Peróxido de cromo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Peróxido de cromo
Alerta sobre risco à saúde
CrO5-2D.png
Nome IUPAC peróxido de cromo (VI)
Outros nomes peróxido de cromo, peróxido oxído de cromo, peroxocromo
Propriedades
Fórmula molecular CrO5
Massa molar 131,99 g/mol
Aparência azulado escuro
Solubilidade em água solúvel (decompõe sem estabilizadores)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Em química, o peróxido de cromo (VI) é um composto do elemento de transição cromo, no estado de oxidação +6, que pertence à classe dos óxidos peróxidos. Se apresenta na cor azulada[1] e é extremamente reativo, podendo ser estabilizado em solventes orgânicos, como por exemplo éter.[2] Se isolado na forma de aducto (por exemplo CrO5[OR2]2),[1] forma cristais extremamete explosivos e sensíveis ao atrito.

A molécula do composto possui a fórmula elementar CrO5, sendo que um átomo de oxigênio se encontra na forma de óxido (O2-) e quatro átomos de oxigênio no estado de peróxido (dois grupos [O—O]2-). A fórmula molecular pode portanto ser descrita na forma CrO(O2)2.

Obtenção[editar | editar código-fonte]

O peróxido de cromo é obtido em solução através da ação de peróxidos sobre cromatos e dicromatos.

Coloração azul escura acusando peróxido de cromo (estabilizado em éter). Um experimento em tubo de ensaio para comprovar a presença de (di)cromatos.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

  • Por exemplo reação entre hidrogeno cromato, ácido sulfúrico e água oxigenada:[2]
 

O composto resultante pode ser estabilizado na forma aducto com éter dietílico ou piridina, resultando respectivamente em (C4H10)2O→CrO(O2)2 e CrO(O2)2·N(C5H5).[2][1] Se não estabilizado decompor-se-á rapidamente, formando cromo-(III):

 

Usos[editar | editar código-fonte]

Em química analítica pode ser usado para se determinar peróxidos qualitativamente, ou até mesmo método de prova da presença de cromatos e dicromatos na solução.[1]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d Holleman; Wiberg (2007). Lehrbuch der Anorganischen Chemie (em alemão) 102 ed. Nova Iorque/Berlim: Walter de Gruyter. pp. 1570—1571. ISBN 978-3-11-017770-1  .
  2. a b c E. Riedel; C. Janiak (2002). Anorganische Chemie (em alemão) 5 ed. Nova Iorque/Berlim: Walter de Gruyter. pp. 791—792. ISBN 978-3-11-017439-1 Verifique |isbn= (ajuda)  .


  • Portal da química