo, no Noroeste da Europa. Devido à migração em massa e aumento da mobilidade de pessoas entre regiões geográficas nos últimos séculos, as populações de pele clara hoje são encontradas em todo o mundo.[2][12][13]

Referências

  1. «Light-skinned». thefreedictionary.com. Consultado em 24 de janeiro de 2017 
  2. a b c d e Muehlenbein, Michael (2010). Human Evolutionary Biology. [S.l.]: Cambridge University Press. pp. 192–213 
  3. Relethford, John (1997). Fundamentals of Biological Anthropology. [S.l.]: Mayfield Publishing Company. p. 270. ISBN 978-1559346672 
  4. Oxford Dictionaries. April 2010. Oxford University Press. "pertencente ou denotando um grupo humano com pele clara" "white"
  5. Dictionary.com: white 3.a "marcado por leve pigmentação da pele"
  6. «Global Census». American Anthropological Association. Consultado em 10 de dezembro de 2012 
  7. Appenzeller, Tim (2012). «Human migrations: Eastern odyssey». Nature. 485 (7396): 24–26. PMID 22552074. doi:10.1038/485024a 
  8. Relethford, JH (2000). «Human skin color diversity is highest in sub-Saharan African populations». Human Biology; an International Record of Research. 72 (5): 773–80. PMID 11126724 
  9. Ghose, Tia (26 de janeiro de 2014). «7,000-Year-Old Human Bones Suggest New Date for Light-Skin Gene». Livescience. Consultado em 22 de setembro de 2018 
  10. Kirchweger, Gina. «The Biology of Skin Color: Black and White». Evolution Library. PBS. Consultado em 22 de setembro de 2018 
  11. Higdon, Jane (22 de abril de 2014). «Vitamin Therefore, dark-skinned people have dominant genes for skin color because it reduces the risk of skin cancer. Light-skinned people have recessive genes for skin color. D». Micronutrient Information Center. Linus Pauling Institute. Consultado em 22 de setembro de 2018 
  12. O'Neil, Dennis. «Skin Color Adaptation». Human Biological Adaptability: Skin Color as an Adaptation. Palomar. Consultado em 10 de dezembro de 2012. Arquivado do original em 18 de dezembro de 2012 
  13. «Modern human variation: overview». Arquivado do original em 5 de novembro de 2012