Peter Brian Medawar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Peter Brian Medawar Medalha Nobel
Nascimento 28 de fevereiro de 1915
Petrópolis
Morte 2 de outubro de 1987 (72 anos)
Londres
Nacionalidade Brasileiro/Britânico
Cidadania Reino Unido, Estados Unidos
Cônjuge Jean Medawar
Filho(s) Caroline Medawar Garland
Alma mater Universidade de Oxford
Ocupação médico, imunologista, zoólogo, autobiógrafo, professor, biólogo, fisiólogo, pesquisador
Prêmios Medalha Real (1959), Tercentenary Lectures (1960), Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (1960), Medalha Copley (1969), Order of Merit (1981), Prêmio Michael Faraday (1987)
Empregador University College London, Magdalen College, Universidade de Birmingham
Instituições Universidade de Birmingham, University College London, Instituto Nacional de Pesquisas Médicas
Campo(s) Fisiologia
Religião ateísmo

Sir Peter Brian Medawar (Petrópolis, 28 de fevereiro de 1915Londres, 2 de outubro de 1987[1]) foi um biólogo e escritor britânico-brasileiro, cujos trabalhos sobre a rejeição de enxertos e a descoberta de imunidade adquirida tolerância foram fundamentais para a prática médica de transplantes de tecidos e órgãos. Por seus trabalhos científicos é considerado o "pai do transplante".[2] Ele é lembrado por sua inteligência tanto pessoalmente quanto em escritos populares. Zoólogos famosos como Richard Dawkins referiu-se a ele como "o mais espirituoso de todos os escritores científicos"[3] e Stephen Jay Gould como "o homem mais inteligente que já conheci".[4]

Medawar era o filho mais novo de pai libanês e mãe britânica, e era cidadão brasileiro e britânico de nascimento. Estudou no Marlborough College e no Magdalen College, Oxford e foi professor de zoologia na Universidade de Birmingham e da Universidade College London. Até ficar parcialmente incapacitado por um infarto cerebral, ele foi Diretor do Instituto Nacional de Pesquisa Médica em Mill Hill.[5] Com sua aluna de doutorado Leslie Brent e seu colega de pós-doutorado Rupert E. Billingham, ele demonstrou o princípio da tolerância imunológica adquirida (o fenômeno da falta de resposta do sistema imunológico a certas moléculas), previsto teoricamente por Sir Frank Macfarlane Burnet. Isso se tornou a base do transplante de tecidos e órgãos.[6] Ele e Burnet dividiram o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1960 "pela descoberta da tolerância imunológica adquirida".[7]

Foi agraciado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1960, por pesquisar o sistema imunológico dos animais. É o único britânico-brasileiro[5][8][9] laureado com um Prêmio Nobel.[10][11][12]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Medawar nasceu na cidade brasileira de Petrópolis, na região serrana do estado do Rio de Janeiro. Sua mãe era a cidadã britânica Edith Muriel Dowling e seu pai era o brasileiro de origem libanesa (cristão maronita), Nicholas Medawar, que era um empresário.[13] Ele era o terceiro filho do libanês Nicholas Agnatius Medawar, nascido na vila de Jounieh, ao norte de Beirute, Líbano, e da mãe britânica Edith Muriel (nascida Dowling).  Ele tinha um irmão Philip e uma irmã Pamela. Sua irmã Pamela casou-se mais tarde com Sir David Hunt,  que serviu como secretário particular dos primeiros-ministros Clement Attlee e Winston Churchill. Seu pai, um cristão maronita, naturalizou-se britânico e trabalhou para uma fabricante britânica de materiais odontológicos que o enviou ao Brasil como agente.  Mais tarde, ele descreveu a profissão de seu pai como a venda de "dentaduras postiças na América do Sul".[14] Seu status de cidadão britânico foi adquirido no nascimento, como ele disse: "Meu nascimento foi registrado no Consulado Britânico em boa tempo para adquirir o status de 'súdito britânico nato'." [14]

A cidadania britânica de Medawar foi atribuída no nascimento: "Meu nascimento foi registrado na Embaixada do Reino Unido no prazo requerido para que me tornasse cidadão britânico nato.[15] Medawar e sua família deixaram o Brasil quando ele tinha quinze anos e se estabeleceram na Inglaterra, onde o jovem estudou no Marlborough College e depois no Magdalen College da Universidade de Oxford. [14]

Medawar trocou o Brasil com a família pela Inglaterra "no final da guerra", onde viveu o resto da vida. Ele também era brasileiro de nascimento, conforme determina a lei da nacionalidade brasileira (jus soli). Aos 18 anos, quando tinha idade para ser alistado no Exército Brasileiro,  pediu dispensa do serviço militar a Joaquim Pedro Salgado Filho , seu padrinho e então Ministro da Aeronáutica. Seu pedido foi negado pelo general Eurico Gaspar Dutra e ele teve que renunciar à cidadania (derivada) brasileira.[16]

Universidade[editar | editar código-fonte]

Em 1928, Medawar foi para o Marlborough College em Marlborough, Wiltshire.  Ele odiava a faculdade porque "eles eram críticos e queixosos ao mesmo tempo, imaginando que tipo de pessoa era um libanês - algo estrangeiro, você pode ter certeza".  E também por sua preferência por esportes, nos quais era fraco.  Uma experiência de intimidação e racismo o fez sentir o resto de sua vida "ressentido e enojado com as maneiras e costumes da instituição essencialmente tribal [de Marlborough]", e comparou-o às escolas de treinamento para as SS nazistas como todas "fundadas sobre os pilares gêmeos do sexo e do sadismo." Seus momentos de maior orgulho na faculdade foram com seu professor Ashley Gordon Lowndes, a quem credita o início de sua carreira na biologia.  Ele o descreveu como pouco alfabetizado, mas "um professor de biologia muito, muito bom". Lowndes ensinou biólogos eminentes, incluindo John Z. Young e Richard Julius Pumphrey.  No entanto, Medawar era inerentemente fraco em dissecação e estava constantemente irritado com seu ditado: "Tolo é o menino cujo desenho de sua dissecação difere de alguma forma do diagrama no livro didático".[17]

Em 1932, ele foi para o Magdalen College, Oxford, graduando-se com honras de primeira classe em zoologia em 1935. Medawar foi nomeado estudioso de Christopher Welch e recebeu uma bolsa de estudos sênior de Magdalen em 1935. Ele também trabalhou na "Sir William Dunn" Escola de Patologia supervisionada por Howard Florey (mais tarde ganhador do Prêmio Nobel e que o inspirou a estudar imunologia) e concluiu sua tese de doutorado em 1941. Em 1938, tornou-se Fellow of Magdalen por meio de um exame, cargo que ocupou até 1944. Foi lá que começou a trabalhar com J.Z. Young na regeneração de nervos. Sua invenção de uma cola de nervo provou ser útil em operações cirúrgicas de nervos cortados durante a Segunda Guerra Mundial.[18]

A Universidade de Oxford aprovou sua tese de Doutor em Filosofia intitulada "Fatores promotores e inibidores do crescimento no desenvolvimento normal e anormal " em 1941,  mas devido ao alto custo pelo qual o grau é conferido, Medawar teve que usar o dinheiro numa apendicectomia urgente. Mais tarde, a Universidade de Oxford concedeu-lhe o título de Doutor em Ciências em 1947.[19]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Estudou biologia e zoologia no Magdalen College. Trabalhou como assistente de Howard Florey, e foi ganhador do Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1960 por seus estudos sobre a penicilina. Em 1947 já era professor titular da cadeira de zoologia na Birmingham University, dois anos depois foi eleito membro da Royal Society.[20]

Em 1960, juntamente com Frank Burnet, recebeu o Nobel de Fisiologia ou Medicina, por estabelecer as bases da tolerância imunológica (criação do soro antilinfocitário), estudo que ajudou muito no combate aos efeitos de rejeição em transplantes de órgãos. Em 1962 foi nomeado chefe do maior laboratório de investigação médica do Reino Unido, o National Institute for Medical Research.[21]

Em 1965 foi agraciado com o título de sir, pela Rainha Elizabeth II. Um dos edifícios da universidade leva seu nome.

Em 1969 teve uma série de problemas de saúde, como um AVC e uma trombose.[22]

As notícias da época relatam que Peter perdeu sua cidadania brasileira por não ter cumprido o serviço militar obrigatório, tendo, então, que optar pela cidadania inglesa para continuar seus estudos na Inglaterra. Seu pai, dono da Ótica Inglesa, no Rio de Janeiro, teria apelado até ao ministro da Aeronáutica, Salgado Filho, por volta de 1941-45, sem sucesso.[23] Porém, essa história não tem evidência direta, o que dificulta afirmar que ele realmente perdeu a cidadania brasileira, não fazer o serviço militar obrigatório não era suficiente pra perder a cidadania brasileira, ainda que houvesse a possibilidade segundo algumas interpretações dos juristas.[24]

Atualmente busca-se resgatar sua memória. A cidade de Petrópolis, onde nasceu e viveu até os 15 anos na rua João Caetano, no bairro do Caxambu criou um memorial e um pequeno museu em sua homenagem.

Morte[editar | editar código-fonte]

Peter morreu em 2 de outubro de 1987. Era casado desde 1937 com Jean Shinglewood Taylor, filha de um médico de Cambridge, e sua colega de escola. Tiveram quatros filhos, Charles, Alexander, Caroline e Louise.

Publicações[editar | editar código-fonte]

Medawar foi reconhecido como um autor brilhante. Richard Dawkin o chamou de "o mais espirituoso de todos os escritores científicos", e o obituário da revista New Scientist o chamou de "talvez o melhor escritor de ciência de sua geração".[25]

Um de seus ensaios mais conhecidos é a crítica de 1961 a The Phenomenon of Man, de Pierre Teilhard de Chardin, do qual ele disse: "Seu autor só pode ser desculpado por desonestidade com o fundamento de que antes de enganar os outros ele se esforçou muito para enganar a si mesmo.[26][27]

Seus livros incluem,

  • The Uniqueness of the Individual, que inclui ensaios sobre imunologia, rejeição de enxertos e tolerância imunológica adquirida. Basic Books, Nova York, 1957
  • The Future of Man: the BBC Reith Lectures 1959, Methuen, Londres, 1960
  • The Art of the Soluble, Methuen & Co., London/ Barnes and Noble, Nova York, 1967
  • Induction and Intuition in Scientific Thought, American Philosophical Society. Philadelphia/Methuen & Co., Londres, 1969
  • The Life Science, Harper & Row, 1978
  • Advice to a Young Scientist, Harper & Row, 1979
  • Pluto's Republic, incorporando um livro anterior The Art of the Soluble, Oxford University Press, 1982
  • Aristotle to Zoos (com sua esposa Jean Shinglewood Taylor), Harvard University Press, 1983
  • The Limits of Science, Oxford University Press, 1988
  • The Hope of Progress: A Scientist looks at Problems in Philosophy, Literature and Science, Anchor Press / Doubleday, Garden City, 1973
  • Memoirs of a Thinking Radish: An Autobiography, Oxford University Press, 1986
  • The Threat and the Glory: Reflections on Science and Scientists (ed.: David Pyke), um volume de ensaios coletado postumamente, Harper Collins, 1990

Além de seus livros sobre ciência e filosofia, ele escreveu um pequeno artigo sobre "Some Meistersinger Records" na edição de The Gramophone de novembro de 1930. O autor era um P.B. Medawar. A evidência de que este era realmente o futuro Sir Peter Medawar - então um estudante de 15 anos - foi discutida em "Gramophone" em 1995 ("'Gramophone', Die Meistersinger and immunology", por John E. Havard, dezembro de 1995).

Referências

  1. Mitchison, N. A. (1990). "Peter Brian Medawar. 28 February 1915 – 2 October 1987". Biographical Memoirs of Fellows of the Royal Society. 35: 283–301. doi:10.1098/rsbm.1990.0013. PMID 11622280.
  2. Starzl, Thomas E. (março de 1995). «PETER BRIAN MEDAWAR». Journal of the American College of Surgeons (3): 332–336. ISSN 1072-7515. PMC 2681237Acessível livremente. PMID 7874344. Consultado em 28 de novembro de 2022 
  3. Dawkins, Richard, ed. (2008). The Oxford Book of Modern Science Writing. Oxford: Oxford University Press. p. 179. ISBN 978-0-19-921680-2.
  4. Gould, Stephen Jay (2011). The Lying Stones of Marrakech: Penultimate Reflections in Natural History (1st Harvard University Press ed.). Cambridge, Mass.: Belknap Press of Harvard University Press. p. 305. ISBN 9780674061675.
  5. a b «Sir Peter B. Medawar | British zoologist | Britannica». www.britannica.com (em inglês). Consultado em 27 de novembro de 2022 
  6. Simpson, Elizabeth (19 de abril de 2015). «Medawar's legacy to cellular immunology and clinical transplantation: a commentary on Billingham, Brent and Medawar (1956) 'Quantitative studies on tissue transplantation immunity. III. Actively acquired tolerance'». Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences (1666). 20140382 páginas. ISSN 0962-8436. PMC 4360130Acessível livremente. PMID 25750245. doi:10.1098/rstb.2014.0382. Consultado em 28 de novembro de 2022 
  7. «The Nobel Prize in Physiology or Medicine 1960». NobelPrize.org (em inglês). Consultado em 28 de novembro de 2022 
  8. «Sir Peter Medawar, D.Sc.». The American Association of Immunologists. Consultado em 27 de novembro de 2022 
  9. Vincent, Andrew (2002). Nationalism and Particularity. Cambridge; New York: Cambridge University Press.
  10. especialparaterra. «Nobel de Física: Brasil levar prêmio é como EUA quererem Copa do Mundo». Terra. Consultado em 28 de novembro de 2022 
  11. «Quando vamos ganhar um Nobel?». Super. Consultado em 28 de novembro de 2022 
  12. «BRAZZIL - News from Brazil - SHORT NOTES: the naked, the outrageous, the ludicrous about Brazil, Brazilians and Brazilian stuff». www.brazzil.com. Consultado em 27 de novembro de 2022 
  13. Information, Reed Business (12 de abril de 1984). New Scientist (em inglês). [S.l.]: Reed Business Information 
  14. a b c Information, Reed Business (12 April 1984). "Sir Peter Medawar". New Scientist. Retrieved 27 February 2014. Manuel, Diana E. (2002). "Medawar, Peter Brian (1915–1987)". Van Nostrand's Scientific Encyclopedia. John Wiley & Sons. doi:10.1002/9780471743989.vse10031. ISBN 978-0471743989. Younes-Ibrahim, Maurício (2015). "Brazilian Nephrology pays homage to Peter Brian Medawar". Jornal Brasileiro de Nefrologia. 37 (1): 7–8. doi:10.5935/0101-2800.20150001. PMID 25923743. "Obituary: Sir David Hunt". The Independent. 11 August 1998. Archived from the original on 26 May 2022. Retrieved 16 February 2020. Manuel, Diana E. (2002). "Medawar, Peter Brian (1915–1987)". Van Nostrand's Scientific Encyclopedia. John Wiley & Sons. doi:10.1002/9780471743989.vse10031. ISBN 978-0471743989. Paidagogos (1986). "Just a Human Being". The Expository Times. 97 (11): 352. doi:10.1177/001452468609701133. S2CID 170954307.
  15. Medawar P.B. 1986. Memoirs of a thinking radish: an autobiography. Oxford. p5
  16. "Diploma revalidation in Brazil: abandon all hope ye who need it". Leonardo M Alves's Blog. 31 January 2013. Retrieved 13 July 2014. Younes-Ibrahim, Maurício (2015). "Brazilian Nephrology pays homage to Peter Brian Medawar". Jornal Brasileiro de Nefrologia. 37 (1): 7–8. doi:10.5935/0101-2800.20150001. PMID 25923743. "Brazilian Nobel". www.brazzil.com. Retrieved 13 July 2014.
  17. Manuel, Diana E. (2002). "Medawar, Peter Brian (1915–1987)". Van Nostrand's Scientific Encyclopedia. John Wiley & Sons. doi:10.1002/9780471743989.vse10031. ISBN 978-0471743989. Robert K. G. Temple (12 April 1984). "Sir Peter Medawar" (PDF). New Scientist. 102 (1405): cover, 14–20. Medawar, Peter (1986). Memoir of a Thinking Radish: An Autobiography. Oxford: Oxford University Press. pp. 27–43. ISBN 0-19-217737-0. OCLC 12804275.
  18. Manuel, Diana E. (2002). "Medawar, Peter Brian (1915–1987)". Van Nostrand's Scientific Encyclopedia. John Wiley & Sons. doi:10.1002/9780471743989.vse10031. ISBN 978-0471743989. Medawar, Peter Brian (1941). Growth promoting and growth inhibiting factors in normal and abnormal development. bodleian.ox.ac.uk (DPhil thesis). University of Oxford. EThOS uk.bl.ethos.673279. Anon. (18 February 1960). "Professor P. Medawar: A profile - A leader in the biological science". New Scientist. 7 (170): 404–405.
  19. Medawar, Peter Brian (1941). Growth promoting and growth inhibiting factors in normal and abnormal development. bodleian.ox.ac.uk (DPhil thesis). University of Oxford. EThOS uk.bl.ethos.673279. Paidagogos (1986). "Just a Human Being". The Expository Times. 97 (11): 352. doi:10.1177/001452468609701133. S2CID 170954307. Mitchison, Avrion (2009) [2004]. "Medawar, Sir Peter Brian (1915–1987)". Oxford Dictionary of National Biography (online ed.). Oxford University Press. doi:10.1093/ref:odnb/40016.
  20. «Peter Medawar». Magdalen College at University of Oxford. Consultado em 24 de dezembro de 2013 
  21. Edson Souza (26 de novembro de 2007). «Acontece Científico». SBN Sociedade Brasileira de Nefrologia. Arquivado do original em 24 de setembro de 2015 
  22. Max F. Perutz (1998). Los científicos, la ciencia y la humanidad. [S.l.]: Granica. 163 páginas. ISBN 84-7577-896-8 GB 
  23. Edson Sousa (26 de novembro de 2007). «Acontece Científico». SBN Sociedade Brasileira de Nefrologia. Arquivado do original em 24 de setembro de 2015 
  24. Moreira, Ildeu de Castro. «Palestra: APC |"Peter Brian Medawar: Um Nobel Brasileiro?"». YOUTUBE. Consultado em 7 de dezembro de 2021 
  25. Editorial (outubro de 1987). «Peter Medawar (obituary)». New Scientist. 116 (1581). 16 páginas 
  26. Medawar, Peter (1996). «The Phenomenon of Man». The Strange Case of the Spotted Mice: And other classic essays on science. [S.l.]: Oxford, UK & New York: Oxford University Press. p. 1. ISBN 978-0-19-286193-1. Consultado em 25 de setembro de 2010Originally published 1961 in Mind, 70, 99–106 
  27. Medawar, P. B. (1961). «Critical Notice». Mind. LXX (277): 99–106. doi:10.1093/mind/LXX.277.99 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote

Precedido por
Alan Hodgkin e Harrie Massey
Medalha Real
1959
com Rudolf Peierls
Sucedido por
Roy Cameron e Bernard Lovell
Precedido por
Severo Ochoa e Arthur Kornberg
Nobel de Fisiologia ou Medicina
1960
com Frank Burnet
Sucedido por
Georg von Békésy
Precedido por
Tadeusz Reichstein
Medalha Copley
1969
Sucedido por
Alexander Todd