Peter Carl Fabergé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Peter Carl Fabergé
(em russo: Карл Густавович Фаберже)
Peter Carl Fabergé
Nome completo Karl Socatelli Gustavovich Fabergé
Nascimento 30 de maio de 1846
São Petersburgo
Morte 24 de setembro de 1920 (74 anos)
Lausana
Nacionalidade russo(a)
Etnia dinamarquês / francês
Cônjuge Augusta Julia Jacobs

Peter Carl Fabergé (São Petersburgo, 30 de maio de 1846Lausana, 24 de setembro de 1920) foi um joalheiro russo[1] de origem franco-dinamarquesa.

Vida[editar | editar código-fonte]

Seu pai era o joalheiro Gustav Fabergé e sua mãe era a dinamarquesa Charlotte Jungstedt. Os ancestrais paternos dos Fabergé eram huguenotes originários da Picardia, que deixaram a França depois da revogação do Édito de Nantes. Estabeleceram-se inicialmente nas proximidades de Berlim, depois em 1800 transferiram-se para a cidade de Pernau na Livônia, à época parte da Rússia e hoje Pärnu, na Estônia.[2]

Especializou-se na confecção de obras com motivos de arranjos florais, grupos humanos e animais. Atualmente é mais conhecido pelos seus famosos ovos de páscoa, conhecidos como Ovos Fabergé realizados para a família imperial russa, e que o tsar oferecia anualmente aos seus familiares.[1]

Criados para os tsares russos, os Ovos Fabergé eram obras-primas do segmento da joalheira.[1] Produzidos com a combinação de materiais como ouro, prata, cobre e platina através da utilização de técnicas de esmaltagem plique-à-jour. Esses ovos, hoje, são disputados por colecionadores ao redor do mundo. Seus feitos também influenciaram os pais de crianças pobres a presentearem também seus filhos, mas com ovos de aves decorados.

Buquê de Lírios por Fabergé

Ovos de Páscoa[editar | editar código-fonte]

À luz da resposta da imperatriz ao receber um dos ovos de Fabergé na Páscoa, o czar logo encarregou a empresa de fazer um ovo de Páscoa como presente para ela todos os anos a partir de então. O czar fez um pedido de outro ovo no ano seguinte. A partir de 1887, o czar aparentemente deu a Carl Fabergé total liberdade em relação aos desenhos de ovos, que se tornaram cada vez mais elaborados. De acordo com a tradição da Família Fabergé, nem mesmo o czar sabia que forma eles assumiriam – a única estipulação era que cada um deveria ser único e cada um deveria conter uma surpresa. Após a morte de Alexandre III, seu filho, o czar seguinte, Nicolau II, seguiu essa tradição e a expandiu solicitando que houvesse dois ovos por ano, um para sua mãe (que acabou recebendo um total de 30 desses ovos) e um para sua esposa, Alexandra (que recebeu mais 20). Estes ovos de páscoa distinguem-se hoje dos outros ovos de joalharia que a Fabergé acabou por produzir pela sua designação como "ovos de Páscoa imperiais" ou "ovos de Páscoa imperiais do czar". A tradição continuou até a Revolução de Outubro, quando toda a dinastia Romanov foi executada e os ovos e muitos outros tesouros foram confiscados pelo governo interino. Os dois ovos finais nunca foram entregues nem pagos.[3][4][5][6]

Embora hoje a Casa Fabergé seja famosa por seus ovos de Páscoa imperiais, ela fez muitos outros objetos que vão de talheres de prata a joias finas que também eram de qualidade e beleza excepcionais, e até sua saída da Rússia durante a revolução, a empresa de Fabergé se tornou a maior joalheria do país. Além de sua sede em São Petersburgo, tinha filiais em Moscou, Odessa, Kiev e Londres. Produziu cerca de 150 000 a 200 000 objetos de 1882 a 1917.

Em 1900, o trabalho de Fabergé representou a Rússia na Feira Mundial de 1900 em Paris. Como Carl Fabergé fazia parte do júri, a Casa de Fabergé exibiu hors concours (sem competir). No entanto, a Maison recebeu uma medalha de ouro e os joalheiros da cidade reconheceram Carl Fabergé como maître. Além disso, a França reconheceu Carl Fabergé com um dos mais prestigiados prêmios franceses, nomeando-o cavaleiro da Legião de Honra. Dois dos filhos de Carl e seu mestre-de-obras também foram homenageados. Comercialmente, a exposição foi um grande sucesso e a empresa conquistou muitos pedidos e clientes.[3][4][5][6]

Referências

  1. a b c «Peter Carl Fabergé». Globo Sites. Consultado em 30 de maio de 2012 
  2. Fabergé Museum: Fabergé, sa famille et le développement de son entreprise, faberge-museum.de
  3. a b Tatiana Fabergé, Lynekmkmtte G. Proler, Valentin V, Skurlov. The Fabergé Imperial Easter Eggs (London, Christie's 1997) ISBN 0-297-83565-3
  4. a b Geza von Habsburg Fabergé (Geneva, Habsburg, Feldman Editions, 1987) ISBN 0-571-15384-4
  5. a b Alexander von Solodkoff & others. Masterpieces from the House of Fabergé (New York, Harry N Abrahams, 1984) ISBN 0-8109-0933-2 * Géza von Habsburg Fabergé Treasures of Imperial Russia (Link of Times Foundation, 2004) ISBN 5-9900284-1-5
  6. a b Gerald Hill. Faberge and the Russian Master Goldsmiths (New York: Universe, 2007) ISBN 978-0-7893-9970-0

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Peter Carl Fabergé


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.