Petróleos de Venezuela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
PDVSA
Entrada da sede da PDVSA em Maracaibo.
Razão social Petróleos de Venezuela S.A.
Estatal
Atividade Petrolífera
Fundação 1 de janeiro de 1976 (46 anos)
Sede Caracas, Distrito Capital
Área(s) servida(s)  Venezuela
Proprietário(s) Governo da Venezuela
Presidente Asdrúbal José Chávez Jiménez
Empregados 70 000
Produtos Petróleo e Gás natural
Subsidiárias PDV Marina
CVP
Pequiven
CIED
PDVSA Gas
PDV (Deltaven)
Palmaven
Electricidad de Caracas
Nynas
Citgo
Lucro Baixa $ 48 bilhões (2016)[1]
Faturamento Baixa $ 828 milhões (2016)[1]
Website oficial www.pdvsa.com

A Petróleos de Venezuela (PDVSA) é uma empresa estatal venezuelana que se dedica a exploração, produção, refino, comercialização e transporte de petróleo da Venezuela. Fundada em 1 de janeiro de 1976, durante o mandato do presidente Carlos Andrés Pérez, como o resultado da nacionalização das concessões das petroleiras estrangeiras e a reorganização sob coordenação do Ministerio de Energía y Minas.[2] Era a terceira maior empresa da América Latina, depois da brasileira Petrobras e a mexicana Pemex[3]; catalogada em 2005 como a terceira empresa petrolífera em nível mundial e classificada pela revista internacional Fortune como a empresa de número 41 entre as 500 maiores do mundo[4]. Em maio de 2010, a PDVSA também adquiriu, por 131.000.000 de dólares, 49% da única refinaria República Dominicana, conhecido como Refidomsa.[5][6] Em 2011 concretizou a venda para Rosneft dos 50% que detinha desde os anos 1980 num complexo petroquímico em Gelsenkirchen, na Alemanha.[2][7][8] A Rosneft desembolsou 1.6 bilhão de dólares pela parte da PDVSA .[8]Em agosto de 2021 a PDVSA vendeu por 88,1 milhões de dolares os 49% que detinha na refinaria da República Dominicana.[6]

Atualmente a PDVSA é a petrolífera com maiores reservas de petróleo do mundo, alcançando um total de 3,1 bilhões de barris e foi catalogada como a segunda petrolífera mais poderosa depois da ExxonMobil.

Referências

  1. a b «Venezuela's PDVSA oil revenue tumbles amid lower prices, production». Reuters. 12 de agosto de 2017. Consultado em 13 de março de 2018 
  2. a b «Petróleos de Venezuela». Diccionario de Historia de Venezuela - Fundación Empresas Polar. Consultado em 19 de outubro de 2021 
  3. Maiores empresas da América Latina segundo América Economia, desde o ano 2009
  4. Fortune 500, PDVSA
  5. http://www.eluniversal.com/2010/05/05/eco_ava_chavez-y-fernandez-f_05A3863051
  6. a b «Venezuela reduce la deuda pública externa con venta de acciones de refinería». Swissinfo.ch. 20 de agosto de 2021. Consultado em 3 de junho de 2022 
  7. «BP welcomes Rosneft as new partner in German refining joint venture». BP. 5 de maio de 2011. Consultado em 19 de outubro de 2021 
  8. a b «Rosneft to Buy PDVSA Stakr in refiner for $ 1.6 billion». Bloomberg. 15 de outubro de 2010. Consultado em 19 de outubro de 2021 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]