Peshmerga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Peshmerga
پێشمەرگە
Flag of Kurdistan.svg
Bandeira do Curdistão, que a Peshmerga usa como emblema
País Iraque (região do Curdistão Iraquiano)
Criação Década de 1920
Logística
Efetivo 200 000[1]
Comando
Comandante em chefe Massoud Barzani
Comandantes
notáveis
Simko Shikak
Mahmud Barzanji
Shaikh Said Piran
Ahmed Barzani
Ferzende
Mustafa Barzani
Qazi Muhammad
Massoud Barzani
İhsan Nuri Pasha
Jalal Talabani
Murat Karayilan
Mama Risha
Mahmoud Othman
Idris Barzani
Abdullah Ocalan
Membros das forças especiais de peshmerga.

Peshmerga ou Peshmerge (em curdo: Pêşmerge ou پێشمه‌رگه ‌‌) é um termo utilizado pelos curdos para se referir aos combatentes de seu exército e significa literalmente "aqueles que enfrentam a morte" (pesh enfrentar + marg morte).[2][3] É também o termo oficial do Governo Regional do Curdistão para designar as forças armadas do Curdistão iraquiano.

História[editar | editar código-fonte]

As forças peshmerga do Curdistão existem desde o advento dos movimentos de independência curda em 1920, após o colapso do Império Otomano e da dinastia Qajar no Irã, que governavam a área por onde se distribuem os curdos. As forças peshmerga incluem mulheres nas suas fileiras.[3]

Durante grande parte da segunda metade dos Anos 1900, os peshmergas muitas vezes entraram em conflito com as forças iraquianas, usando táticas de guerrilha contra eles. Muitos desses peshmerga eram liderados por Mustafa Barzani, do Partido Democrático do Curdistão, enquanto outros estavam sob o comando da União Patriótica do Curdistão, liderados por Jalal Talabani[4].

Depois da morte de Mustafa Barzani, seu filho Masoud Barzani assumiu a posição do pai. A maior parte dos esforços dos peshmergas era voltada para manter a região sob o controle de um partido específico e para combater eventuais incursões pela Guarda Republicana Iraquiana. Após a Primeira Guerra do Golfo, o Curdistão iraquiano entrou em estado de guerra civil, quando se defrontaram os dois principais partidos curdos, e as respectivas forças peshmerga foram usadas ​​para lutar entre si.

Primeira Guerra Mundial (1914-1918)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Campanha do Cáucaso

Quando o Império Otomano lutava para permanecer junto durante a Primeira Guerra Mundial, convidou os curdos para complementarem o exército turco.

Entre todas as unidades de curdos estavam o XI Exército, com sede em Elazığ, e o XII Exército, com sede em Mosul. Os curdos também eram compostos por uma maioria dos IX e X Exércitos, e forneceram tropas suficientes para muitas unidades de fronteira, e 135 esquadrões de cavalaria de reserva. Estas forças, com sua experiência e conhecimento do terreno, foram contributivas no combate às ameaças ao Império Otomano Oriental.

Equipamentos[editar | editar código-fonte]

Os armamentos utilizados pelos Peshmerga são bastante limitados, devido às restrições de Bagdá e pelo fato da região do Curdistão não ter a sua soberania reconhecida internacionalmente. As freqüentes disputas entre o governo do curdistão e o governo iraquiano, praticamente fizeram o comércio de armas ser inexistente, principalmente por causa dos temores de uma independência curda.

A maior parte das armas e equipamentos militares que possuem, foram adquiridas ou capturadas durante a as duas recentes guerras na região; a Guerra do Golfo, em 1991, e a Guerra do Iraque, em 2003. A partir de 2014, com a ofensiva e ascensão do grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, diversos países decidiram enviar equipamentos militares mais sofisticados para as forças dos Peshmerga, como fuzis de assalto e veículos blindados de combate.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências