Perinto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Perinto
Πέρινθος
Localização atual
Perinto está localizado em: Turquia
Perinto
Localização de Perinto na Turquia
Coordenadas 40° 59' 40" N 27° 50' 55" E
País  Turquia
Província Tekirdağ
Distrito Marmara Ereğlisi
Dados históricos
Fundação Desconhecida
Abandono -
Início da ocupação Antiguidade Clássica
Colônia grega
Notas
Acesso público Sim
Soldo com efígie de Justiniano (r. 527–565)

Perinto (em grego: Πέρινθος; transl.: Périnthos; em latim: Perinthus), também conhecida, não antes do século IV, como Heracleia (em latim: Heracleia), Heracleia da Trácia (em latim: Heracleia Thraciae) ou Heracleia Perinto (em latim: Heracleia Perinthus), foi uma antiga e florescente cidade grega portuária da Trácia situada na Propôntida, 22 mi (35,4 km) a oeste de Selímbria sobre uma pequena península homônima.

História[editar | editar código-fonte]

Perinto era uma colônia de Samos que, segundo Jerônimo de Estridão, foi fundada cerca de 602 a.C.,[1] e segundo Jorge Sincelo, em 599 a.C., embora alguns autores a considerem contemporânea a Samotrácia, fundada cerca de 1 000 a.C.. De acordo com João Tzetzes, originalmente era conhecida como Migdônia.[2] Como um porto e ponto de encontro de várias rotas, Perinto tornou-se sede dum extenso comércio.[2] Heródoto menciona a cidade no livro V de suas Histórias, onde relata que foi vencida pelos peônios, aliados do Império Aquemênida, durante as Guerras Médicas.[3]

Em julho de 340 a.C., Perinto foi sitiada pelas tropas de Filipe II da Macedônia (r. 359–336), provavelmente em resposta as relações amistosas dos habitantes com Atenas, que à época estava em guerra com Filipe II.[4] Com a vitória dos sitiados, a cidade foi renovada e tornou-se grandemente próspera, talvez até mais que Bizâncio, no Bósforo. Em 177 d.C., a virgem Santa Glicéria (de Trajanópolis ou de Heracleia) foi martirizada.[5][6][7]

Em 308, na Conferência de Carnunto convocada pelo imperador Galério (r. 293–311), a Trácia, Ilíria e Panônia passaram para as mãos do Augusto Licínio (r. 308–324). Em 313, durante a guerra civil entre Licínio e Maximino Daia (r. 305–313), Perinto foi sitiada e tomada após um cerco de 8 dias pelo exército de Daia, permanecendo em seu controle até a derrota dele na batalha de Tzíralo, nas imediações de Perinto.[8] Em 10 de agosto de 378, no rescaldo da Batalha de Adrianópolis, foi sitiada sem-sucesso pelos tervíngios de Fritigerno.[9] Durante o século IV, Heracleia tornou-se uma sé episcopal e no século V era conhecida pela sua indústria de tapetes.[10]

Em 478, durante o segundo reinado de Zenão I (r. 474–475; 476–491), diz-se que ela forneceria tropas auxiliares para o exército que estavam sendo comandado por Teodorico, o Amal (r. 474–526) contra Teodorico Estrabão.[11] Durante o reinado do imperador bizantino Justiniano (r. 527–565), os aquedutos e o antigo palácio da cidade foram restaurados.[2] Foi devastada pelos ávaros em 591 e ocupada pelos búlgaros em 719. Em 1204, foi ocupada pelos venezianos e finalmente, em 1353, foi conquistada pelos otomanos.[10]

Arqueologia[editar | editar código-fonte]

Atualmente localiza-se no sítio de Marmara Ereğlisi e poucos são seus vestígios. No parque da cidade há várias colunas de mármore e sarcófagos romanos, os prováveis melhores vestígios. Nas ruínas duma basílica bizantina foram encontrados mosaicos de grandes dimensões, que atualmente estão num museu da cidade.[10] As muralhas de Perinto são pouco visíveis, exceto por algumas ruínas e uma torre. O quebra-mar romano, situa-se na costa ocidental.[carece de fontes?] Há também um anfiteatro arruinado.[2]

Referências

  1. «Jerome, Chronicle (2005) pp.16-187» (em inglês) 
  2. a b c d Smith 1870, p. 577.
  3. Heródoto 440 a.C., V.1-2.
  4. Ashley 2004, p. 140.
  5. «St. Glyceria, Virginmartyr, at Heraclea» (em inglês). Self-Ruled Antiochian Orthodox Christian Archdiocese of North America. Cópia arquivada em 15 de junho de 2011 
  6. «Santa Gliceria, Virgen y Mártir» (em espanhol). Arquidiócesis Ortodoxa Griega de Buenos Aires y Sudamérica. Cópia arquivada em 11 de abril de 2013 
  7. «St. Glyceria» (em inglês). Catholic Online 
  8. DiMaio 1996.
  9. Amiano Marcelino 397, XXXI.16.
  10. a b c «Tarihimiz (História)» (em turco). Website da prefeitura de Marmara Ereğlisi 
  11. Bury 2015, p. 265.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ashley, James R. (2004). The Macedonian Empire: The Era of Warfare Under Philip II and Alexander the Great, 359-323 B.C. Jefferson, Carolina do Norte; Londres: McFarland & Company, Inc. ISBN 0786419180 
  • Bury, J. B. (2015). A History of the Later Roman Empire. Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 110808317X 
  • Smith, William (1870). Dictionary of Greek and Roman Geography. Boston: Little, Brown and Company