Philip Sidney

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Philip Sidney
Nascimento 30 de novembro de 1554
Kent
Morte 17 de outubro de 1586 (31 anos)
Arnhem (República das Sete Províncias Unidas dos Países Baixos)
Residência Essex House
Sepultamento Catedral de São Paulo
Cidadania Reino da Inglaterra, Inglaterra, Reino Unido
Progenitores
Cônjuge Frances Walsingham
Filho(s) Elizabeth Sydney
Irmão(s) Robert Sidney, 1st Earl of Leicester, Mary Herbert
Alma mater
Ocupação poeta, diplomata, romancista, militar, político
Causa da morte gangrena

Philip Sidney (30 de Novembro de 1554 - 17 de Outubro de 1586), tornou-se um dos mais importantes poetas do Reino Unido. Escreveu Astrophil and Stella, An Apology for Poetry e Countess of Pembroke's Arcadia.[1]

Vida e família[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Penshurst, Kent a 30 de novembro de 1554. Filho mais velho de Sir Henry Sidney e de Lady Mary Dudley. A sua irmã mais nova, Mary Sidney foi importante como tradutora tanto que o poeta dedicou-lhe a sua maior obra, Arcadia.

Philip estudou na Shrewsbury School e Christ Church, fazendo o ensino universitário em Oxford. No ano de 1572, o poeta viajou para França como parte da embaixada que negociaria o casamento entre Elizabeth I e o Duque D'Alençon. Philip passou os próximos anos na Europa, andando pela Alemanha, Itália, Polónia e Áustria. Nestas viagens, conheceu diversos intelectuais e políticos europeus promissores.

Ao regressar a Inglaterra em 1575, Sidney conheceu Penelope Devereaux, a futura Penelope Blount, que, apesar de ser muito jovem, inspirou o seu mais famoso soneto, Astrophel and Stella. No seu país, Sidney ocupou-se com a política e com as artes. Após uma discussão com Edward de Vere, Philip ausentou-se do mundo político.

Durante essa ausência, escreveu Arcadia.[2] Anteriormente, Sidney teria conhecido Edmund Spenser, a quem dedicou Shepheardes Calendar.

Sidney regressou à política e aos tribunais em 1581 e foi ordenado cavaleiro em 1583. Nesse mesmo ano, casou-se com Frances Walsingham. No ano seguinte, conheceu Giordano Bruno, que dedicou dois livros a Philip.[3]

Philip Sidney era Protestante e participou em diversas batalhas contra tropas espanholas e holandesas. Em 1586, Sidney juntou-se a Sir John Norreys na Batalha de Zutphen, onde foi atingido, acabando por falecer vinte e seis dias mais tarde.[4] De acordo com a história, enquanto deitado e ferido, ele deu a sua garrafa de água a outro soldado ferido, dizendo "Thy necessity is yet greater than mine" ("A tua necessidade é maior que a minha"). Esta tornou-se possivelmente na história mais famosa de Philip Sidney, ilustrando o seu carácter nobre.

O corpo de Sidney foi levado para Londres e enterrado a 16 de Fevereiro de 1587, na Catedral de São Paulo.

Obra[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Philip Sidney». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021 
  2. «British Library». www.bl.uk. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  3. «Sir Philip Sidney | English author and statesman». Encyclopædia Britannica (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2021 
  4. Buxton, John (1989). «The mourning for Sidney». Renaissance Studies (1): 46–56. ISSN 0269-1213. Consultado em 15 de outubro de 2021