Peter Bradshaw

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Peter Bradshaw
Nascimento 19 de junho de 1954 (64 anos)
Nacionalidade britânico
Alma mater Pembroke College
Ocupação Escritor, jornalista e crítico de cinema

Peter Bradshaw (19 de junho de 1954) é um escritor, jornalista e crítico de cinema britânico. Ele é o editor-chefe da seção Cinema no The Guardian desde 1999.[1]

Graduado em Letras - Inglês pela Pembroke College da Universidade de Cambridge, onde foi presidente da Footlights.[2] Em 2012, listou pela Sight & Sound, seus dez filmes favoritos: The Addiction (1994), Annie Hall (1977), Andrey Rublev (1966), Black Narcissus (1947), Caché (2004), Soy Cuba (1964), In the Mood for Love (2000), Kind Hearts and Coronets (1949), Raging Bull (1980) e Singin' in the Rain (1952).[3]

Referências

  1. «Sex, violence and classroom action». The Guardian. 9 de setembro de 2008. Consultado em 9 de janeiro de 2013. 
  2. Quirke, Antonia (27 de outubro de 2016). «The pleasure of being young, captured for radio». New Statesman. Consultado em 27 de outubro de 2016. 
  3. Kate O'Hanlon (28 de janeiro de 1998). «Law report: Format of parodied Clark diaries was deceptive"». The Independent 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]