Peter Hammill

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Peter Hammill
'
Nascimento Peter Joseph Andrew Hammill
5 de novembro de 1948 (73 anos)
Ealing
Cidadania Reino Unido
Alma mater
Ocupação compositor, cantor, guitarrista, autor-compositor, produtor musical, músico, cantautor, poeta, guitarra elétrica, voz
Página oficial
http://sofasound.com

Peter Joseph Andrew Hammill é um músico multi-instrumentista, poeta e compositor, ícone referencial e pioneiro do Rock Progressivo dos anos 70s. Ele foi o fundador e líder da emblemática banda britânica, Van der Graaf Generator.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em um subúrbio de Ealing, cidade a oeste de Londres, em 5 de novembro de 1948. Durante sua juventude, estudou na Universidade de Manchester, onde conheceu alguns dos músicos com quem integrou em 1967, a primeira formação do Van Der Graaf Generator.[2]

Em 1968 abandonou os estudos e vira-se à sua paixão pela música, enquanto começou a desenvolver sua grande habilidade criativa, presente até hoje. Sua arte foi sempre caracterizada por um espírito inovativo e ecletismo, referenciado por grandes bandas progressivas da época. A poesia de Hammill, às vezes obscura e excessivamente misteriosa, rendeu-lhe críticas nem sempre benevolentes nos meios de comunicação e publicações especializadas, o que na verdade não influenciou em nada em sua genialidade.

Podemos dizer que sua carreira tem uma fronteira difusa entre suas criações pessoais e aquelas desenvolvidas junto com o “Van der Graaf Generator”, devido ao seu estilo inconfundível estar presente tanto em uma, quanto na outra. Inclusive, muitas vezes ele compartilhou sessões de gravação com vários membros da banda. Tanto foi assim, que o primeiro álbum lançado pelo “Van der Graaf”, “The Aerosol Grey Machine”, era para ser até o último momento, um trabalho solo de Hammill.

Peter Hammill

Em 1971, ele lançou seu primeiro álbum solo, “Fool’s Mate” que continha músicas do Van der Graaf de 1967/68. Em 1974 surge o álbum “In Camera”, no qual ele toca todos os instrumentos. O resultado foi uma obra de certa obscuridade conceitual, muito elaborada e profunda. No mesmo ano, também publicou seu livro de poemas e contos intitulado “Killers, Angels, Refugees” incluindo nele uma seleção de suas letras. Seu segundo livro de poemas, “ Mirrors, Dreams, Miracles” foi publicado 6 anos depois, em 1980.

Em 1975, Peter Hammill manifestou ideias altamente críticas sobre o que ele chamou de “Rock Glamoroso" da época, transformando-os no álbum “Nadir’s Big Chance”, cujo conteúdo sarcástico foi considerado de grande influência para o movimento punk. Realmente, o músico Johnny Rotten, conhecido líder da banda punk “Sex Pistols” mencionou este livro como uma de suas influências mais importantes.

Desde 1969 - ano em que ficou famoso com o álbum “Aerosol Gray Machine” - continuou a fazer música, com sua discografia incluindo tantos estilos musicais que seria inútil tentar enquadrá-la em algum gênero específico. Em 2012, lança seu 31º trabalho solo, no qual novamente toca todos os instrumentos, mostrando-se um artista maduro que sabe e está ciente de suas limitações, sendo capaz de construir uma personalidade sempre intensa e dramática.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Carreira Solo[editar | editar código-fonte]

Com Van der Graaf Generator[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Masters, Tim (6 de setembro de 2012). «Genesis honoured at Progressive Music awards». BBC News. Consultado em 30 de março de 2016 
  2. Christopulos, J., and Smart, P.: Van der Graaf Generator – The Book, p. 5. Phil and Jim publishers, 2005.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Peter Hammill
Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço relacionado ao Projeto Música. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.