Petlyakov Pe-8

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Petlyakov Pe-8
Bombardeiro
Um selo soviético com a imagem do bombardeiro
Descrição
Tipo / Missão Bombardeamento
País de origem União Soviética
Fabricante Petlyakov
Período de produção 1936–1944
Quantidade produzida 93
Primeiro voo em 27 de dezembro de 1936 (81 anos)
Introduzido em 1940
Tripulação 11
Especificações
Dimensões
Comprimento 23,2 m (76,1 ft)
Envergadura 39,13 m (128 ft)
Altura 6,20 m (20,3 ft)
Área das asas 188,66  (2 030 ft²)
Alongamento 8.1
Peso(s)
Peso vazio 18 571 kg (40 900 lb)
Peso carregado 27 000 kg (59 500 lb)
Peso máx. de decolagem 35 000 kg (77 200 lb)
Propulsão
Motor(es) 4 × Mikulin AM-35
Performance
Velocidade máxima 443 km/h (239 kn)
Alcance (MTOW) 3 700 km (2 300 mi)
Teto máximo 9 300 m (30 500 ft)
Razão de subida 5.9 m/s

O Petlyakov Pe-8 foi um bombardeiro pesado da União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial, sendo o único bombardeiro quadrimotor construído na União Soviética durante a guerra.[1] Com apenas 93 exemplares construídos, foi usado para bombardear Berlim em 1941.[2] Foi também usado para desempenhar uma série de bombardeamentos estratégicos contra os alemães com o único intuito de aumentar a moral do povo soviético ao expor a vulnerabilidade das potências do eixo.[1] A sua missão principal, contudo, era a de bombardear aeródromos da Luftwaffe, caminhos de ferro e outras infra-estruturas da Wehrmacht, embora um exemplar tenha sido usado para transportar Vyacheslav Molotov de Moscovo até aos Estados Unidos em 1942.[3]

Originalmente designado TB-7,[2] a aeronave foi rebaptizada como Pe-8 depois de o seu designer principal, Vladimir Petlyakov, ter morrido num acidente de avião em 1942.[2] Problemas com a aquisição de materiais fez com que a produção deste avião tivesse vários problemas.[3] A partir de 5 de Março de 1942, depois da criação do Comando de Aviação de Longo Alcance, os Pe-8 e outros bombardeiros semelhantes foram integrados sob a autoridade deste comando; este comando obedecia directamente a Stalin e apenas o próprio podia ordenar qualquer bombardeamento com estas aeronaves.[3] À medida que a moral soviética aumentava, estas aeronaves também tornaram-se alvos de grande importância para os pilotos da Luftwaffe. O número de baixas desta aeronave, quer seja por falha mecânica, fogo amigável ou em combate contra aviões inimigos, duplicou entre 1942 e 1944.[1]

No final da Segunda Guerra Mundial, a maior parte dos exemplares sobreviventes já haviam sido retirados de serviço. Com o desenrolar da guerra, a União Soviética começou a usar bombardeiros de outros países aliados, deixando de dar qualquer tipo de prioridade à produção de bombardeiros como o Pe-8.[1] Depois da guerra, alguns foram modificados para aeronaves de transporte para militares de alta patente, e alguns outros foram usados em vários programas de teste soviéticos.[1]

Referências

  1. a b c d e «Petlyakov Pe-8 (TB-7) - Development and Operational History, Performance Specifications and Picture Gallery» 
  2. a b c «Pe-8, Long-range Heavy Bomber». www.airpages.ru. Consultado em 5 de novembro de 2016. 
  3. a b c «Petlyakov Pe-8». www.areamilitar.net. Consultado em 5 de novembro de 2016.